Telmo, o Despachado

santana_telmo.jpgO Público de hoje diz que, na madrugada do dia em que o Governo de Sócrates tomou posse, Telmo Correia – ministro do Turismo do Governo deposto do Sr. Lopes – assinou 300 despachos.

Ao longo de dez dias, Telmo não pôs os pés no Ministério e, logo na noite em que foi despedido, foi a correr assinar três centenas de despachos!

Entre esses 300 despachos constaria aquele que ofereceu aos donos do Casino do Estoril a concessão do edifício onde está instalado, agora, o Casino de Lisboa que, como se sabe, era para ficar no Parque Mayer, depois do negócio com a Bragaparques. Isto não tem nada a ver com o facto do chefe da ASAE ter sido fotografado a fumar no Casino Lisboa, na noite em que a nova lei do tabaco entrou em vigor e de ter afirmado que, nos Casinos, a lei não se aplicava e, depois, o Director Geral da Saúde, Francisco George, que tinha dito que se demitiria se a lei não fosse cumprida, acabar por dizer que, afinal, nos Casinos, por causa de uma lei qualquer do jogo, se podia fumar em sítios pré-determinados. E claro que isto também não tem nada a ver com os contactos entre o presidente da Câmara de Lisboa, Santana Lopes, e o arquitecto Frank Ghery, que foi contratado para transformar o Parque Mayer, mas depois ficou tudo em águas de bacalhau e o Sr. Lopes foi para primeiro-ministro e Carmona Rodrigues ficou no seu lugar e já não me lembro do resto. E isto também não tem nada a ver com o negócio dos submarinos do Paulo Portas e do Jacinto Leite Capelo Rego, nem tem nada a ver com Nobre Guedes, os sobreiros, o Abel Pinheiro, o caso Portucale, o bastonário Marinho Pinto e a frase que ele repetiu duas vezes (“ele assina qualquer merda”).

O facto de Telmo Correia ter assinado 300 despachos na madrugada do dia em que foi despedido, não tem a ver com nada.

Sinceramente, nem sei por que raio é que os jornais continuam a publicar merdas destas!

2 thoughts on “Telmo, o Despachado

  1. Também me faz confusão porque continuam a publicar coisinhas destas, afinal o que são 300 despachos? Aposto que haverá muitos mais em noites de insónia.

  2. Vejam lá, esse gajo assinou 300 despachos numa só noite, e o Público anda muito preocupado com a a duzia e meia de projectos de moradias que o Sócrates assinou à vinte anos atrás.
    Note-se que eram projectos de moradias a pedido dos proprietários, se as moradias não ficaram a seu gosto, tivessem escolhido outro projectista. Neste caso trata-se, salvo erro, do Pavilhão de Portugal, um edifício que é (era?) património público.
    E não há quem peça contas a este homem?
    E depois ainda há quem entenda que bastionário da Ordem dos Advogados não foi muito polido.

Leave a Reply to Pinoka Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.