O triunfo dos porcos

Há alturas em que um tipo mais valia estar calado.

Foi o caso do famigerado Mário Nogueira, o líder sindical dos professores.

Ontem, os professores organizaram mais uma manifestação na avenida da Liberdade (por este andar – e como não é provável que, nos próximos milénios, o PCP forme governo – os professores estão condenados a desfilar na avenida todos os anos…).

Dezenas de autocarros, repletos de professores, vinham do Norte, a caminho de Lisboa quando, ali para os lados de Santa Iria da Azoia, ficaram bloqueados na auto-estrada.

Mais à frente, um camião cheio de porcos tinha-se despistado, atravessando-se na estrada. Muitos porcos morreram, mas muitos outros passeavam-se tranquilamente pela auto-estrada ou espojavam-se na lama das bermas.

E o que disse Mário Nogueira a este propósito?

Disse, entre outras coisas, isto:

«Não considero que fosse de propósito, até porque se calhar o governo não tinha dinheiro para comprar um autocarro de porcos e atirá-los ali para o meio. Agora, aquilo… Não quero dizer que foi de propósito, mas foi estranho».

E ainda disse mais:

«Vamos exigir uma reunião ao ministro da Administração Interna para pedir explicações e protestar contra a forma como a polícia actuou».

Mais nada!

Contra os porcos, marchar, marchar!

Se fosse professor, mudava de sindicato!

No mínimo!…

Tags: ,

5 Responses to “O triunfo dos porcos”

  1. José dos Porcos says:

    Estou habituado a ver neste blog que visito diariamente muito mais consistência intelectual.

    • Artur says:

      Pelo nome (José dos Porcos), penso que se deve tratar de algum representante do sindicato dos acidentados. Não era minha intenção desconsiderá-los… deve ter sido um grande desgosto perder tantos companheiros e ver outros serem objecto da chacota dos operadores de câmara… Enfim, pérolas a porcos…

  2. José dos Porcos says:

    Deixe-se de conversas e continue a escrever e a publicar montagens giras e inteligentes que faço circular pelo meus amigos.
    Já agora quero-lhe dizer que convivi com muitos porcos e a coisa mais célebre na minha aldeia foi um dia ter aparecido um porco branco. As pessoas até faziam bicha porque nunca tinham visto um animal daqueles.

    • Artur says:

      Um porco branco teria feito parar o trânsito da autoestrada durante dias… e lá se ia a manif dos profs – mas deixemo-nos de inconsistências intelectuais…

Leave a Reply