Ladrão que rouba a ladrão…

Notícia do DN de hoje:

«Um homem de 59 anos assaltou por sete vezes no espaço de apenas um mês a mesma caixa de esmolas da Capela do Senhor dos Aflitos, em Valença, de onde levava dinheiro para tabaco ou bebidas».

Este delicioso parágrafo diz-nos várias coisas:

1º – que alguém contou quantas vezes o homem gamou a caixa das esmolas

2º – que, se o homem estava aflito por dinheiro, foi ao sítio certo: Capela do Senhor dos Aflitos

3º – que, se o homem gastasse o dinheiro roubado em feijão verde ou peixe ou pão, talvez não fosse notícia

Perante este desaforo, o que aconteceu?

«A GNR montou uma operação de vigilância no local e na última vez apanhou-o em flagrante, durante a madrugada»

Nunca visitei esta Capela mas, pelo que conheço das capelas de Portugal, deve ter lugar para o altar, a caixa das esmolas, o ladrão e, no máximo, dois GNR’s, desde que não tenham o abdómen muito proeminente.

Pergunto: onde se terão escondido as autoridades para surpreenderem o larápio?

A notícia prossegue:

«Fontes da paróquia contactadas pelo DN estimaram o montante destes furtos em “algumas dezenas de euros”, admitindo a necessidade de reforçar a segurança, mas sem adiantarem mais pormenores»

Reforçar a segurança?

Três GNR’s em vez de dois?

E ainda bem que “não adiantaram mais pormenores”. Não queremos que futuros ladrões conheçam os planos de segurança que vão ser implementados na Capela do Senhor dos Aflitos!

Mas isto levanta uma questão bíblica: será que os responsáveis pela Capela declaram IVA pelas esmolas? Não estarão eles a fugir ao fisco e, no fundo, a roubar o Estado?

Sendo assim, o ladrão terá cem anos de perdão, ou não?…

PS – Obrigado, correspondente do DN em Viana do Castelo, por mais uma notícia formidável!

Meteóricos

* Alcácer do Sal: Homem fugiu pela janela do tribunal e está a monte – em Alcácer não deve haver muitos montes; deve ser fácil encontrá-lo

* Alberto Martins eleito líder parlamentar do PS com 69% dos votos – eleições malandrecas…

* Motorista simulou o roubo de 22 toneladas de bacalhau – vai finalmente provar que existem mil maneiras de cozinhar bacalhau

* Papa “sofre com papel reduzido da mulher” dentro da igreja – mas o que é que o Papa quer que elas façam mais, além de se ajoelharem?

* O criminalista Barra da Costa afirma saber onde mora o famoso estripador de Lisboa – o famoso estripador também sabe onde mora o criminalista…

* Rádios de polícias nos Açores custam 30 milhões – devem apanhar estações australianas

* Mário Soares, sobre o governo: “estes senhores têm de ser julgados, depois de saírem do poder” – Ó Marocas, depois? Por que não já agora, pá?

* CGTP insiste na manifestação na Ponte 25 de Abril – por que não cobrar portagem a cada manifestante?

Re(a)lações

1. O que é que isto:

Berlusconi quer cumprir pena em trabalho comunitário

Tem a ver com isto:

Noiva de Berlusconi “é lésbica”, diz amiga?

2. O que é que isto:

Novo corte salarial pode atingir mais 170 mil funcionários públicos

Tem a ver com isto:

Portugal vende 12 caças F16 à Roménia por 78 milhões de euros?

3. O que é que isto:

Menezes suspende mandato no Porto

Tem a ver com isto:

Dois milionários russos “queimam” 150 mil euros num bar em apenas três horas?

4. O que é que isto: 

Imagem de Fátima “preparada para ir ver o Santo Padre”

Chapéus há muitos? Palerma!

Chapéus há muitos, seu palerma?

Nem sempre.

O ex-piloto de fórmula 1, Michael Schumacher, assinou um contrato de patrocínio com um banco alemão.

Schumacher compromete-se a usar sempre um chapéu com o logotipo do banco e, em troca, recebe 21 milhões de euros nos próximos sete anos.

Chapéus como este, não há muitos… e palerma, sou eu…

Bush (pai) lamentou a morte de Mandela

George W. Bush (pai) deu, nas últimas horas, as condolências aos sul-africanos pela morte de Nelson Mandela.
 
Trata-se de um gafe do ex-presidente norte-americano.
 
O assessor de Bush já assumiu o erro e pediu desculpas.
 
Quem já morreu há muito tempo foi o próprio George Bush (pai e filho).
 
Só que ninguém os informou.
 
Ainda…

Quanto tempo demora uma barata da China até aqui?

A notícia é já de segunda-feira passada mas fiquei à espera até agora.

E nada!

Na segunda-feira, o DN titulava: «Um milhão de baratas escapam de uma quinta».

E a notícia explicava: «pelo menos um milhão de baratas que se destinavam ao fabrico de remédios de medicina tradicional chinesa fugiram de uma quinta na China, depois de ter sido destruído o local onde se reproduziam».

A notícia causou-me perplexidade por vários motivos.

Em primeiro lugar, como sabem eles que fugiram um milhão de baratas?

Contaram as pernas e dividiram por seis?

Tinham as baratas numeradas e fizeram uma chamada, depois da fuga?

Depois, a perplexidade aumentou quando percebi que as baratas se destinavam ao fabrico de remédios de medicina tradicional chinesa.

Então os chineses tomam Ben-u-Ron feito de baratas?

Xaropes para a tosse à base de baratas?

Supositórios com baratas?

Um milhão de baratas, são muitas baratas.

Um milhão de baratas em fuga são uma verdadeira arma de destruição maciça!

Hoje é quinta-feira.

Passaram três dias e ainda não vi nenhuma barata chinesa.

Posso ficar descansado?…

Quem não tem cão…

Este título do Diário de Notícias de hoje, deixou-me curioso:

«Alerta para roubos com ferros de engomar».

Roubos com ferro de engomar?

Fui ler.

Parece que nos subúrbios da capital de Moçambique, existem grupos de bandoleiros que assaltam transeuntes, armados com ferros de engomar: ou passas para cá a massa, o relógio e o telemóvel ou levas com o ferro de engomar nos cornos!

Coisas do terceiro mundo.

Por cá, ainda havemos de ver assaltantes armados de Bimbys…

Silly Season – Top Ten

Dez coisas completamente idiotas que a comunicação social teima em publicitar:

1 – A Oprah Winfrey quis comprar uma mala numa loja de luxo em Zurique e a empregada não lha quis vender

2 – Jorge Sampaio foi nadar na praia da Luz e ficou sem pé mas conseguiu voltar para a praia

3 – Rui Machete comprou acções do BPN a um euro e vendeu-as a 2,20 e agora é ministro dos Negócios Estrangeiros

4 – Cavaco Silva também comprou e vendeu acções do BPN com 150% de lucro e agora é presidente da República

5 – O primeiro-ministro tem um secretário de Estado adjunto que decidiu fazer briefings diários com os jornalistas

6 – Esse secretário de Estado adjunto chama-se Lomba e os briefings passaram a ser bi-semanais

7 – Afinal, foram suspensos (os briefings)

8 – A entrevistadora Judite de Sousa pediu o divórcio a Fernando Seara, conhecido como o “careca do Benfica”, que assim se arrisca a ficar sem mulher e sem candidatura, se o Tribunal Constitucional também lhe der com os pés

9 – Barack Obama está de férias em Martha’s Vineyard e Passos Coelho preferiu Manta Rota

10 – Curiosamente, Cavaco passa férias na Coelha…

 

E de quem são as tuas pernas, afinal?

Dois textos publicados hoje no DN, na mesma página, deixaram-me perplexo.

O primeiro tem como título “Mulheres fazem operações para ter braços como os de Michelle Obama”.

Ficamos a saber que, segundo números da associação americana dos cirurgiões plásticos, as cirurgias plásticas a braços, aumentaram 4 mil por cento, desde 2000.

Parece que as mulheres norte-americanas querem ter os braços semelhantes aos de Michelle Obama, bem tonificados, sem badanas.

Mais abaixo, na mesma página, outro texto intitulado: “Kate Middleton tem o nariz mais cobiçado”.

Segundo o New York Daily News, as mulheres norte-americanas têm acorrido aos consultórios dos cirurgiões plásticos, pedindo para que lhes moldem os narizes, de modo a ficarem semelhantes ao nariz da futura rainha de Inglaterra.

Qualquer dia, olhando para uma norte-americana, poderemos dizer: tem os olhos do pai, a boca da mãe, os braços da Michelle Obama e o nariz da Kate Middleton…

Transpondo estas modas para a política nacional, tive uma visão medonha!

Imaginem um primeiro-ministro com a voz do Vitor Gaspar, o cabelo da Paula Teixeira da Cruz, o nariz do Paulo Portas, as orelhas do Passos Coelho e o queixo do Cavaco Silva.

Assustador!

 

Até os larápios estão em crise

Uma pequena notícia do DN comprova que a crise atingiu todos os sectores da sociedade, incluindo os larápios.

Na tranquila cidade de Bragança, uma mulher foi detida por ter roubado um polvo congelado, num hipermercado.

A mulher devolveu o polvo mas o juiz não perdoou e, seguindo a máxima, segundo a qual, “o polvo congelado jamais será roubado”, determinou que ela ficasse com termo de identidade e residência, até ser presente a tribunal.

Na mesma cidade, três outros larápios roubaram, de um expositor, sete relógios, no valor total de 240 euros.

Vejam bem: um polvo congelado e sete reles relógios, que nem 35 euros cada um valiam!

A crise toca a todos!