Archive for the ‘Coisas da Vida’ Category

Os 50 anos dos Cem Anos de Solidão

Wednesday, June 7th, 2017

No passado dia 5 deste mês, fez 50 anos que foi publicado o livro mais famoso de Gabriel Garcia Marquez, Cem Anos de Solidão.

Quatro dias antes, tinham passado 50 anos sobre o lançamento do Sgt Pepper’s Lonely Hearts Club Band, dos Beatles.

Estes dois aniversários estão ligados na medida em que Garcia Marquez, durante os quatro meses que esteve fechado em casa a escrever o romance, tinha sempre música a tocar, nomeadamente, dos Beatles.

Ambas as obras me marcaram muito e ao ler o texto que a Revista do Expresso publicou no passado sábado (O livro que ele não derrotou), ao recordar as peripécias que envolveram a escrita dos Cem Anos, quase que fiquei com vontade de reler o livro.

Garcia Marquez desempregou-se para escrever os Cem Anos e durante quatro meses fechou-se numa pequena sala na sua casa e escreveu. Mercedes, a sua mulher, tratava do resto, nomeadamente dos dois filhos, mas o dinheiro começou a escassear e foram obrigados a penhorar e depois vender o Opel, que era o orgulho do escritor. Em seguida, penhoraram as poucas jóias, a televisão e até o frigorífico, além de terem ficado a dever ao talhante, que lhes continuou a vender carne e até à tabacaria, onde Marquez comprava os três maços de cigarros que devorava todos os dias.

Há muitos pormenores como estes que se tornaram lendários, assim como o livro, e alguns deles talvez tenham sido inventados e tornados realidade depois de terem sido contados tantas vezes.

No entanto, acho que não vou reler os Cem Anos de Solidão porque tenho receio de ficar desiludido.

Li-o em Maio de 1978, com 25 anos, numa edição da Europa-América e todo aquele “realismo mágico”, como lhe chamam, me fascinou. Durante anos, se me perguntassem qual o melhor livro que tinha lido até então, diria, sem hesitação, Cem Anos de Solidão.

Passaram 40 anos e, entretanto, li milhares de livros e já não sou capaz de dizer qual é, para mim, o melhor livro que já li. Aliás, quanto mais livros leio, quanto mais música oiço, menos capaz sou de fazer listas de best of

É por isso que acho que li os Cem Anos de Solidão na altura certa e quero ficar com aquela boa recordação do livro, que uma nova leitura talvez estragasse.

Já agora, quanto ao outro cinquentenário, o do Sgt Pepper’s, continuo a preferir, de longe, o White Album e até o Abbey Road, embora perceba que o Sgt. Pepper’s tenha sido um marco.

Sabiam que, entre muitas outras inovações, foi a primeira vez que as letras das canções apareceram impressas na capa do disco?…

Paris forever!|

Saturday, June 3rd, 2017

Benfica tira Portugal do Processo por Défice Excessivo

Sunday, May 14th, 2017

António Costa e Mário Centeno estiveram ontem no Estádio da Luz a assistir à vitória do Benfica por 5-0 ao Guimarães e, assim, conquistar o Tetra-campeonato.

Aproveitaram a oportunidade para agradecer ao Benfica a saída de Portugal do Processo por Défice Excessivo, feito só conseguido graças à conquista do 4º campeonato consecutivo e do 36º, no cômputo geral.

A importância desta conquista foi confirmada por diversas entidades internacionais: o próprio Papa foi-se embora mais cedo para poder assistir, via Benfica TV, ao jogo decisivo; também Emanuel Macron adiou para hoje a tomada de posse como Presidente dos franceses para poder assistir ao jogo.

Escusado será dizer que a vitória de Salvador Sobral aconteceu graças, não só à simplicidade da canção, mas sobretudo ao facto de toda a gente, dos sérvios aos gregos, estarem com os olhos postos em Portugal, quanto mais não fosse, por solidariedade para com Feija, Mitroglou e Samaris.

Com a ida ao Estádio da Luz, António Costa deve ter perdido os votos de muitos sportinguistas e portistas, mas como foi a Fátima e aguentou a missa papal toda, em pé, e ficou com os filhos do pateta do Tavares na sexta-feira, deve safar-se nas próximas eleições.

Agora vos digo: quem for ateu, do Sporting e só gostar de música erudita, hoje deve sentir-se muito infeliz ao ver os telejornais.

Pensando melhor, se é do Sporting, deve ser religioso e acreditar em milagres e, muito provavelmente, nem sabe o que é música erudita.

Compensações…

Um bispo muito pouco católico

Sunday, April 23rd, 2017

D. Carlos Azevedo – aí está um bispo que tem ideias próprias.

Antes de continuar, gostaria de perguntar por que raio os bispos têm direito a Dom.

Então, D. Carlos Azevedo diz, por exemplo, isto:

 

 

 

 

 

 

Ora se Maria não vem do céu por aí abaixo, como raio apareceu ela em cima de uma oliveira, ali para os lados de Fátima?

Mas o bispo diz mais:

 

 

 

 

 

Se Nossa Senhora não aprendeu português para falar com Lúcia, como raio soube ela que o 3º segredo de Fátima era sobre o fim da União Soviética?

Foi por gestos?

Com bispos destes, a igreja católica não precisa de ateus!

Hóstias para Venezuela!

Sunday, April 2nd, 2017

A Páscoa aproxima-se e a Venezuela não tem farinha, nem para hóstias!

Segundo, a freira Concépcion Gómez, superiora das Servas de Jesus, em Caracas, “se não há farinha, não há hóstias, e sem hóstias não há eucaristia”, que é como quem diz “sem dinheiro, não há palhaços e, sem palhaços, não há circo”.

De facto, o que neste momento deve preocupar mais os venezuelanos, é o facto de não haver farinha que chegue para as hóstias.

O pão e os bifes que se lixem!

Segundo a freira, a produção diária costuma ser de 80 mil hóstias diariamente mas, sem farinha, o parabólico corpo de deus não pode ser fabricado.

Culpa dos portugueses, pois claro!

A maioria das padarias na Venezuela são propriedade de portugueses e os malandros parece que andam a desviar a farinha para o fabrico de croissants e bolos, em vez de a cederem para as sagradas hóstias!

Com croissants e bolos se enganam os tolos!

Diz a notícia que, em algumas paróquias, as hóstias têm que ser racionadas, divididas em quartos, o que quer dizer que cada católico só tem direito a receber um quarto do corpo do Senhor, o que cria alguns embaraços, como se pode imaginar…

Agora que se aproxima a visita do Papa a Portugal, seria uma boa altura de os católicos portugueses se solidarizarem com os seus congéneres venezuelanos. Bastava que cada peregrino que vai a Fátima ver o Papa, cedesse a sua hóstia a um venezuelano.

Na Venezuela, está em curso uma campanha “doe a farinha, por amor de Deus”.

Em Portugal – e mostrando a importância de termos mais dois candidatos a santos – poderíamos iniciar a campanha “não engula a sua hóstia – envie-a para Caracas, caraças!”

Aqui fica a sugestão.

Não comam amendoins servidos em taças nem enfiem telemóveis no cu!

Saturday, April 1st, 2017

A recente epidemia de hepatite A dá direito a grandes dislates.

Facto: a hepatite A transmite-se por via fecal-oral.

Quando comecei a trabalhar como médico, em 1978, ainda apareciam alguns casos raros, relacionados com os muitos bairros de barracas que existiam em Lisboa e arredores, a inexistência de esgotos, a pobreza extrema de um país a sair ainda de um atraso de décadas.

As condições sanitárias melhoraram progressivamente e os casos de hepatite A tornaram-se episódicos.

Voltaram agora, aparentemente relacionados com práticas sexuais que envolvem múltiplos contactos e pouca higiene.

Ora, se a transmissão do vírus se faz por via fecal-oral, o excelente jornal Sol, chega a esta conclusão:

Sim, de facto, se eu estiver infectado, for à casa de banho cagar, limpar o cu e, de seguida, sem lavar as  mãos, for comer amendoins servidos numa taça e se, depois, outra pessoa qualquer, comer amendoins dessa mesma taça, essa pessoa pode apanhar hepatite A.

Do mesmo modo, se eu estiver infectado com o vírus da hepatite A e tiver o péssimo hábito de enfiar o meu telemóvel no cu e, depois, o emprestar a outra pessoa, posso estar a transmitir-lhe o vírus.

Ora se fossem dar banho ao cão (com as mãos lavadas, claro)!

O holandês invejoso

Saturday, March 25th, 2017

Jeroen Dijsselbloem é um invejoso.

Já toda a gente sabe que ele disse que não se pode gastar o dinheiro todo em álcool e mulheres e, depois, vir pedir dinheiro emprestado.

E eu só quero perguntar-lhe: porquê?

Por que raio não se pode gastar o dinheiro todo em álcool e mulheres?

E o que tem de mal ir, depois, pedir dinheiro emprestado?

Onde está escrito que isso está errado?

Seria correcto, por exemplo, gastar o dinheiro todo em doces e panados de frango?

Ou gastá-lo todo em canabis e rapazinhos imberbes?

Ou então, aproveitar o trabalho dos outros e ir lá colher os frutos, como fizeram os holandeses da Liga Hanseática, depois dos portugueses se terem desleixado com os copos e as gajas?

Ou ainda, sacar as empresas dos outros e cobrar-lhes os impostos?

É bom que o nome de Dijsselbloem fique registado porque o tipo há de aparecer por aí, no Algarve ou em Ibiza, nem que seja quando estiver reformado.

Nessa altura, a gente conversa.

 

Now I’m 64!

Sunday, March 19th, 2017

Quando eu tinha 15 anos, os Beatles editaram o famoso Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band.

Uma das canções desse álbum, When I’m 64, não me tem saído da cabeça há vários dias, por duas razões: por um lado, porque a canção é orelhuda, daquelas que entram no ouvido e de lá não querem sair, e por outro porque completei ontem 64 anos.

Quando compuseram esta canção, Lennon e McCartney tinham 28 e 26 anos e deviam achar que chegar aos 64 anos era algo de tão longínquo, que eles próprios questionavam: will you still feed me, will you still need me, when I’m 64.

Pois meus amigos, I still need you, I still feed you, I still many things more…and I’m 64!

Em verdade vos digo que ter 64 anos não é nada de especial: continuo a fazer as mesmas coisas que fazia, mas com mais habilidade. E deixei de fazer uma coisa importante, que foi fumar, e comecei a fazer outra, muito melhor, que é correr – ainda hoje corri a minimaratona de Lisboa em 51 minutos, a 6 minutos e 33 segundos por quilómetro.

Portanto, se estão com medo de envelhecer, não estejam e dou-vos apenas um conselho: não se ralem com ninharias.

Leituras aconselhadas: 62 anos e 63 anos.

A Caixa – quadras soltas

Friday, February 17th, 2017

Mário Centeno
Por causa da Caixa
Bebe veneno
E mete baixa

António Costa
Sempre a sorrir
Ignora a bosta
E é sempre a abrir

Quanto ao Marcelo
Um pouco enrascado
Alisa o cabelo
E apascenta o gado

O Passos Coelho
Tão indignado
Parece um fedelho
De risco ao lado

A Cristas, então
Muito zangada
Quer demissão
Não quer mais nada

E nós que deixamos
na Caixa, poupanças
em vão gritamos
abaixo as caganças!

E mesmo sem rimar
o que não é grande perda
deixem-me em paz
e vão todos à merda!

Jerónimo, aproveita agora!

Saturday, January 14th, 2017

Factos:

1. O governo de António Costa conseguiu assinar um acordo com os patrões e os sindicatos da UGT para aumentar o salário mínimo nacional, a troco de uma descida da TSU para as empresas.

2. O governo de coligação PSD/CDS já tinha feito o mesmo há dois anos.

3. O PCP e o BE sempre foram contra a descida da TSU das empresas; dizem que, deste modo, os patrões vão continuar a pagar salários mínimos porque isso lhes dá benefícios e que é o Orçamento do Estado que fica a pagar a descida da TSU.

4. O PCP vai apresentar, na Assembleia da República, uma proposta para anular a descida da TSU e, portanto, inviabilizar o acordo alcançado entre patrões e UGT; o Bloco de Esquerda, apoia esta iniciativa.

5. O PSD também votará ao lado do PCP e do BE.

Porque sim.

Claro que já aconteceu no passado. Todos se recordam que o governo do Sócrates foi derrubado por uma coligação de PCP, BE, PSD e CDS.

O ressabiado Passos Coelho disse que votará ao lado do PCP e do BE porque se os da chamada geringonça não se entendem, por que raio há de ser ele a ajudá-los.

Portanto, não vota porque acha que é errado baixar a TSU, ou subir o salário mínimo.

Vota a favor do PCP e do BE apenas por raiva por lhe terem tirado o poleiro.

Jerónimo de Sousa, se estás a ler este texto, ouve o que te digo e aproveita agora: apresenta no Parlamento uma moção a favor da saída de Portugal do euro, que é uma coisa que vocês, comunistas, há muito defendem.

Sabemos que o PS quer continuar no euro, mas certamente que o PSD votará ao vosso lado, só para foder o Costa!

Aproveita, Jerónimo, não sejas palonço!