Posts Tagged ‘manuel alegre’

Não se importa de repetir?

Saturday, December 18th, 2010

Cavaco Silva, referindo-se ao Estado Novo:

“Eu e a minha mulher com certeza que não pensávamos bem do regime”.

Não pensavam bem?…

Tipo: eu e a minha mulher achávamos que o Exmo. Sr. Dr. Salazar era pouco simpático?

Ou tipo: eu e a minha mulher achávamos que aquilo dos presos políticos serem torturados era um pouco incómodo?

O facto do Alegre ter decidido atacar o Cavaco, dizendo, de certo modo, que ele colaborou com o antigo regime, não foi muito elegante, mas a resposta do Cavaco é, no mínimo, medíocre.

É o presidente que temos…

Cooperação estratégica, uma ova!

Sunday, September 12th, 2010

Nunca passou pela cabeça de Cavaco dissolver a Assembleia. E Passos Coelho sabia disso, embora tenha feito de conta.

Para Cavaco, dá muito mais jeito que Sócrates continue como primeiro-ministro. Assim, ele tem sempre oportunidade de dar uns bitaites, de fazer umas acusações veladas, de se mostrar como verdadeiro salvador da Pátria. Se o primeiro-ministro fosse do PSD, Cavaco não poderia criticar, ficava-lhe mal.

Acrescente-se o facto de Sócrates não gostar muito (ou nada) de Alegre e temos o menu completo.

Será que sobrevivemos a mais 5 anos de Cavaco?

A importância do nome

Thursday, May 27th, 2010

Alegre, Nobre ou Cavaco?

Alguém conhece um alegre e nobre cavaco?

Mais vale nobre que alegre?

Antes alegre que cavaco?

Um cavaco nobre? Nunca vi.

Um cavaco alegre é um contrassenso.

Um nobre na presidência? Ainda se fosse uma monarquia…

Um presidente alegre? Uma tristeza…

Um presidente feito num cavaco? Já temos.

Um cavaco pode tornar um nobre alegre?

Nobrete mas alegrete.

Alegrar, enobrecer, encavacar.

Do alegre se fez triste, do nobre se fez pobre e do cavaco já nada se consegue fazer.

Alegria, Nobreza, Cavacança!

Maldita enxaqueca!

Sunday, May 17th, 2009

O primo de Sócrates foi entrevistado para o Expresso. Está na China, a fazer um retiro de kung-fu. Usou o nome do primo indevidamente, para tentar obter favores. Quando regressar a Portugal, antes do Natal, pede-lhe desculpa pessoalmente. Deixou-se fotografar em poses marciais e a prestar homenagem a deuses estrangeiros.

Lopes da Mota parece que também invocou o nome de Sócrates em vão, numa tentativa de assustar os pobrezitos dos magistrados que investigam o caso Freeport. Desde então que eles andam cosidos com as paredes, amedrontados, temendo que alguém lhes dê um coça, lhes rapte os filhos ou lhes assalte a casa.

isaltinoA gripe A também não gosta de nós, portugueses. Infectou uma portuguesa, apenas uma e todos os casos suspeitos não têm passado disso. Os nossos vizinhos espanhóis carregadinhos de casos e nós, à míngua!…

Até no desemprego os espanhóis nos batem! Aí estão eles com 12% de desempregados e nós nem sequer atingimos os dois dígitos! Sócrates tem que se esforçar mais, caramba! Ainda há muita malta para despedir, muitas empresas para fechar!

Louçã não se importa de formar governo, desde que não seja com Sócrates. Disse-o ao novo jornal “i”. E que cargo ocuparia Louçã no governo? Ministro da Economia, para dar subsídios a todas as micro-empresas? Ministro do Trabalho, para admitir todos os desempregados na Função Pública? Ministro da Saúde, para distribuir medicamentos gratuitos por todos e comparticipar a 100% cirurgias nos hospitais privados? Gostava de ver…

Alegre não fode nem sai de cima. Não se candidata, mas não sai do PS. Não entra nas listas mas não forma um novo partido. Está contra o Sócrates mas não o enfrenta. O Alegre que se fez triste…

Lisboa e Almada pararam, ontem, porque uma estátua de cedro do Brasil foi transportada desde Fátima até Almada. A Nossa Senhora veio visitar o filho, que fez 50 anos. Já está crescidinho, mas continua de braços abertos, aguardando que o Belenenses seja campeão.

Tirem-me deste filme!

Ou comes a sopa ou chamo o Manuel Alegre!

Friday, March 13th, 2009

O Manuel Alegre mete medo a um susto!

Toda a gente tem medo do Manuel Alegre!

O Manuel Alegre disse, numa entrevista:

“Se eu fosse às reuniões do grupo parlamentar, se calhar já não havia grupo, nem governo”.

Já viram como ele é mauzinho?!

Eleições, para quê?! A gente pode votar num partido, o partido até pode ganhar com maioria absoluta mas, se o partido se portar mal, vem lá o Manuel Alegre e desfaz o governo em três tempos!

O Manuel Alegre tem cara de mau!

O Manuel Alegre é um poeta maldito!

O Manuel Alegre, se quisesse, dava uma tareia no Sócrates, no José Lelo e em todos os dirigentes socialistas, sem tirar as mãos dos bolsos e enquanto inventava um soneto sobre o cão.

O Manuel Alegre é perigoso porque tem umas espingardas lá em casa, que dão tiros e tudo!

O Manuel Alegre já esteve na Argélia!

O Manuel Alegre apara a barba porque quer, quando não, deixava-a crescer até meio da barriga e parecia mesmo o Bin Laden e havia de mandar aviões contra aquele prédio onde o Sócrates comprou um apartamento por metade do preço!

Tenham medo, tenham muito medo do Manuel Alegre!

Sócrates, 30 anos depois

Saturday, February 21st, 2009

No passado dia 20 de Fevereiro, fez 30 anos que Sócrates é nosso primeiro-ministro.

A meio do seu sétimo mandato, Sócrates encontra-se numa encruzilhada. Depois de Manuela Ferreira Leite se ter retirado da política e de o PSD ter desaparecido por implosão interna, não resta a Sócrates outra oposição que a do segundo homem mais velho do planeta, Manuel Alegre, que continua a gritar que ninguém o cala, a dizer que, no PS, existe um clima de medo e que o partido se está a afastar das suas raízes de esquerda.

Entretanto, o homem mais velho do planeta, Mário Soares, já prometeu que se o próximo “check-up” médico lhe for favorável, não se importa de concorrer à presidência da República.

Como se sabe, o nosso presidente, o venezuelano naturalizado português, Hugo Chavez, já está tão velho que, na última cerimónia pública, urinou na tribuna presidencial.

O ministro da Economia do governo de Sócrates, Francisco Louçã, admitiu que partiria a cara ao líder da Oposição, Paulo Portas, se ele continuasse a exigir menos impostos para os agricultores, que não passam, hoje em dia, de cinco ou seis famílias que detêm umas hortas em Loures.

Na Assembleia da República, o PCP, hoje reduzido a Jerónimo de Sousa, dois habitantes do Seixal e um cão, nascido em Grândola, continuam a sua greve de fome, a favor da continuação do inquérito ao caso BPN, exigindo que Dias Loureiro seja presente à comissão de inquérito pela 57ª vez, porque ainda há umas verbas perdidas que não estão bem explicadas.

Na próxima semana, deve ser aprovado o casamento entre todos os homossexuais, seguido da dissolução da igreja católica que, aliás, se encontra na falência, desde que se descobriu que o Vaticano tinha a massa toda investida no esquema piramidal do Freeport.

Estrabismo de esquerda

Monday, December 15th, 2008

Manuel Alegre, como poeta, é um mau político.

Os jornalistas adjectivam-no como “histórico deputado socialista”, mas devem usar o adjectivo “histórico”, no sentido de “dinossáurio”.

Alegre defendeu a convergência das esquerdas, que é como diz, o estrabismo de esquerda.

Todos os esquerdistas a olhar para si próprios – um olho na merda, outro no infinito.

Marcelo Rebelo de Sousa, na sua homilia, esfregou logo as mãos de contente, dizendo que com um novo partido, liderado pelo Alegre, talvez o PSD, mesmo esfrangalhado, conseguisse mais votos que o PS.

Tinha a sua graça: o PS e o PSD empatarem nas eleições e ficarmos sem governo por causa de um novo partido de esquerda, lançado por um poeta serôdio. Como se a esquerda precisasse de mais partidos. Como se a esquerda não estivesse já suficientemente fragmentada e enfraquecida.

De cachecol branco em redor do pescoço e casaco de pele de antílope, quiçá caçado por ele próprio, Alegre disse outras coisas lindas, como esta: “esta é a nova coragem que é preciso ter”!

E mais esta: “Dante reservou os lugares mais quentes do Inferno para aqueles que em tempo de crise moral se mantivessem neutros”.

E ainda esta: “Ninguém é proprietário da esquerda, ninguém tem o monopólio da verdade, ninguém é dono do futuro.”

A mim ninguém me cala!

Manuel Alegre, como político, é um mau poeta…