“Happy-Go-Lucky”, de Mike Leigh

happygoluckyNão consigo perceber por que razão este filme foi nomeado para o óscar de melhor argumento original, na medida em que não tem argumento propriamente dito.

Poppy (Sally Hawkins) é uma professora primária, de 30 anos, solteira, que continua a levar a vida a brincar, como se fosse ainda uma adolescente que se recusa a assumir a pose e as responsabilidades de um adulto.

Mas Poppy está sempre a rir-se e a cacarejar, de tal modo que, por vezes, parece mesmo tolinha, com um algum déficit cognitivo.

Depois de lhe roubarem a bicicleta, decide começar aulas de condução e calha-lhe um instructor paranóide, que se apaixona por ela.

Certo dia, ao ver um dos seus alunos bater nos colegas, pede a ajuda da Segurança Social e sai-lhe um assistente social calmeirão, como quem vai para a cama.

E fim.

É pouco…

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.