A águia Vitória não volta a voar sobre a Catedral!

À margem da goleada do Benfica (5-2 ao Rio Ave), muitos terão reparado que, ontem, a águia Vitória não fez o seu habitual voo sobre o Estádio da Luz.

Essa falha ficou a dever-se a um conflito desagradável entre o treinador da águia, o espanhol Juan Bernabé, e alguns seguranças do estádio, nomeadamente um chamado Rui Pereira.

Diz o Bernabé que o tal Rui o proíbe de aceder ao relvado pelo túnel dos jogadores e que o pódio da águia deixou de ficar no sítio do costume. Em vez disso, está num local mais exposto aos comentários desagradáveis das equipas adversárias.

Acrescenta o espanhol, com desgosto: “Passei a ser humilhado por seguranças do Sporting e do FC Porto, que me insultam, cospem e apagam cigarros no pódio da águia”.

Eu penso que o Bernabé podia queixar-se à Protectora dos Animais. Não me parece muito ecológico apagar cigarros no sítio onde a águia come os seus bifes…

Mas enfim… Juan Bernabé está zangado com o Benfica e a águia nunca mais sobrevoará a Catedral.

Mas parece que o tipo já tem um novo projecto: fazer voar leões sobre o estádio de Alvalade…

Lagarto pintado, quem te pintou?

Num directo, na SIC Notícias, o jornalista António Cancela, referiu-se ao treinador do Sporting, Paulo Sérgio, como “o treinador dos lagartos”.

O Sporting não gostou e cortou relações com o canal televisivo.

Quer dizer, os lagartos consideram um insulto serem chamados de lagartos!

Um sportinguista ferrenho que diga “sou lagarto desde pequenino” está, portanto, a ofender o clube.

Lagarto, assim como lampião e tripeiro são, pelos vistos, insultos. Vou ter que os juntar à minha longa lista que já vai quase nos 500 termos injuriosos.

O que será mais insultuoso, afinal: dizer «o palerma do treinador do Sporting» ou «o inteligente treinador dos lagartos»?; «João Moutinho sempre foi leão» ou «Maniche é um lagarto do coração»?

Leão é elogio e lagarto, insulto?

O Sporting, sendo verde, e portanto ecologista, devia saber que, no reino animal, tanta importância tem o leão como o lagarto.

Se os de Alvalade tivessem ignorado o tal Cancela, com a audiência que a Sic Notícias tem, quase ninguém tinha sabido do caso. Assim, respondendo ao pretenso insulto, os leões mostraram que, afinal, não passam de lagartos…

O Benfica só ganha a coxos!

2-0 ao Sporting é alguma coisa de especial?

Eu queria ver era o Benfica ganhar a grandes equipas como a Académica ou o Nacional ou o Guimarães – agora àqueles coxos de verde e branco?! Até a equipa dos reformados da Carris ganhava!

Até o Cardozo, que precisa de rematar dez vezes para marcar um golo, ontem marcou dois e ia marcando outros tantos!

Até o Roberto, que tem um buraco em cada mão e costuma deixar passar a bola por entre os olhos, defendeu o pouco que houve para defender!

O Sporting teima em ser treinado por gajos chamados Paulo. Depois do Bento, veio o Sérgio. Têm que continuar à procura.

Ainda têm o Paulo Autuori.

E o João Paulo Segundo…

(ou esse já morreu?)

Por que razão o Sporting só levou 2 na pá

Ficou combinado que, neste Benfica-Sporting, só marcariam golos aos lagartos os jogadores encarnados com as seguintes características:

– Que falassem espanhol

– Que tivessem nascido a sul do Equador

– Que tivessem orelhas de tamanho normal

Esta decisão teve a ver com o facto de todos os jogadores do Benfica quererem marcar um golo ao Sporting, o que iria dar uma embrulhada das antigas: por um lado, seria um engarrafamento à entrada da grande área dos lagartos, tudo a querer rematar à baliza; por outro, teríamos uma goleada que punha a cabeça do Costinha a prémio – e nós ainda temos muito para gozar com o Costinha como director desportivo de Alvalade…

Portanto, vistos os actos e ponderados os factos, só o Cardozo, que nasceu no Paraguai e o Aimar, que é argentino, cumpriam aquelas condições – e foram eles que marcaram golo.

O Javi ainda tentou, mas todos lhe disseram: ok, tu falas espanhol, mas nasceste bem a norte do equador; não podes marcar.

Quanto ao Di Maria, com aquelas orelhas à Dumbo, nem tentou.

O Máxi e o Saviola reuniam as condições para meter a bola no fundo da baliza do Sporting, mas o uruguaio estava castigado e o argentino, lesionado e não puderam jogar.

E foi por isso que o Sporting, ontem, só perdeu por 2-0.

Já a formiga tem catarro!

E não é que o Sporting conseguiu marcar um golo ao Benfica? 

Nada mau!

Para uma equipa de meio da tabela, deve ter sido um orgulho só ter levado 4 golos e ainda ter conseguido marcar um.

Sejamos justos: aquele algarvio que o Sporting tem, o tal Liedson, até nem é mau jogador e aquele golito deve ser, para ele, o topo da carreira como ponta-de-lança.

De resto, tudo normal.

Fica confirmado que esta treta da Taça da Liga acaba sempre com dois clubes grandes na final.

Não se percebe por que razão continuam a deixar que estes clubes pequenos participem, como o Pinhalnovense ou o Sporting. Acabam sempre por ser eliminados e, embora possam dar um arzinho da sua graça, como fez ontem o Sporting, é sempre tempo perdido.

Mas não quero deixar de dar uma palavra de apoio ao clube de Alvalade: continuem nessa senda. Talvez um dia, quem sabe?…

Tomba-gigantes

Um dos grandes atractivos da Taça de Portugal é este: de vez em quando, uma pequena equipa, com um pequeno orçamento, intromete-se entre os grandes e consegue fazer um brilharete.

Estou a falar, obviamente, daquele pequeno clube regional do norte, o Futebol Clube do Porto, que ontem conseguiu eliminar  o Sporting da Taça de Portugal – e logo com um resultado expressivo de 5-2.

Embora conheça mal a equipa do FCP, tenho que lhe tirar o chapéu, já que todos os ordenados de todos os seus jogadores juntos não dariam sequer para pagar as botas do Liedson.

A exibição do Sporting foi lamentável e, embora não tenha visto o jogo, posso dizer – como o Mário Crespo – que ouvi dizer que tinha sido uma merda.

E se eu ouvi dizer é porque é verdade e quem me desmentir quer calar a comunicação social e instaurar uma ditadura socrática.

Parabéns FCP! Vocês têm futuro!

Espero que, em breve, deixem os campeonatos regionais e possam vir a jogar com os clubes a sério…

Ah leão!

Só agora comento a cena de porrada entre Sá Pinto e Liedson porque só agora me passaram os espasmos de tanto rir…

A coisa ainda teve mais graça porque aconteceu no dia em que a Academia do Sporting foi considerada a melhor da Europa, e no dia em que a equipa sofreu três golos made in China.

Percebe-se por que razão a Academia de Alcochete é a melhor da Europa: se os seus alunos não se portam como deve ser, o director desportivo dá-lhe umas valentes murraças nas ventas que é para aprenderem.

Compreende-se que Sá Pinto estivesse nervoso: há muito tempo que o Sporting não sofria três golos no mesmo jogo e, ainda por cima, marcados pelo mesmo chinês que, em vez de estar na loja a vender quinquilharia, foi a Alvalade humilhar o leão. O chinês chama-se Zang – e Sá Pinto ficou zangado.

Também há quem diga que Sá Pinto é assim uma espécie de “serial killer” ou, melhor dizendo, “serial boxer”. Tal como esses criminosos que, por vezes, estão anos parados e, depois, quando algo os irrita, voltam a matar, também Sá Pinto, depois do soco em Artur Jorge, esteve muitos anos sem bater em ninguém da selecção nacional. Teve que esperar que Liedson se naturalizasse e que Carlos Queirós o convocasse para a selecção para o poder esmurrar.

Diz-se que a cena de pancadaria foi provocada por uma observação que Liedson fez à atitude dos sócios perante a fífia do guarda-redes leonino, que deu origem ao segundo golo de Zang, mas eu acho que fui tudo uma confusão entre futebol e soccer.

Não foi bem uma caldeirada – foi mais bacalhau à Gomes de Sá Pinto com Liedson a murro.