Tudo é e não é, simultaneamente

O poeta surrealista António Maria Lisboa, numa texto intitulado “Esta não é a minha letra”, concluía que “tudo é e não é, alternadamente”.

Estava enganado.

Vejamos.

Primeira página do Expresso de hoje:

“Guterres mantém Belém em aberto”

Primeira página do Público:

“Guterres pode ficar na ACNUR sem perder corrida a Belém”

Primeira página do i:

“Guterres não é candidato às presidenciais”

Portanto, tudo é e não é, simultaneamente…

One thought on “Tudo é e não é, simultaneamente

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.