A epidemia! Finalmente, a epidemia!

A gripe das aves passou-nos a perna. Armazenámos tamiflu às toneladas, reunimos as mais altas instâncias da OMS, enviámos repórteres aos hospitais dotados de quartos especialmente preparados para receber os infectados – e, da gripe, nem rasto.

O tamiflu ficou a ganhar bolor nas caves da Direcção Geral da Saúde.

Mas eis que os porcos dão uma ajuda: aí está a gripe suína!

Hoje, 6 dias depois de dado o alerta, já se fizeram, em Portuga, 10 análises 10 para tentar detectar o vírus H1N1, o que dá uma estonteante média de menos de duas análises por dia!

Hoje, 6 dias depois do alerta, não há um único caso confirmado, nem sequer um caso suspeito para amostra, mas já se põe em causa a capacidade de resposta das autoridades de saúde, nomeadamente da linha de Saúde 24.

Quem ouvir as notícias das televisões portuguesas, pensa que está no México e que há pessoas a morrer de gripe suína em cada esquina.

Mesmo no México, parece que o número de mortes que podem, comprovadamente ser atribuídas ao H1N1, são apenas sete.

Exagero, como de costume.

Nesse caso, não se deve informar? não se deve prevenir?

Claro que sim, mas sejam um pouco menos histéricos, por favor!

Ontem, no telejornal da RTP-1, uma jornalista que tem a mania que é engraçadinha, andou pela rua, em reportagem para conhecer a reacção das pessoas à gripe suína.

E, apesar de ter a obrigação de informar correctamente, a jornalista perguntou a um homem, qualquer coisa como isto: “então vai comprar carne de porco? Não tem medo?”

Ela estava a brincar… claro que a carne de porco não tem nada a ver com a gripe suína – ou terá?

Aguardemos os próximos desenvolvimentos da coisa, mas cheira-me que estamos perante mais uma coisa semelhante à da pneumonia atípica que, em 2003 ia matando milhões de pessoas em todo o mundo. E quem já não se lembra dessa epidemia brutal, pode clicar aqui, por exemplo.

Tags: , , ,

5 Responses to “A epidemia! Finalmente, a epidemia!”

  1. Vítor I says:

    Pois a mim está a preocupar-me e muito. Não me parece que os seus colegas da OMS sejam tontinhos ou tenham elevado o nível de alerta para “5” só para gerar o pânico mundial…

  2. Antonio Dias says:

    Pois, mas à conta dessa mais que presumivel epidemia,a atípica, a de 2003, consta que os grandes laboratórios venderam verdadeiros artesanais para todo o mundo “civilizado”.
    As vacinas e medicamentos para o combate ao virus estão a apodrecer nas caves das Direcções Gerais de Saúde dos diversos países, porém, as chorudas comissões já foram há muito tempo pagas.
    Será que os intocáveis editores dos nossos jornais e telejornais não se apercebem do trabalhinho que estão a fazer aos grandes laboratórios farmaceuticos, mas que interessa isso, o que é preciso é manter as vendas, a que custo seja.
    O que chateia é depois ter que ouvir essas importantes pessoas debitarem na televisão opiniões e pontos de vista, que são o oposto daquilo que editam nos jornais que dirigem.

  3. Artur says:

    Vitor: claro que os meus colegas da OMS não são tontinhos, estão, apenas, a pôr em marcha as várias fases da prevenção. Quem são tontinhos são os jornalistas. Hoje, já vêm dizer que apenas há 8 mortes provocadas pelo H1N1, em vez dos mais de cem iniciais…

  4. bintxo says:

    Para vossa informação, já não se apelida de gripe suína, até porque carregava uma conotação ou pouco higiénica ou reaccionária o que acaba por ir dar no mesmo, agora, para vós, GRIPE A!

  5. Elso Lago says:

    Lindo. Tudo preocupado porque numa semana nem uma dezena de pessoas morreu com a gripe A, suína ou até mesmo mexicana. Mas com os milhares que morrem diariamente de fome ou vítimas de conflitos idiotas, isso já não inquieta ninguém.

Leave a Reply