De Carla Bruni a Louise Brown e a Mick Jagger

O terceiro disco de Carla Bruni está a ser um sucesso de vendas. Parece que, afinal, o facto de ser casada com o Presidente francês foi benéfico para a sua carreira. Este facto deixa-me confuso. Eu, por exemplo, seria incapaz de comprar um disco de Maria Cavaco Silva. E não seria pelo facto da senhora cantar bem ou mal; seria apenas por coerência política. Seguindo o mesmo raciocínio, seria de esperar que Bruni fosse prejudicada pelo facto de ser casada com Sarkozy, mas parece que não.

Sendo assim, não sei de que é que a Ana Malhoa, por exemplo, está à espera! O Sócrates está solteiro e tem futuro na política…

Quem não terá grande futuro será Karadzic, que foi capturado esta semana, mascarado de especialista em terapia quântica. Que coincidência! E eu que escrevi um texto sobre essa treta (ver ASAE – onde estás tu?) na passada semana! Pois o ex-general sérvio, que foi responsável por milhares de mortos nos anos 90, dedicava-se, agora, a curar pessoas com ajuda da terapia quântica. Se eu ainda tivesse alguma dúvida quanto à charlatanice da coisa…

Agora, muito provavelmente, Karadzic vai passar o resto da vida na prisão. Terá muito tempo para escrever um livro sobre a sua experiência de vida. Que digo eu? Um livro? Uma colecção inteira, com dezenas de volumes!

Basta comparar com aquele senhor inspector, que usa casacos um número acima, e que se chama Gonçalo Amaral. Reformado aos 49 anos (que inveja!), o Sr. Amaral acaba de lançar um livro sobre o “caso Maddie”, depois de o ter investigado durante meia dúzia de meses, sem ter chegado a nenhuma conclusão válida. Imaginem quantos livros o ex-general sérvio não poderá escrever!

Esta mania de escrever e publicar livros está a alastrar. Todos nos recordamos dos excelentes livros escritos por Mourinho, Deco ou Mantorras ou do pungente livro do sargento Gomes sobre a “pequena Esmeralda”. Agora, até Freitas do Amaral publicou, em livro, o parecer que elaborou sobre a descida de divisão do Boavista e a suspensão de Pinto da Costa!

Acho que Sócrates, por exemplo, está a perder oportunidades, umas atrás das outras. Só esta semana podia ter escrito três livritos: “Os Josés: o meu encontro com Eduardo dos Santos”, “Um dia na tenda de Kadhaffi” e “Hugo Chavez, esse grande humorista”. E poderia ter acrescentado um opúsculo sobre o presidente da Guiné Equatorial. Em alternativa, poderia juntar tudo num único volume intitulado “É o petróleo, bruto!”

Quem não está a ser nada bruto é Barak Obama. Se as eleições norte-americanas fossem na Europa, o gajo já tinha ganho!

Obama juntou quase tantas pessoas em Berlim como professores portugueses que desfilaram contra Sócrates. Enfim, como sabemos, isto não quer dizer nada, com a agravante de praticamente nenhum dos manifestantes que aclamaram Obama em Berlim ir votar nele, em Novembro, enquanto muitos dos que desfilaram em Lisboa, votarão a favor do Sócrates nas próximas eleições.

Os sonsos dos dirigentes europeus receberam Obama como se ele já fosse presidente dos EUA. E só porque ele é preto, coitadinho… e os europeus têm problemas de consciência. Com tantas ex-colónias e tantos emigrantes africanos, das índias e das Antilhas, não há um único país europeu que tenha alguma vez tido um candidato de pele mais escura.

Pele bem branca é a de Louise Brown – a primeira bebé-proveta, que acaba de fazer 30 anos.

Quem diria que esta Louise Brown já coube, em tempos, numa proveta! Olhem bem para ela! É a de cabelo comprido, claro!

Há 30 anos, estavam os Rolling Stones a lançar o seu 20º disco (“Some Girls”) e, depois disso, ainda lançaram mais 14!

Ontem, Mick Jagger completou 65 anos e confirmou aquilo que já todos tínhamos obrigação de saber: a terceira idade só começa lá para os 80!

E o resto, é música!

One thought on “De Carla Bruni a Louise Brown e a Mick Jagger

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.