Chapada dos Guimarães

Um acidente grave ocorreu na semana passada, junto a uma cascata conhecida como véu da noiva. Um grande bloco de rocha destacou-se lá de cima e atingiu, cá em baixo, seis pessoas que tomavam banho na cachoeira. Uma delas morreu. Em consequência, o Parque Nacional foi fechado.

Em vez do roteiro previsto, visitam-se outros lugares: uma caminhada pelos arredores da Pousada, passando por uma enorme caverna, depois por um percurso ladeado de rochas com formações curiosas (a máquina de costura, o cavalo de Tróia) e, finalmente, até à cachoeira do Éden, onde também se toma banho.

Almoço no Morro dos Ventos, um restaurante com uma vista espectacular.

Comida excelente: dois tipos de peixe: pacu e pintado, acompanhados de arroz com feijão, mandioca, farofa de banana e salada.

A cidade de Chapada dos Guimarães tem cerca de 10 mil habitantes. Tranquila.

Lá perto fica o centro geodésico da América do Sul, embora também haja um em Cuiabá.

A vista é, também deslumbrante, vendo-se todo o vale imenso que se estende depois dos paredões da Chapada.

Apetece ficar aqui.

Os nossos agradecimentos ao guia Hélio, que sabia tudo sobre pássaros, plantas, répteis, peixes, mamíferos, geologia e tudo, para além de nos ter iniciado nas maravilhas do remo e da flutuação.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.