Medíocres

Bom conselho, o de Relvas.

Cada vez que Passos Coelho fala, dá um tiro no pé.

Disse que tinha sido informado do PEC-4 por um simples telefonema e, afinal, encontrou-se com Sócrates, a sós, em São Bento.

Não consegue que dirigentes destacados do PSD aceitem fazer parte das listas de candidatos a deputados, caso de Luis Filipe Menezes, António Capucho, Marques Mendes ou Manuela Ferreira Leite.

Volta-se, então, para um senhor que, ainda em fevereiro, dizia que nunca aceitaria candidatar-se a um cargo partidário. “Categoricamente não!”, exclamou Fernando Nobre.

Era tudo a fingir, claro!.

O homem quer é ser presidente!

E já que o povo não o elegeu presidente da República, não se importa de ser eleito deputado pelo PSD, depois ser eleito presidente da Assembleia da República e depois, esperar que dê uma travadinha ao Cavaco (afinal, o homem tem 70 anos…), de modo a que ele, segunda figura da Nação, possa exercer o cargo de presidente da República interinamente.

Passos deve pensar que esta sua decisão foi uma jogada de mestre!

Coitado!…

Mas enfim… pouco podemos esperar de quem tem como mentor esse grande pensador que é… Ângelo Correia!…

 

2 thoughts on “Medíocres

  1. É incrível como um grande partido como o PSD não consegue ter um líder minimamente decente de à vários anos para cá. Quando Passos Coelho foi eleito líder pensei que ali estava um político que poderia mudar o país, jovem, com ideias novas, mas afinal tem sido uma desilusão pegada.

    E com isto tudo o impensável pode acontecer, que é o Sócrates ganhar outra vez!!! O país precisa de líderes partidários fortes, e neste momento não vejo nenhum dos partidos com um homem capaz de mobilizar a nação e levanta-la do caos em que está.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.