O estranho caso do locutor sequestrado

Se não fossem estas pequenas histórias que o Diário de Notícias publica, passávamos o verão submersos em swap e outras porcarias.

Eu resumo, para quem não compra o DN:

Estava António Augusto, muito descansadinho, na Rádio Horizonte, em Loures, onde é locutor, quando alguém tocou à campainha.

Augusto foi ver quem era.

Augusto estava sozinho na Rádio Horizonte…

Eram dois jovens açorianos que lhe encostaram uma arma ao corpo e o arrastaram até ao estúdio.

Aí chegados, os dois jovens obrigaram o locutor a ler uma mensagem aos microfones da Rádio Horizonte.

E o que dizia a mensagem.

É o Augusto que fala: «peguei no comunicado e li, mas não recordo de quase nada. Dizia que queriam mudar o mundo. Só somei as letras».

Além de ler a tal mensagem, Augusto foi ainda obrigado a por a tocar o cd “Unidos para mudar”, gravado por um grupo de músicos açorianos, há alguns anos, com o objectivo de angariar fundos para causas sociais.

Antes de ler o comunicado, e sob a ameaça da arma, Augusto telefonou para vários órgãos de informação, avisando que a Rádio Horizonte ia transmitir uma mensagem importante.

Foi um dos órgãos de comunicação (o DN não diz qual) que alertou as autoridades.

Um carro patrulha passou pela Rádio Horizonte e um agente da PSP toucou à campainha.

Um dos sequestradores veio abrir a porta e os agentes da PSP entraram e acabaram com o sequestro, algemando os dois jovens.

Acrescente-se que, afinal, a arma era falsa… e que o comunicado não chegou a ir para o ar porque o microfone estava desligado quando Augusto o leu!

Ditosa pátria que tais filhos teve…

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.