“Uma expressão menos feliz” ou Manchete manchado

O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, é um homem infeliz.

Basta olhar para a cara dele.

Tem sempre as comissuras labiais descaídas, como se tivesse a sentir um cheiro desagradável, ou como se sofresse de obstipação crónica, ou como se tivesse uma dor irritante, ou as três coisas simultaneamente.

Em resumo, tem cara de quem só tem coisas que o ralem.

E para ficar ainda mais ralado, não há meio de o deixarem em paz e sossego!

Primeiro foi aquele lapso que ele teve, quando disse que nunca tinha tido acções da SLN porque confundiu com CPLP, ou TLP ou CTT, ou o caraças, é tudo letras e, como se sabe, Machete fez Direito, nunca ligou muito a letras…

Agora, é aquela história de Angola.

O homem pediu desculpa aos governantes angolanos e assegurou-lhes que a Procuradoria-Geral de República nada tinha de especial contra eles, que era só preencher uns formulários e tal – e afinal, Manchete não perguntou nada à Procuradora e parece que o homem violou o princípio da separação de poderes, coitado!…

Passos Coelho desculpou-o. Disse que ele tinha tido “uma expressão menos feliz”.

De facto, basta olhar-lhe para a cara.

Não há dúvida que ele não tem uma expressão nada feliz.

Diria mesmo que tem cara de cu à paisana, não fosse ser esta “uma expressão menos feliz”.

machete_angola (2)

One thought on ““Uma expressão menos feliz” ou Manchete manchado

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.