O massacre do Mundial

Gosto muito de futebol.

Dito isto, quero acrescentar BASTA DE MUNDIAL, PORRA!

Um tipo liga a televisão e o que vê, em todos os telejornais, são reportagens idiotas relacionadas com o Mundial e a selecção portuguesa!

Estou farto!

Eu quero lá saber que o Nuno Gomes tenha uma tia idosa que ainda guarda fotografias do jogador, vestido de comunhão solene! Estou-me borrifando para o tio do Hugo Viana, que é dono de um café, e que andou a pintar saudações ao jogador no asfalto das rotundas lá da terra! Estou-me marimbando para o grupo de amigos, emigrados na Alemanha, que vai organizar uma grande festa com sardinhas assadas e bifanas!

Quantos repórteres têm as televisões, lá na Alemanha, para produzirem um trabalho tão idiota, com reportagens estúpidas sobre coisas que não interessam a ninguém?

Não acontece mais nada neste Mundo, caramba?

Acabaram a crise económica, os atentados no Iraque, o conflito israelo-palestiniano, a fome no Darfur, a guerra na Somália? Até o conflito em Timor – esse eterno protectorado da nova democracia portuguesa – passou para enésimo plano!

Neste preciso momento, a SIC está a transmitir uma reportagem feita na feira do Relógio e a repórter, com voz dramática, diz: “imaginem o que seria se todas estas gargantas (as dos vendedores), se juntassem para torcer por Portugal?”

Por favor, tenham dó!

Agora, diz uma vendedeira negra: “oh… isso agora está muito difícil… eu tenho muitos amigos angolanos, eu sou guineense, mas vou torcer por Portugal”

E o que é que eu tenho a ver com isso?

Tirem-me deste filme já!

Mais uma vez, os jornalistas televisivos (e não só), mostram a sua verdadeira face: a da mais completa indigência, da falta de imaginação, da preguiça inigualável – transformando um acontecimento desportivo, sem dúvida importante, num verdadeiro massacre informativo, não separando o essencial do acessório, pondo no ar tudo, mas mesmo tudo, o que vagamente possa ser relacionado com o Mundial!

Chega! Basta!

Felizmente, nós temos sempre a última palavra e todos os televisores têm um botão de on-off.

Há que utilizá-lo e desligar a televisão!

Foi o que eu fiz…

17 thoughts on “O massacre do Mundial

  1. Caro Dono do Coiso (….??!),

    É só para dizer-lhe:muitos, mas muitos parabens pra essas palavras tão valiosas. O facto é que apparentemente a sua opinião sobre os “jornalistas” (piadas) e a receita de todos os telejornais independemente do canal e 100% igual à minha. Será que somos os únicos 2 neste pais que têm esta óptica?

    Só que eu sou inglês. Mesmo depois de 10 anos cá, nunco vou habituar-me, e até menos, aceitar o nivel de banalidade e mediocridade que passa por constituir a divulgação de “notícias” na comunicação social em Portugal.
    Magoa-me ainda mais cada vez que vejo o que se passa nos canais noticiarios e telejornais nos outros paises que o Deus TVCabo nós permite ver. Uma falta claríssima de exagero, hysteria e intermináveis entrevistas com imigrantes à fazerem sempre a mesma coisa:vender comida à Portuguesa aos jornalistas. Portugal parece um pais verdadeiramente pequeno, excessivamente províncial e pior, insular. O Mundial? 32 paises? À serio? Não senhor, segundo o disparate que os televisões assim como as radios vão servindo às suas audiências, o que està à ter lugar na Alemanha é o Portugial, nem mais, nem menos. Bem triste.
    E mais, os Alemães não são “Germãnicos”; os Ingleses não são “Britânicos”, nem “Anglo-Saxonicos” (o pior dos piores, isto!); com certeza, os Franceses não são “Gauleses”, etc.etc. Irrita-me enormemente, esta ignorância.
    Mas termino aqui, acrescentando que, apesar de tudo que escrevi, continuo à amar-te, Portugal! Apologias por meu português escrito, que é realmente péssimo!

  2. Sugiro até mais! Que NÃO usemos o botão on/off: que nem sequer se liguem as malditas televisões.

    Excepto, claro, para ver Portugal afundar-se, como habitualmente, no Mundial.

  3. Abençoada internet em que podemos filtrar a informação que desejamos. Eu também sou um adepto incondicional de futebol, mas apenas dos jogos em sí. Como o Artur, também me estou borrifando para o ritmo digestivo do Pauleta ou para a marca das “bondolettes” do Figo. O jornalismo português está paupérrimo!

  4. Ainda que seja isso que aqui se contesta que põe o pão em cima da minha mesa, não posso deixar de concordar.
    E o que tem mais raça, é que a maioria dos que dependem deste pão concordam também.
    Afinal, quem é que está satisfeito?

  5. Não percebo como é que alguem pode sentir-se indiferente a noticias tao valiosas para o descobrimento do eu como promessas idiotas de jogaores, as suas refeiçoes, a marca dos preservativos que usam e por ai fora..
    Mas sugiro que em vez de se tomar atençao a esse COISO, se coma caracolada com uma boa cervejinha a ver um jogo da seleçao.

  6. Satisfeitos devem estar os gajos que embolsam na Media Capital e na Impresa, por exemplo. Tipos que não são, nem nunca foram jornalistas. São, isso sim, palhaços.

    E portanto, vendem palhaçada.

  7. Em vez de turn off the television, aconselho a ver o AXN , tem séries fantasticas, tais como “Medium” , “CSI”, ” A vingadora”, etc , ou a RTP2

  8. Tou dakordo cum todos.
    Num beijo tamem o futebole.
    Inflizmente num cunsigo baxar as audiensias.
    É keu só uso o aparelho TV pra ver filmes (DVD’s). Libro-me açim do jornalismo idiota, da publicidade idiota e dos idiotas dos programas. Só num me libro de pagar a taxa d’audioinvisual.
    Se num foçe o reumatico emigraba pra uma terra sibilizada.
    Estou a pinsar na Espanha ( e no Saramago). Agora é tarde pra mim. Bocez, mossos, fugem todos!

  9. Isto tudo deve-se devido ao facto da realidade portuguesa ser do tipo deslocamento da rotina e afins. O Mundial é que dá audiênçias. se não fosse a tvcabo já tinha feito uma laparoscopia ao televisor. Não me parece que as coisas mudem; para mudarem teria de mudar o povo.

  10. se estão fartos de mundial vejam a rubrica da equipa da “”Liga dos últimos” no programa do CArlos DAniel, na RTP. Na parte final do programa entram sempre “As últimas do mundial”…. o lado mais divertido e improvável deste acontecimento.
    abraços

  11. Obrigado por tantos comentários… mas também não valia a pena estarem a incomodar-se – os tipos das televisões continuam a dizer que transmitem aquilo de que as audiências gostam, o que deve querer dizer que estamos todos enganados…

  12. Antes dos jogos começaram já estava farta de mundial. Parece que nada mais interessa neste país.
    Na minha opinião deveria ganhar um país qualquer completamente desinteressante para esta confusão acabar depressa.
    E já viram motivo mais interessante para se exporem bandeiras do que o mundial??
    O meu marido diz que pelas fachadas dos prédios se consegue ver a distribuição geográfica de parolos! Pelo menos no meu prédio confere!!
    (e nós não temos bandeira, eh!eh!)

  13. Já que não podemos evitar o massacre, provavelmente por causa do pão de cada dia de cada um, então não seria muito mais útil aproveitar o acontecimento (como, aliás, aquele magnífica reportagem de Luanda com vítimas das minas anti-pessoal) para aprendermos mais qualquer coisa sobre os outros países participantes (como devia ter sido feito com a reportagem em Teerão e não foi)?

    PS: Até já tenho saudades duma noticiazinha dum qualquer xerife do Arkanzas que até sofria das costas e salvou um grilo de morrer afogado porque alguém lhe mijou no buraco.

Leave a Reply to pconchita Cancel reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.