Cadáveres esquisitos

bodies.jpg“O Corpo Humano como nunca o viu” – é o subtítulo da exposição “Bodies”, patente no Palácio dos Condes do Restelo, na Rua da Escola Politécnica.

Graças a uma técnica que envolve preservação por polimerização, e graças a uma série de chineses que (supõe-se) doaram os seus corpos à Ciência, podemos ver como somos por dentro.

Para quem tirou o curso de Medicina e apenas teve direito a um bocadinho de cadáver, nas aulas de Anatomia, esta exposição é uma revelação. Ali, bem à vista, estão estruturas, que só conhecia dos livros do Rouviére: nervos, tendões, músculos, articulações, vísceras.

Muito didáctica, bem documentada, a exposição permite-nos perceber a complexidade do corpo humano e como todas estas estruturas se complementam.

Li alguns comentários menos entusiasmados, criticando o lado “espectacular” da exposição. De facto, não era preciso colocar um cadáver na posição de “O Pensador”, de Rodin, para chamar a atenção para o cérebro – mas a Ciência também pode ser espectacular e, talvez assim, chegue a mais pessoas.

7 thoughts on “Cadáveres esquisitos

  1. muito fraquinho… com o trabalho q fizeram, bem q podiam ter feito uma exposição como deve ser… os textos parecem tirados do livro de biologia do 9ºano….

  2. E se calhar já pensaram que nem toda a gente tem os estudos necessários para compreender textos mais elaborados?! Devo de facto dizer que a exposição está de facto magnífica!

  3. Fantástica! Esta exposição foi uma obra de arte!

    Podem dizer muita coisa, mas acho que está muito bem organizada e documentada. Curiosa, puxa muito a atenção.
    Não é nada arrepiante ou horrível. Dir-se-ia que não são corpos reais! Mas são! Não dão qualquer pavor, estão tão bem conservados que é impossível não olhar.

    Adorei

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.