Portas neo-colonialista?

É a acusação dos presidentes do Brasil, Argentina, Uruguai, Bolívia e Venezuela.

Isto porque Portas, como ministro dos Negócios Estrangeiros, não permitiu que o avião que transportava o presidente da Bolívia, Evo Morales, fizesse uma escala técnica em Lisboa.

Os cinco presidentes latino-americanos assinaram um comunicado conjunto em que classificam essa decisão de Portas como um “acto insólito e hostil” e “neocolonial”.

As vendas de Magalhães na Venezuela vão por água abaixo!

Dizia-se que, no avião de Evo Morales, poderia viajar, também, Edward Snowden, o super-espião que está a lixar a vida à administração Obama.

Não acredito que Portas tenha feito de propósito.

Distraído com a sua preparação para ser vice-primeiro-ministro, Portas deve ter pensado que Morales era mais um dos novos reforços do FC Porto.

obama_putin (2)

 

Escavacado Silva

Cavaco, Passos e Portas foram vistos juntos, em público, pela primeira vez desde o estalar da actual crise, na primeira missa do novo Patriarca de Lisboa, Mnauel Clemente.

E foram aplaudidos.

Parece-me correcto.

Um primeiro-ministro que perde os seus dois ministros de Estado em dois dias, um Presidente que parece não ter nada a ver com nada e um ministro dos Negócios Estrangeiros que deu novo significado à palavra “irrevogável”, só merecem aplausos.

Muitos.

E é sintomático que sejam aplaudidos numa igreja, à entrada para a missa.

Porque estes três cromos vão mesmo precisar de muita ajuda dos santinhos para conseguir resolver este imbróglio, sobretudo depois da decisão de Cavaco, anunciada esta noite, em mais uma comunicação ao país.

Se Portas deu um novo significado à palavra “irrevogável”, Cavaco deu um novo significado à palavra “decisão”.

Se, segundo Portas, “irrevogável” passou a querer dizer “o que pode ser anulado”, segundo Cavaco, “decisão” quer dizer “não sei como resolver esta merda”!

Não querendo convocar eleições, nem querendo apoiar este governo bacoco, Cavaco decidiu não decidir, inventando uma coligação de salvação nacional, talvez com a ajuda de uma personalidade independente, que talvez deva ser… Deus…

missa (2)

 

O golpe de Portas

portas_mandaQue o Paulinho das Feiras era tudo menos ingénuo, já todos sabíamos.

Que ele já tinha pregado rasteiras ao Rebelo de Sousa e ao Santana Lopes, também era do nosso conhecimento.

Por isso, não nos devíamos surpreender como mais esta manobra de Paulo Portas.

Depois de escrever que a sua decisão de abandonar o Governo era irrevogável, depois de dizer que continuar no Governo seria um acto de dissimulação, ei-lo a aceitar o cargo de vice-primeiro-ministro!

Irrevogável? Dissimulação?

Que se lixe a coerência, não é Paulito?

Os fins justificam os meios.

E eis como o CDS, que ficou em 3º lugar nas eleições, com uns míseros 11,7% (o PS obteve 28%, o PC e o Bloco tiveram, juntos, cerca de 13%), acaba por tomar o Poder.

Sem exageros.

Portas, além de vice-rei, coloca o Pires das Cervejas na Economia, mantêm o Soares da lambreta na Segurança Social e a parturiente Cristas na Agricultura, e fica com a coordenação das Finanças (vai mandar na Albuquerque Swap), com a reforma do Estado e vai controlar a negociação com a troika!

Um verdadeiro golpe de Estado!

E o Passos Coelho, mais uma vez, mostra que não passa de um totó.

Continuamos tramados…

 

O papel do papel higiénico na revolução bolivariana

As revoluções, por vezes, têm destas coisas.

O ministro do Comércio da Venezuela, Alejandro Fleming (que nada tem a ver com o fulano que descobriu a penicilina..) afirmou: «A revolução trará para este país o equivalente a 50 milhões de rolos de papel higiénico para que o nosso povo se tranquilize e compreenda que não deve deixar-se manipular pela campanha mediática de que há escassez».

Segundo o ministro, o povo venezuelano consome cerca de 125 milhões de rolos de papel higiénico por mês (cagões!) e a produção nacional chega, mas acontece que a oposição a Nicolas Maduro está a açambarcar este e outros produtos, a fim de provocar uma escassez artificial de bens essenciais.

Mas não é por causa de 50 milhões de rolos de papel higiénico que a revolução bolivariana vai parar!

Os revolucionários venezuelanos vão poder continuar a limpar o rabo a papel higiénico de qualidade, em vez de o arranharem com papel de jornal, graças à determinação do seu governo.

Ora, li hoje no Expresso, que Portas parte para a semana para Caracas, com uma comitiva de 40 empresários.

Aqui fica a sugestão: por que não aproveitar esta oportunidade de negócio e levar, no avião, uns rolitos de papel higiénico da Renova, que até uma marca nacional?

E, já agora, embalagens de óleo de amêndoas doces, que é um bom amaciador para quem caga muito…

A “intransigência” de Portas

Passos Coelho anuncia corte nas pensões.

Paulo Portas diz que isso não pode ser, é uma linha que não autoriza que seja ultrapassada.

Afinal, o Governo decidiu que o corte das pensões vai para a frente.

Portas aceitou, mas só com condições.

O corte nas pensões só avançará se for mesmo necessário.

Não fodem nem saem de cima?

Não – fodem-nos e não saem de cima, porra!

Notícias do meu país

Parece que os ministros não se entendem quanto aos cortes.

O Gaspar quer cortar nos salários e nas reformas, o Portas está contra.

Nunca pensei dizer isto: o Portas faz oposição de esquerda ao governo!

E provoca-o!

O Expresso diz hoje que Portas não faltou à tomada de posse dos novos secretários de Estado por estar fora do país, ou por estar doente, ou por estar indisposto: à hora em que os secretários de Estado tomavam posse, Portas estava na pedicura!

Deu com os pés no Governo…

Entretanto, ficámos a saber que há por aí mais buracos de vários mil milhões, por causa de mais uma coisa com nome estrangeiro: os swaps.

Sempre é mais fino dizer swap do que desfalque.

O que vai acontecer aos responsáveis dos swaps?

Será que vão fazer companhia ao Isaltino?

Tal como ele faz com a Câmara de Oeiras, poderão continuar a gerir empresas, a partir da cadeia.

Tal como ele, estão inocentes, claro…

Tudo normal.

Ficámos também a saber que, nas próximas autárquicas, teremos excelentes presidentes de Juntas para as bandas do Porto.

O PSD escolheu para candidatos o ex-futebolista João Pinto, o ex-médico do FCP Domingos Gomes, o apresentador televisivo Jorge Gabriel e o médico das dietas Fernando Póvoas.

Com tais presidentes de Junta, até eu era capaz de me mudar para o Porto!

Estamos tramados!

Sócrates strikes back

Deixemo-nos de embustes, Sócrates dá 5 a zero a qualquer outro político da actualidade.

Não diz a verdade toda mas fá-lo com convicção.

Não há narrativas que superem a sua prosa.

O Seguro não vai morrer de velho – o Seguro está morto.

Ao pé dele, Portas é um postigo, Passos tropeça, Coelho não passa de um láparo.

E o Cavaco?

Depois daquela sova já terá saído dos cuidados intensivos?