Posts Tagged ‘selecção’

Compulsivamente?!

Wednesday, June 30th, 2010

Manchete da primeira página do Diário de Notícias de hoje:

“Portugal eliminado após erro de Queiroz – Substituição de Hugo Almeida abriu portas à derrota que Eduardo chorou compulsivamente”.

Em primeiro lugar, Portugal não é eliminado por causa de um erro de Queiroz, mas sim por causa dos múltiplos erros do referido senhor.

Mas do que eu gosto é de Eduardo a chorar compulsivamente!

Compulsivamente?!

“Compulsivamente” vem de compelir, que significa “constranger a fazer alguma coisa, forçar, obrigar”

O jornalista não quereria dizer “convulsivamente” (“convulsão: movimento espasmódico causado por uma emoção forte”)?

Cada jornalista tem a selecção que merece!…

Essa do Queiroz!…

Wednesday, June 30th, 2010

Valente selecção! Conseguiu empatar com a primeira equipa do ranking, o Brasil, e só levar um golo da segunda, a Espanha!

A selecção jogou certinha, encolhidinha, aflitinha, à rasquinha, pobrezinha mas honradinha.

Jogou triste, como o país.

A passar para o lado e para trás ou a chutar lá para a frente, à espera de um bambúrrio.

Duas linhas defensivas, bem fechadas, muita cafuga, muita miaúfa e muito medinho e, acima de tudo, muito respeitinho pelos espanhóis – porque o respeitinho é muito bonito.

Depois, como é costume, começaram com muita pressa no final do jogo, a tentar fazer o que não foi feito nos 90 minutos anteriores.

E no fim, a selecção foi eliminada.

Queiroz desapertou o segundo botão da camisa, mostrou o fiozinho de oiro sobre os pêlos do peito e disse que saíram todos de cabeça erguida.

Deves estar a ver mal, ó Queiroz!

Banho turco

Thursday, May 14th, 2009

Ali Agka – o turco que tentou matar João Paulo Bis – pediu a nacionalidade portuguesa.

Mais um gajo que quer jogar na nossa selecção!…

Este treinador só dá para as ilhas

Thursday, November 20th, 2008

Carlos Queiroz só teve sucesso contra ilhéus.

No passado, notabilizou-se como treinador adjunto, nas ilhas Britânicas.

Já como treinador da selecção nacional, só conseguiu ganhar às ilhas Faroé e à ilha de Malta.

Jogar contra países localizados no continente, o tipo não sabe.

Ontem, contra o Brasil, até nem foi mau. Poucas selecções se podem gabar de marcar dois golos ao Brasil.

Propõe-se: manter o Carlos Queiroz sempre que a selecção jogue contra uma ilha e arranjar outro treinador para os jogos a sério.

Liedson português? Então, quero ser espanhol!

Sunday, October 26th, 2008

Dizem os jornais que o processo está a andar e que, se as coisas correrem bem, Carlos Queirós já poderá convocar Liedson para o jogo da selecção, contra a Suécia.

Já agora, por que não promover a naturalização de Helton, para jogar a guarda-redes, Luisão e Léo, para a defesa, ao lado de Pepe, Derlei, para jogar ao lado de Deco e mais uma dúzia de brasileiros que jogam em Portugal?

A seguir, Cristiano Ronaldo, Paulo Ferreira, Ricardo Carvalho e Nani pediam a cidadania inglesa, Quaresma passava a ser italiano, Danny naturalizava-se russo e Miguel e Simão passavam a ser espanhóis.

Quanto a mim, reafirmo: se o Liedson jogar algum dia na selecção nacional, passo a ver os jogos da selecção espanhola.

Kosovo lixa a selecção!

Thursday, October 16th, 2008

Só não vê quem não quer.

O empate de ontem da selecção nacional de futebol, frente a 10 jogadores da selecção da Albânia é a primeira consequência do reconhecimento da independência do Kosovo, por parte do governo português.

Só assim se explica que o Pepe do Real Madrid, o Quaresma do Inter de Milão, o Paulo Ferreira do Chelsea, o Miguel do Valência, o Hugo Almeida do Bremen, o Dany do S. Petersburgo e o Ronaldo do Manchester, não tenham conseguido marcar sequer um golito aos coxos, mas abnegados, albaneses.

Segue-se uma derrota com Malta.

(e a nossa sorte é não irmos jogar contra a Ossétia do Sul…)

Não voltes, Scolari!

Thursday, September 11th, 2008

E não voltes mesmo! Não estás perdoado!

Prefiro a selecção a perder 2-3 mas a jogar ao ataque, do que o futebol defensivo, depressivo e calculista do 1-0.

Claro que falhar tantos golos e dar tantas facilidades na defesa, como ontem aconteceu contra a Dinamarca, precisa de correcção rápida. O ataque parecia o do Manchester, com a pontaria do do Benfica; a defesa parecia mesmo a do Benfica, incluindo o Quim, que se armou em Ricardo e saiu a um cruzamento de olhos fechados.

Confesso que também não gostava muito do Queirós, mas o homem melhorou com os anos que passou ao lado de Ferguson e, sobretudo, desde que rapou o bigode.

Bom… respira-se fundo e espera-se que as coisas melhorem.

Não quero voltar ao tempo das vitórias morais, mas também odeio o futebol de Scolari.

Something in between, ok?