Vasco Pulido Valente está velho

É pena…

Há anos que leio as suas crónicas. Às sextas, sábados e domingos, assim que compro o Público, vou à última página, ler a crónica do VPV.

Claro que nem sempre estou de acordo com ele. O seu pessimismo, por vezes, parece síndroma depressivo não tratado, mas a sua lucidez e a sua capacidade em dizer muito em poucas linhas, compensavam o resto. A sua independência, também.

Claro que, na sua história, havia aquela mancha de ter sido deputado do PSD – como é que alguém que foi membro de um órgão do Poder poderia ser independente em relação a esse mesmo Poder?

Mas VPV penitenciava-se, muitas vezes, desse seu “erro”, e zurzia, à direita e à esquerda, embora sempre um pouco mais à esquerda do que à direita (algo que, talvez, Freud pudesse explicar, se VPV o deixasse falar…)

Agora, VPV acabou.

Primeiro, aceitou ser comentador da TVI, o canal que pior televisão faz em Portugal, o canal do lixo televisivo.

Precisava de dinheiro? Tinha pedido, que eu emprestava.

Tudo, menos colaborar com aquele nojo de televisão.

Depois, para dar cabo do resto, parece estar apaixonado por Manuela Ferreira Leite!

Hoje, na sua crónica (que foi a última das suas crónicas que alguma vez mais lerei), diz, entre outras barbaridades: «Portugal já saiu com Cavaco da cauda da “Europa”; já passou com Guterres pelas maravilhas do diálogo e da igualdade social; já esperou pelo “choque fiscal” de Barroso; e já assistiu, abismado, às “reformas” de Sócrates. O que faltou desde o princípio foi uma visão fria e sem retórica de um país, que largamente falhou a oportunidade da “Europa” e continua pobre e atrasado»

E, até aqui, tudo bem. VPV faz, como é costume, a sua avaliação pessimista, ignorando, por exemplo, os bons indicadores na área da saúde, os apoios sociais, cada vez maiores, o desenvolvimento que nos tem feito, apesar de tudo, aproximar da tal “Europa”. Mas, enfim, ele tem razão, continuamos pobres e atrasados e perdemos várias oportunidades.

O problema, é o que ele diz a seguir:

«Suspeito (e, por enquanto, só suspeito) que Manuela Ferreira Leite não partilha o sentimentalismo indígena e nos tratará como merecemos: isto é, sem fabricar, nem espalhar ilusões.»

Por outras palavras, a jovem política, que nunca teve responsabilidade nenhuma na política nacional, vai, finalmente, fazer-nos “cair na real” e tratar de nós como nós merecemos – isto é, como completos patetas, que necessitamos de alguém que olhe por nós, alguém que cuide das nossas finanças, alguém que endireite o país, como fez o Dr. Salazar – alguém que, certamente, não deixará de nomear Vasco Pulido Valente como ministro da Cultura a Sério.

Tenho pena…

2 thoughts on “Vasco Pulido Valente está velho

  1. Há sempre surpresas com o Artur.É bom.
    A de hoje é inesperada – êle lia sempre o VPV.São gostos.
    Mas deixou de ler,definitivamente.Eu diria que é normal.
    Sempre achei que o Artur é uma pessoa muito inteligente e bem humorada.
    Caro Artur, por mim está perdoado.

  2. É um dos meus defeitos, confesso, gostar de ler quem escreve bem, independentemente das suas opções políticas. Infelizmente, VPV há muito que me anda a descair e as suas crónicas têm tido cada vez menos qualidade. Nota-se, claramente, o momento em que aceitou o convite da TVI e começou a fazer frete. Como cronista, acabou.

Leave a Reply to raul calado Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.