Quem é Marques Mendes?

Ninguém sabe.

Será que é porta-voz do Presidente, uma vez que foi escolhido por Marcelo para o Concelho de Estado?

Ou será, antes, porta-voz escolhido por Montenegro para ajudar o PSD a ter esta vitória esmagadora nas eleições, conseguindo mais 54 mil votos que o PS, quase um estádio da Luz cheio?

Há quem diga até que ele nem sequer existe e que é uma espécie de robot criado pelo canal de Balsemão.

O que é certo é que há vários anos que Marques Mendes surge, todos os domingos, a garantir banalidades na estação televisiva adequadamente chamada Sic – outra coisa não seria de esperar, aliás.

Antes das eleições, açoitou o PS por não satisfazer as reivindicações dos polícias, professores, médicos, enfermeiros, engenheiros agrónomos, desentupidores de canos e ofícios relativos. Agora, que o PSD vai formar governo, garante que não se pode dar tudo a todos!

Gente de má fama, goza com Mendes, dizendo que ele não está à altura da posição que ocupa. E que não é tão bem informado como diz ser.

Será que é, afinal, um espião?

Assim uma espécie de agente secreto – qual 007 ao contrário, isto é, faz de conta que é pequenino, mas, no fundo, é um homenzarrão mascarado?

A verdade é que ninguém sabe, ao certo, por que carga de água ele continua a cagar sentenças todos os domingos na Sic.

Pouca gente viu Marques Mendes fora da televisão. Eu, por exemplo, nunca o vi na rua, com a mulher, a fazer compras ou a passear o cão. É por isso que há quem diga que ele só existe na televisão, isto é, mesmo dentro daquele pequeno rectângulo, o que está de acordo com o seu tamanho.

Se calhar, Mendes não tem existência real – é apenas uma espécie de fantoche.

É isso mesmo…

Um fantoche…

Passos com três ésses

Passos Coelho veio à superfície e participou num comício da AD no Algarve.

Escusava de se ter incomodado.

E porquê Passos com três esses?

S de sonso (sujeito que esconde as suas verdadeiras intenções), porque Passos não quer que a AD vença com maioria absoluta, quer que a AD vença, mas seja obrigada a aliar-se ao Chega para governar. E aí, o Montecoiso tem de dar o dito por não dito. Portanto, o sonso Passos não foi ao comício ajudar Montecoiso – foi apertá-lo.

S de sujo (ignóbil, indecente, sórdido, torpe, em que há fraude), porque Passos esteve envolvido naquela cena da Tecnoforma, que nunca foi esclarecida e, depois de ter prometido, na campanha eleitoral, que não iria tocar nas pensões nem subtrair subsídios de Natal, foi isso mesmo que fez depois, quando chefiou o governo.

S de sacana (finório, espertalhão…), porque Passos teve a lata de se referir à imigração e de a ligar à falta de segurança, durante o discurso que proferiu no comício no Algarve. Passos sabe que Portugal é um dos países mais seguros do mundo e sabe que os imigrantes, neste momento, são essenciais para manter em funcionamento muitos sectores da nossa economia, nomeadamente, o turismo. No entanto, apesar de saber isso, deu a entender que são os imigrantes que provocam a insegurança que algumas pessoas não sentem, mas acham que existe.

Mas três esses são poucos para Passos!

Safardana, sacrista, sevandija, sabujo, sórdido, sebento – tudo isto sem ofensa, claro!

Para quando a sua adesão ao Chega?

O Ventura já tem o boletim de inscrição pronto. Basta assinar.

Um Orçamento pipi

Esperei até hoje por um pedido de desculpas, mas como nada surgiu, decidi escrever estas linhas.

O líder do maior partido da Oposição, presidente do PSD e candidato a futuro primeiro-ministro, disse que o Orçamento de Estado de Fernando Medina era “pipi, bem vestidinho e betinho”.

Poderia ter corrigido, depois, dizendo que se se estava a referir ao ministro e não ao Orçamento. Medina seria um pipi, expressão vulgar nos anos 40 do século passado, referindo-se a indivíduos do sexo masculino que gostavam de se apresentar sempre bem vestidos e bem penteados – daí, também, o “bem vestidinho”. Quanto ao “betinho”, poderia ser um erro geográfico, já que Medina é natural do Porto, e os betinhos costumam ser de Cascais.

Foi por isso que esperei pelo desmentido de Montenegro.

Mas esse desmentido não apareceu – pelo contrário, Montenegro fez questão de reforçar o que tinha dito. E ainda hoje, no jornal Público, Sarmento, o glorioso líder da bancada do PSD, confirma que o Orçamento é pipi – e justifica, dizendo: “é um Orçamento que tem uma apresentação e uma marca muito forte, em que no papel parece tudo muito bem e muito bonito, mas depois olhamos e as medidas são curtas”.

Ora, isto prova que Sarmento não sabe o que é ser-se pipi. Aliás, basta olhar para ele…

Outro líder da Oposição de direita, o liberal Rui Rocha, declarou, numa das suas declarações inflamadas, que “António Costa dá com uma mão e tira com as outras duas!”.

Quer dizer, temos um primeiro-ministro com três mãos e isto é que lixa a Oposição.

Com opositores como estes, pode Costa dormir descansado…

“A Arte de Cozinhar”, novo livro do Chefe Aníbal

O antigo presidente Cavaco Silva, dedicou-se à culinária, como toda a gente sabe. Desde que deixou de ser presidente, arrumou as suas botas de político profissional, recolheu-se a Boliqueime e, com a ajuda da sua Maria, esposa dedicada e esmerada dona de casa, decidiu aprender a cozinhar.

Sabe-se que, hoje em dia, cozinha umas caras de bacalhau com arroz de grelos como ninguém. Também os seus carapaus com molho de escabeche são conhecidos além-fronteiras, bem como as papas com muito sarrabulho.

Por isso mesmo, o Chefe Aníbal, como é agora conhecido em quase todo o Algarve, decidiu publicar um livro intitulado “A Arte de Cozinhar”, que será apresentado ao público no próximo dia 15 – e quem melhor para apresentar um livro de culinária senão o Cherne em pessoa?

Portanto, contamos ver, na mesma sala, o Chefe Aníbal, o Cherne Barroso e o próximo líder do PSD, o saudoso Coelho e esperamos que o Chefe nos premeie com um uma receita de Coelho à Caçadora.