Batoteiros!

E à falta de melhor, Passos Coelho decide fazer batota e chama para a campanha o Senhor!

Segundo o Expresso, o líder da Coligação PàF anda com um crucifixo no bolso, que lhe ofereceram em Leiria e, conforme confidenciou, andará com ele no bolso até sexta-feira.

Durante a visita a um Lar de idosos, um repórter perguntou a Passos se “tem fé nos resultados”. Diz o Expresso que “Passos agarra a chance e vai ao bolso. Exibe. A cruz. A direita gosta disto.”

A Comissão Nacional das Eleições deveria actuar! Não é justo que Passos tenha a ajuda de Nosso Senhor Jesus Cristo! É injusto!

Por que razão Cristo há-de ajudar Passos, que é divorciado, e Portas, que nem sequer é casado e não, por exemplo, António Costa, que até pertence a uma minoria étnica (e sabemos como Jesus gosta de minorias…!)

passos velhinha

Revisionistas!

Passei ontem pela rotunda do Centro Sul e vibrei com o cartaz do MRPP que exigia, finalmente, a morte aos traidores de Portugal!

Regozijei!

Até que enfim que aparecia um partido com a coragem de proclamar o que todos pensamos: os traidores merecem a morte!

O facto de a pena de morte para crimes políticos ter sido abolida, em Portugal, em 1852, é apenas um pormenor – altera-se a Constituição!

Restava saber o método da execução: enforcamento, fuzilamento?

Nada daqueles métodos mariquinhas que os americanos inventaram, como a cadeira eléctrica ou a injeção letal.

Fuzilamento, sem dúvida – e num local público, tipo Estádio Nacional.

2015-09-26 10.13.36Mas eis que hoje, no mesmo local, deparei com o mesmo cartaz, mas com uma pequena grande alteração…

Em vez da frase “Morte aos traidores!”, os militantes do MRPP, durante a noite, substituíram-na por “Fora o euro!”

Ó Garcia Pereira, francamente, ficaste de repente com cagufa?

Estavam os operários e camponeses, soldados e marinheiros, já a afiar a moca para limpar o sebo aos traidores, graças ao Movimento Reorganizativo do Partido do Proletariado, e tu, sem mais nem menos, recuaste?

Não passas de um revisionista, pá!

 

Debatem leve, levemente…

Como quem chama por mim
Será Costa, será Passos?
Catarina não é certamente e Jerónimo não debate assim…

Têm sido assim os debates eleitorais… leves.

Leves e chatos!

A fórmula está esgotada. Temos que alterar o figurino dos debates entre candidatos.

Proponho que os debates ocorram em locais improváveis e que os candidatos se vistam a rigor.

Exemplos: António Costa, vestido de faquir e Passos Coelho de gato-pingado na arena do Circo Chen;

Marinho & Pinto de Comanche e Garcia Pereira de escafandro na piscina municipal de Odivelas;

Paulo Portas de Joana D’Arc e Joana Amaral Dias vestida, na praia da Cruz Quebrada;

Catarina Martins de Rainha Santa e Jerónimo Sousa de Super-Homem, a bordo de um Cacilheiro.

Seria, pelo menos, mais engraçado.

Palhaços ricos, palhaços pobres

Não há eleições sem palhaços.

Sem palhaços, não há circo.

Sem circo, as eleições não têm graça.

A campanha das legislativas ainda não começou e, por enquanto, só temos tido umas bocas do Portas, outras do Costa, outras do Passos.

Tudo dentro dos conformes.

Mas os verdadeiros palhaços ainda não tinham entrado em cena.

Até ontem.

Ontem, o Paulo Rangel meteu a cabeça de fora e abriu as hostilidades.

Disse que, se o PS estivesse no governo, o Sócrates e o Ricardo Salgado não estariam em investigação.

O que quer dizer, por outras palavras, que um dos Poderes, o judicial, está sob o comando do poder político.

Portanto, o facto do Sócrates estar em prisão preventiva e do Salgado estar confinado ao domicílio, é tudo obra e graça do governo do PSD, e não porque eles sejam culpados seja do que for.

É de supor que, por esta ordem de ideias, o Oliveira e Costa está detido porque o governo era do PS e, se o governo fosse do PCP, estariam todos presos, incluindo o palhaço do Paulo Rangel.

E, claro, se o governo fosse do Partido Nacional Renovador, o Jerónimo seria o primeiro a ir dentro, mas os do PSD também não se safariam… e daí?…

rangel

Vão ser umas eleições tristes!

Estava ligeiramente excitado com as próximas legislativas e com as presidenciais.

Mas hoje, levei com dois baldes de água fria: Carmelinda Pereira confirmou que não concorre às legislativas e Santana Lopes anunciou que não concorre às presidenciais.

O que vai ser da campanha eleitoral sem a participação dessa formidável porta-voz da classe operária?

O que seria da democracia portuguesa sem o Partido Operário de Unidade Socialista (POUS)?

Carmelinda Pereira e Aires Rodrigues, respectivamente, a secretária-geral e o militante do POUS, vão fazer muita falta na campanha.

E que dizer da desistência do Sr. Lopes?

Já imaginaram a campanha para as presidenciais sem o Santana Lopes?

Uma seca!

É por isso que eu acho que devíamos organizar uma petição a exigir as candidaturas de Carmelinda e Lopes.

Faz uma coisa linda – apoia Carmelinda!

Toda a Presidência abana com a candidatura do Santana!

Este povo merece…

A sondagem que o DN publica hoje diz tudo sobre o eleitorado português.

Graças a essa sondagem, ficamos a saber que:

1. 62% dos inquiridos acha que o desempenho do governo Passos-Portas é mau ou muito mau;

2. Considerando os líderes dos partidos com representação parlamentar, são os líderes do PSD e do CDs que têm piores notas, numa escala de zero a vinte: Passos fica-se por 7,5 e Portas não vai além de 6,3;

3. Quando se pede aos inquiridos que definam Passos Coelho numa única palavra, a mais votada é “mentiroso”

Por tudo isto não é de espantar que, segundo a mesma sondagem, caso as eleições se realizassem hoje, Passos e Portas voltavam a ganhar.

O que a malta quer é mentirosos, medíocres e maus e muito maus governantes à frente dos destinos de Portugal!

E o António Gosta?

Os resultados das eleições europeias sugerem-me as seguintes perguntas:

– O Seguro vai morrer de velho?

РMarinho e Pinto ̩ dois?

РSe, em vez de se chamar Movimento do Partido da Terra, se chamasse Partido do Movimento da Terra, ṇo seria o mesmo que Partido do Terramoto?

РE ṇo foi isso que aconteceu com a vota̤̣o do MPT Рum terramoto?

– O Bloco bloqueou?

– Dos três deputados da CDU, que parte cabe aos Verdes: as pernas do 3º deputado?

РA Alian̤a Portugal ̩ pechisbeque?

– O Garcia Pereira não há meio de Reorganizar o Partido do Proletariado?

РMarinho ̩ diminutivo?

– O PS está triste pela vitória e o PSD-CDS está eufórico com a derrota?

РNingu̩m tem coragem de divulgar os nomes dos 3 692 tipos que votaram na Carmelinda Pereira?

– O Seguro está bem seguro?

– E o António Gosta?…

 

Gosto muito das campanhas eleitorais

Eu gosto muito das campanhas eleitorais.

É graças a elas que vemos como os políticos afagam criancinhas, beijam peixeiras, deambulam por mercados e feiras, distribuem canetas e bonés, conversam com senhoras à janela, acenam, cumprimentam e abraçam.

Se não fosse a actual campanha eleitoral, ficaríamos sem conhecer aquele simpático senhor do Partido da Vida que, se for eleito para Bruxelas, quer realizar um novo referendo sobre o aborto em Portugal, ou o outro senhor, não menos simpático, do Partido dos Animais, que andou a distribuir sementes biológicas na Feira da Ladra.

E foi também a campanha que nos mostrou Marinho Pinto, como candidato do Movimento Partido da Terra, a perorar contra a política-espectáculo e a meter-se, depois num side-car, a caminho de Sintra. Espectáculo!

E o candidato do MRPP e o seu chefe, Garcia Pereira, que querem sair do euro quando, basta olhar para a cara e para o penteado deles, para perceber que nunca entraram no euro e que continuam a pagar as despesas em escudos!

Aquele rapazinho alto que se está a tornar no humorista oficial do regime, o Ricardo Araújo Pereira, também parece gostar de campanhas eleitorais e decidiu entrar nesta, apoiando o Partido Livre. Humor puro!…

Jerónimo de Sousa, por seu lado, explicou muito bem, ontem, quem é que a CDU quer nas suas fileiras. Referindo-se ao secretário de Estado Carlos Moedas, chamou-lhe “fraca figura”, mostrando que, na CDU, só os verdadeiros machos, ombros largos, patilhas grossas, têm direito a entrar. Vais longe, Jerónimo!

O Bloco escolheu a palavra de ordem “De pé!” (ó vítimas da fome?), mas a Marisa está rouca e as vítimas não ouvem…

O PS balança entre Seguro e Sócrates, com um Assis muito suado e um Capucho envergonhado… e o Soares nem foi convidado…

O PSD tem um Rangel que já foi de peso mas que, agora, 40 kg a menos, usa suspensórios e quase caiu da bicicleta abaixo, lá para os lados de Aveiro, com o Nuno Melo sempre atrás, armado em Clooney barato, beijando viúvas velhas e casadas obesas.

E a Carmelinda Pereira?…

A Carmelinda Pereira é bem o símbolo destas eleições, nas escadas do Parlamento, com dois ou três apaniguados, afirmando que quer ser eleita para sair da União Europeia.

Se a Carmelinda nunca para lá entrou por que se dá ao trabalho de lutar para de lá sair?

É por estas e por outras que cada vez gosto mais das campanhas eleitorais…