Um governo prejudicial à saúde

Factos:

1. No final da reunião do Conselho de Ministros de terça-feira passada, a ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque disse que teremos que ter mais «contributos adicionais do lado da receita, designadamente na indústria farmacêutica ou de tributação sobre produtos que têm efeitos nocivos para a saúde».

2. No dia seguinte, o secretário de Estado da Saúde, Leal da Costa, revelou a intenção de criar uma taxa sobre produtos com alto teor de sal ou açúcar.

3. Hoje, o Público diz que o ministro da Economia, Pires de Lima disse: «Não há taxa. É uma ficção, um fantasma que nunca foi discutido em Conselho de Ministros e cuja especulação só prejudica o funcionamento da Economia».

Estes três factos permitem as seguintes cinco perguntas:

1. Um secretário de Estado que é Leal da Costa também será leal do interior?

2. Um pires de loiça não seria preferível a um Pires de Lima?

3. Maria Luís Albuquerque é mesmo um pãozinho sem sal?

4. Leal da Costa sofre de amargos de boca?

5. O secretário de Estado da Saúde tem alguma empresa produtora de aspartame?

Em resumo: se Maria Luís Albuquerque quer taxar os “produtos com efeitos nocivos para a saúde” por que não começa por ela própria?

 

One thought on “Um governo prejudicial à saúde

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.