As comparações de Paulo Portas

Fazendo lembrar os seus tempos de director de O Independente e criador de títulos de primeira página, Portas disse: ” Sócrates está para a justiça social como a vuvuzela está para a música clássica”.

O Portas sempre foi um cómico que se perdeu na política, embora, na Assembleia da República, algumas das suas intervenções estejam ao nível do stand up.

Mas com aquela comparação, Portas pode ter iniciado uma nova moda na política portuguesa.

Assim, comentando a proposta do PSD para a revisão constitucional, Sócrates poderá dizer que Passos Coelho está para a Constituição como o parafuso está para a Torre Eiffel.

Ou questionado quanto à possibilidade de uma aliança à esquerda, o líder do PS poderá dizer que Jerónimo de Sousa está para o futuro da democracia como os sinais de fumo estão para o iPhone.

E quanto à eventualidade do Bloco integrar um futuro governo, caso Manuel Alegre seja Presidente, Jerónimo de Sousa poderá dizer que Louçã está para a credibilidade política como a BP está para a defesa do ambiente.

Finalmente, se perguntarem a Passos Coelho a sua opinião sobre a hipótese do PS se coligar com o CDS-PP, o líder do PSD dirá que Paulo Portas está para a competência governativa como o submarino está para a aviação comercial.

Obrigado, Portas!

One thought on “As comparações de Paulo Portas

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.