Outra razão para impedirmos a Manuela de ser primeira-ministra

Há muitas razões para não deixarmos a Manuela Ferreira Leite ser primeira-ministra, mas hoje vamo-nos ficar por esta:

A Dona Manuela está com perturbações da memória.

Ela esqueceu-se do que Santana Lopes fez como presidente da Câmara de Lisboa, ela esqueceu-se que esteve contra Durão Barroso quando este cedeu o seu lugar so Sr. Lopes, ela não se lembra das coisas que ele disse dela, quando ela concorreu contra ele, nas últimas eleições no PSD.

Agora, a Dona Manuela apoia devotadamente o Sr. Lopes – o homem dos túneis.

A Dona Manuela é capaz até de rezar pelo Sr. Lopes – ele, que pediu a ajuda de Deus para ganhar as eleições autárquicas, como se Deus não tivesse já tanto que fazer com as vítimas da gripe, das manifes no Irão e das quedas do airbuses.

Se a MFL ganhar as eleições em Setembro (livra!) é muito capaz de se esquecer que Dias Loureiro (outra grande vítima do Alzheimer) é arguido no caso BCP e convidá-lo para ministro da Administração Interna, cargo que ele ocupava no governo de Cavaco Silva, quando aconteceu o bloqueio da ponte 25 de Abril (será que alguém se lembra disto?)

O decepado e o atleta

pedrosoPaulo Pedroso vai ser o candidato do PS à Câmara de Almada.

Por enquanto, esse facto não me merece nenhum comentário, a não ser o facto de achar o primeiro cartaz de campanha algo de inexplicável.

Sobre um fundo azul, um punho fechado, no qual está hasteada uma bandeira vermelha com o nome do candidato. Por baixo, o slogan inacreditável: “terminar a obra que ninguém começou”.

Já estou a ver o Paulo Pedroso a bater-me à porta, à frente de um grupo de operários e eu a perguntar:

– Faça favor de dizer…

E ele:

– Vim remodelar-lhe o apartamento.

E eu:

– Mas eu não quero! Acho que o meu apartamento está bem assim…

E ele:

РDesculpe, mas tem que ser! Eu tenho que terminar a obra que ningu̩m come̤ou!

E depois, se súbito, eu olho para o seu braço direito e vejo que o Paulo Pedroso não tem a mão direita e que, na esquerda, empunha a direita, com o punho fechado.

Paulo Pedroso é o decepado!

E vai perder as eleições em Almada.

lopesMelhor está o Santana Lopes que vai ser candidato à Câmara de Lisboa.

Só por si, esta simples frase já podia ser considerada a piada da década, mas é verdade: o PSD acha que o Sr. Lopes é a melhor escolha para candidato à Câmara de Lisboa.

Para terminar a obra que ele próprio começou!

Os jornalistas perguntaram-lhe o que tem ele andado a fazer.

E ele respondeu:

“O que tenho andado a fazer? A almoçar e a jantar com gente de esquerda”.

Deve estar enjoado de pataniscas com arroz de feijão que, como se sabe, é a comida preferida da “gente de esquerda”.

O que é que o Sr. Lopes entenderá por “gente de esquerda”?

Os gajos que, nos almoços e jantares, se sentam à sua esquerda?

E reparem o que o Sr. Lopes tem, pendurado ao pescoço.

Um atleta de ouro!

E vai perder as eleições em Lisboa.

Mas que choldra, menino, como dizia o Eça…

Finalmente, novos valores na política!

Fartos dos velhos políticos portugueses?

Not anymore!

O PSD anunciou ontem o seu candidato à Câmara de Lisboa: trata-se de Pedro Santana Lopes, um jovem e talentoso político que começa, agora, a dar os primeiros passos na cena portuguesa, e logo como candidato a um cargo tão importante como este.

A escolha de Pedro Santana Lopes foi uma decisão unânime de todos os membros da comissão política nacional, portanto não se pode falar em insanidade temporária de Manuela Ferreira Leite, quanto muito, poderá dizer-se que toda a comissão política está passada dos cornos por escolher um rapaz tão novo e tão verde (sim, é do Sporting… não se pode ser perfeito…)

Claro que este Santana Lopes não tem nada a ver com o outro Santana Lopes, o do túnel, aquele que abandonou a presidência da Câmara de Lisboa para ir fazer figuras tristes como primeiro-ministro e, depois, voltou para a Câmara, com o rabinho entre as pernas, desalojando o outro senhor de óculos, cujo nome já nem me lembro (Carmona? Craveiro Lopes?).

Ṇo Рeste Santana Lopes ̩ novo e ṇo tem nada a ver com o outro Santana Lopes, que pagou 2,5 milh̵es de euros ao Frank Gehry para o gajo fazer um or̤amento para o Parque Mayer e vir comer uns almo̤os ao Bairro Alto.

Este Santana Lopes é muito diferente, como se pode comprovar pelas imagens em baixo. À direita, o jovem Pedro Santana Lopes, agora candidato à Câmara de Lisboa; à esquerda, o outro Pedro Santana Lopes, o que deixou um buraco formidável nos cofres da Câmara. As diferenças são notórias…

Parabéns PSD!

Pedido aos “media”

Caros profissionais da comunicação social:

Venho, por este meio, solicitar que, das duas, uma:

– ou deixam de chamar ex-presidente do Benfica, a Vale e Azevedo

– ou passam a chamar ex-presidente do Sporting a Santana Lopes.

Já não há pachorra para ouvir e ler que Vale e Azevedo é ex-presidente do Benfica, como se isso fosse uma característica específica, como ser alto ou gordo ou aldrabão ou salafrário.

Obrigado.

Ferreira Leite, Santana Lopes style

Saudades do Santana Lopes e das suas calinadas?

Não tenhas!

Agora há: MANUELA FERREIRA LEITE!

Tão divertida como Lopes, com a vantagem de ser do sexo feminino, embora, no caso dela, bem… adiante…

Depois de dizer que o TGV e o aeroporto iriam resolver o problema do desemprego na Ucrânia e em Cabo Verde, Dona Leite, na passada 4ª feira, bateu o recorde das afirmações absurdas.

1ª Chalaça da Manuela: “os líderes políticos, numa sociedade democrática, têm que saber fazer passar a sua mensagem através da comunicação social (…), não pode ser só a comunicação social a seleccionar o que se diz.”

Nesse caso, Manuela propõe o quê? A censura prévia? Um comissário político em cada redacção de cada jornal e de cada televisão, para “seleccionar o que se diz”?

2ª Chalaça da Manuela: “enquanto o sistema de justiça não for eficaz, o polícia faz figura de palhaço”.

Claro que os polícias não leram esta notícia, caso contrário teriam ido para a porta da sede do PSD, vestidos de palhaços, exigindo que a Manuela explicasse por que razão o PSD, que tem estado no governo tantos anos quantos o PS, não conseguiu tornar a justiça eficaz.

3ª Chalaça da Manuela: “a nova lei do divórcio, que ninguém pediu, é a destruição da família”.

De qual família, Manuela? Da família nuclear, em que o marido bate na mulher e não quer saber dos filhos? Da família alargada, em que os avós cuidam dos netos e ninguém sabe do pai ou da mãe?

Estas chalaças da Dona Leite foram todas proferidas num único discurso, mas quase ninguém reparou, porque anda tudo preocupado com os professores.

Com esta líder da Oposição, Sócrates bem pode dormir descansado…

O PSD não tem emenda

Segundo o Expresso, Manuela Ferreira Leite estará inclinada a deixar que Santana Lopes possa ser o candidato do PSD à Câmara de Lisboa.

Este seria o presente envenenado de Manuela ao Sr. Lopes: ao dar-lhe uma nova oportunidade, calaria a oposição dentro do partido. Se Santana ganhasse (ah! ah!), Manuela também ganharia; se Santana perdesse, Manuela não poderia ser acusada de não ter tentado.

Esta baixa política só mostra como se mexem os partidos, o PSD, em particular. No artigo do Expresso, assinado por Ângela Silva, não se fala, em lado nenhum, do que poderia ganhar a cidade se Santana Lopes voltasse a ser presidente da Câmara. Não se conhece, da parte de Santana, nenhuma ideia nova sobre Lisboa (ele tinha 3 e já as esgotou: o túnel do Marquês, o Casino de Lisboa e o Parque Mayer). Nada disto interessa. O que interessa são os jogos dentro do partido.

Aliás, no PS, a treta é a mesma. Agora, por exemplo, António Costa e Helena Roseta chegaram a um entendimento, que foi muito saudado pelos comentadores. Então, mas afinal eles não pertencem ao mesmo partido? Não podiam ter chegado a esse acordo antes de concorrerem separadamente à Câmara, evitando meses e meses de decisões adiadas porque não havia maioria nas votações?

Voltando ao Sr. Lopes: será que ele quer a candidatura à Câmara de Lisboa?

Não acredito.

O Sr. Lopes quer a Presidência da República, quando o ciclo de Cavaco acabar.

Lá terei que votar no Mário Soares, outra vez, daqui a 10 anos…