Posts Tagged ‘bpn’

Culinária regimental

Wednesday, May 13th, 2015

Notícia do DN:

«Francisco Banha, o antigo responsável pelas finanças da Tecnoforma – a empresa que, em tempos, foi  gerida por Passos Coelho,foi agora contratado por Francisco Nogueira Leite, presidente da Parvalorem, a empresa sob a alçada do Estado que gere as dívidas do BPN que não transitaram para o Banco BIC.”

Coelho, Leite e Banha…

Cozinhado perfeito!

E Oliveira e Costa para as Finanças?…

Wednesday, July 24th, 2013

machete_volta

Francamente, Franquelim!…

Sunday, February 3rd, 2013

Título do DN:

«CDS indignado com secretário de Estado ligado ao BPN»

De facto!

O senhor Franquelim Alves foi administrador do BPN, no tempo do Oliveira e Costa, caramba!

Devia, no mínimo, ter sido nomeado ministro!

E o que é que eu tenho a ver com isso?

Sunday, April 29th, 2012

O Diário de Notícias começou hoje a publicar uma série de artigos sobre o grande abcesso nacional que é o BPN.

Na edição de hoje, são 18 páginas onde se concentram muitas coisas que nós já sabíamos mas, assim, colocadas ao pé umas das outras, tornam a coisa ainda mais incompreensível.

Como foi possível isto atingir esta dimensão?

Sob o título “Um banco que dava milhões a quem pedia”, o DN lista uma série de indivíduos e empresas a quem o BPN emprestou dinheiro, sem pedir quase nada em troca.

Por exemplo: Dias Loureiro (10 a 30 milhões), Duarte Lima (6 milhões), Pousa Flores, empresa de Arlindo Carvalho (75 milhões), Arlindo Carvalho (4,8 milhões), José Neto, sócio de Arlindo Carvalho (4,8 milhões), Emídio Catum e Fernando Fantasia, este vendeu o terreno onde Cavaco tem a sua casa de verão (53 milhões).

Mais à frente, sob o título “Caras do BPN deram 130 mil euros para campanha do Presidente”, o DN faz uma infografia em que relaciona personagens que doaram dinheiro para a campanha de Cavaco, em 2006, com o próprio Cavaco e com o PSD: José Oliveira de Costa, presidente do BPN (15 mil euros), Alberto de Figueiredo, accionista do BPN (20 mil), Joaquim Coimbra, accionista do BPN (22 mil euros), Emídio Catum, sócio da SLN (22 mil), Abdool Vakil, presidente do Banco Efisa, do grupo BPN (5 mil), Fernando Fantasia (6 mil). E ainda: Jorge Neto, secretário de Estado de Santana Lopes, Rui Machete, vice-primeiro ministro de um governo PSD, Amilcar Theias, ministro do Ambiente de Durão Barroso, Daniel Sanches, ministro da Administração Interna de Santa Lopes, Miguel Cadilhe, ministro das Finanças de Cavaco, Arlindo de Carvalho, ministro da Saúde de Cavaco e, claro, Dias Loureiro e Duarte Lima.

O DN recorda, também , o negócio legal, que Cavaco e a filha Patrícia fizeram com o banco que nos está a lixar os subsídios de férias e natal (segundo o jornal, a fraude do BPN daria para pagar três anos de subsídios aos funcionários do Estado!).

Aníbal e Patrícia compraram, em 2001, acções do BPN, ao preço de um euro cada uma. Esse preço era especial. Segundo a Assembleia Geral da SLN, só o presidente, Oliveira e Costa, poderia comprar acções a esse preço.

Aníbal, na altura um simples e proletário professor universitário, cuja reforma, segundo diz o próprio, mal chega para as despesas, comprou 105 378 acções, enquanto a filha, que deve ter uma profissão mais lucrativa, comprou 149 640.

Dois anos depois, quer o Aníbal, quer a filha, decidiram vender essas mesmas acções e Oliveira e Costa, que devia nadar em dinheiro, aceitou comprá-las a 2,40 euros cada uma! Quer dizer que, em dois anitos, sem mexerem uma palha, pai e filha ganharam 147,5 mil e 209,4 mil euros, respectivamente.

O jornal fala com economistas que criticam o facto de Teixeira dos Santos e Sócrates terem decidido nacionalizar o banco. O efeito sistémico que eles temiam, provavelmente, não teria acontecido se, pura e simplesmente, tivessem deixado cair o banco.

É curioso como, a propósito do BPN, ouvimos críticas ferozes a Teixeira dos Santos, Sócrates e Vitor Constância, enquanto que quase se esquecem os nomes dos prevaricadores.

A Senhora Dona Filomena Mónica, que está na moda, diz numa entrevista ao I, que Sócrates é um delinquente político e que está, agora, descansadinho, em Paris, a viver à grande e à francesa. Senti alguma inveja nestas declarações da companheira do Ántónio Barreto, o qual arranjou um grande tacho, à conta da Fundação do dono Pingo Doce que, ironicamente, também é um dos donos do BIC, que acabou de comprar o BPN em saldo.

Pronto: o Sócrates foi delinquente porque nacionalizou o BPN. Mas perdeu as eleições e emigrou para França, enquanto Cavaco Silva foi reeleito presidente e continua em Belém.

Mas, como diria o nosso Presidente: ainda há-de nascer alguém mais honesto do que eu!

E, quanto ao BPN, o que é que eu tenho a ver com isso?

Wright under our beards

Friday, September 30th, 2011

O simpático sr. Jorge dos Santos, de 68 anos e um sotaque engraçado, era afinal um foragido procurado pelo FBI há 40 anos.

Vivendo tranquilamente numa pequena localidade de Sintra, o sr. Jorge, isto é, George Wright, não era apenas o vizinho prestável, mas sim um tipo condenado a 30 anos de cadeia,nos EUA, nos anos 70 do século passado, depois de ter assaltado um banco, morto um homem, desviado um avião que ia de Miami para Detroit, sequestrado os seus passageiros, conseguindo um resgate de um milhão de dólares.

Mascarado de padre, e com uma arma escondida na Bíblia, Wright conseguiu desviar o avião para a Argélia. Os seus cúmplices fugiram para Paris, onde acabaram por ser presos, mas ele decidiu ir para a Guiné-Bissau. Aí, casou com uma portuguesa e acabou por vir viver para Portugal.

Qual o espanto?

Depois do BPN e do buraco da Madeira, como é possível que ainda nos espantemos por termos bandidos a viver tranquilamente, mesmo debaixo das nossas barbas?

O miserável Professor Cavaco

Wednesday, January 12th, 2011

Cavaco Silva, desculpando-se pelo facto de ter comprado as acções do BPN:

«Eu era um mísero professor. Acha que eu, como professor, e com a minha mulher, que andámos a acumular as poupanças para a velhice e para deixar aos nossos filhos, não podemos recorrer a qualquer banco quando não temos qualquer responsabilidade política?»

Eras um mísero professor, Aníbal?!

Os professores são miseráveis?!

Se eras um mísero professor, como raio conseguiste poupar mais de 100 mil euros, para comprar acções, pá?!

Dia 23 de Janeiro vai ser um dia trágico para Portugal!

O homem mais honesto de Portugal

Saturday, January 8th, 2011

O Sol titula, na 1ª página: «Cavaco afinal vendeu barato».

O Expresso titula, na 1ª página: «Cavaco comprou acções a preço de saldo».

Eu quero lá saber se o Anibal comprou acções do BPN a preço de saldo e as vendeu mais baratas do que outros accionistas!

Eu quero lá saber se, com este joguinho, o Anibal e a sua filha, ganharam mais de 300 mil euros em dois anos!

Eu quero lá saber que o Cavaco tenho conseguido esta fortuna rápida porque era grande amigo do Oliveira e Costa, que foi seu secretário de Estado e que, neste momento, é o responsável por uma fraude que nos está a custar – a todos – uma porrada de euros (dizem que cada português já deu 500 euros ao BPN, e como há muitos portugueses que não dão nada a ninguém, porque não pagam impostos, há muitos, entre os quais me incluo, que já devem ter dado muito mais que isso, o que quer dizer que uma parte da fortuna rápida do Aníbal e da filha está a ser paga por mim, PORRA!)

Eu quero lá saber que o dinheiro investido pelo Aníbal tenha sido fruto do seu trabalho!

O que me irrita solenemente é que o homem tenha a mania que é o mais honesto de Portugal, chegando ao ponto de proclamar que ainda há-de nascer duas vezes quem seja mais honesto que ele!

O gajo confunde honestidade com oportunismo. Ninguém diz que o que ele fez com as acções do BPN é desonesto – mas por que carga de água ele vendeu as acções apenas dois anos depois de as ter comprado e, ainda por cima, com um lucro de 140%?

O que é que a honestidade tem a ver com isso?

E por quer razão ele – que é tão bom, que é tão honesto, que é tão competente – deixou que a campanha para as presidenciais resvalasse para este lodaçal de dúvidas sobre a sua própria honestidade?

Estamos lixados, malta!

No próximo dia 23 vamos eleger um presidente medíocre, amedrontado, disléxico e fraco e, logo a seguir, chega o FMI!

Merda de começo de ano!

Conto de Natal

Sunday, December 26th, 2010

Aníbal despertou cedo. Passara uma noite atribulada, acordando muitas vezes, sempre a pensar no mesmo. A ansiedade dominava-o.

Olhou para o despertador e viu que eram 7 horas. A seu lado, Maria ressonava ainda. Um fiozinho de baba escorria-lhe dos lábios entreabertos.

Aníbal resmungou qualquer coisa e virou-se para o outro lado, tentando readormecer. Era muito cedo e o Palácio estava frio como o caraças!

A austeridade obrigava a desligar os aquecimentos durante a noite e o nariz de Aníbal estava gelado. Da narina direita pendia uma estalactite de ranho transparente.

Passou mais meia-hora e o silêncio do quarto só era incomodado pelo ressonar de Maria.

Não posso mais, murmurou Aníbal e levantou-se de supetão. Uma tontura obrigou-o a sentar-se na cama com estrondo. Maria acordou, estremunhada.

Que foi isso, Aníbal? Estás a sentir-te mal?

Não consigo dormir mais, resmungou ele.

Mas são só sete e meia da manhã! Está toda a gente a dormir ainda!

Quero lá saber, ripostou Aníbal. Tenho que ir ver as prendas no sapatinho! O que será que o Menino Jesus me deu este ano?!

E Aníbal acabou por se levantar, vestiu o roupão e chinelou em direcção à cozinha do Palácio.

Desde pequenino que gostava de manter a tradição do sapatinho na chaminé e não era agora, que era uma Pessoa Importante, que ia mudar.

Contrariada, Maria chinelou atrás dele.

Chegou a tempo de ouvir um pequeno urro.

Debruçado sobre o sapato de pála, Aníbal examinava a única prenda que lá tinha, com ar apreensivo.

Já viste isto, exclamou Aníbal, com voz rouca – Só tenho esta prenda do Oliveira e Costa: acções do BPN!

Sacana do Menino Jesus!

Que lindo ar, ar-lindo!

Thursday, July 23rd, 2009

Mais um ex-colaborador de Cavaco constituído arguido.

Já só faltam poucos.

Depois de Oliveira e Costa, que foi secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, e de Dias Loureiro, que foi ministro da Administração Interna, chegou a vez de Arlindo de Carvalho, que foi ministro da Saúde.

Todos eles fizeram parte de governos chefiados por Cavaco Silva.

Coincidência, claro…

Como ministro da Saúde, Arlindo esteve ligado a…, quer dizer, foi o responsável por…, isto é, foi o grande impulsionador de…

Enfim, ninguém se lembra do que Arlindo fez como ministro da Saúde – aliás, ninguém se lembra que ele foi, sequer, ministro.

Mas foi.

E de um governo chefiado por Cavaco Silva.

Com aquele olhar de goraz, Arlindo de Carvalho disse estar tranquilo «na medida em que não cometi nenhum ilícito declarado».

E não declarado?

Enfim: mais uma razão para não votar na Manuela Ferreira Leite.

Piratas somalis e portugas

Sunday, November 23rd, 2008

Na Somália está na moda ser-se pirata, o que não admira, já que a Somália está na Idade Média.

Parece que ser-se pirata dá estatuto. Dizem que, na Somália, os piratas ficam com as raparigas mais bonitas.

Recentemente, um grupo de piratas somalis capturou um petroleiro e pediu, como resgate, 20 milhões de dólares.

A empresa que detém o petroleiro viu-se aflita para reunir a massa porque não conhecia o BPN.

O Banco Português de Negócios emprestou 20 milhões de euros ao ex-ministro pê-esse-dê da Saúde, Arlindo de Carvalho, segundo notícia do Público.

Entretanto, o ex-secretário de Estado pê-esse-dê, Oliveira e Costa, chefe do BPN e o ex-ministro pê-esse-dê, Dias Loureiro, foram a Porto Rico e compraram 75% da New Technologies e 25% da Biometrics Imagineerin. As participações nestas duas empresas custaram, ao BPN, 56 milhões de euros.

A Biometrics estava falida e a New Technologies não tinha qualquer actividade.

O que tem isto a ver com os piratas somalis?

Tudo, excepto que, estes (e outros) ex-ministros do PSD não ficaram com as raparigs mais bonitas.

Valha-nos isso!…

PS – O Professor Cavaco Silva não tem nada a ver com isto! Foi ele mesmo que disse!