“Contos Naturais”, de Carlos Fuentes (2007)

contos naturaisCarlos Fuentes (Cidade do Panamá, 1928 – Cidade do México, 2012), escreveu romances, novelas, ensaios e diversos livros de contos. Embaixador do México em França, abandonou o cargo em 1977, por motivos políticos

Este “Contos Naturais”  (Porto Editora, tradução de Helena Pitta) é um conjunto de seis histórias, das quais destaco as duas primeiras, “Velha Moralidade” e “As Duas Helenas”.

As seis narrativas são obviamente mexicanas, quer pelos ambientes, quer pelas personagens e o autor deixa transparecer a sua ideologia de esquerda, sobretudo na história “Malintzin das Maquilas”, sobre as operárias mexicanas exploradas pelas multinacionais norte-americanas.

Fiquei com curiosidade em conhecer melhor este autor.

2 thoughts on ““Contos Naturais”, de Carlos Fuentes (2007)

  1. Boa noite, Artur.

    Quanto a Carlos Fuentes- deixei-te um outro comentário sobre Cortázar-não posso falar deste livro, pois não o li. Em todo o caso, conheço razoavelmente a obra do Carlos Fuentes, falecido no ano passado e que seria o terceiro grande( falando dos escritores da sua geração) da América Latina, depois do Garcia Marquez e do Vargas Llosa. Penso que nos últimos anos Carlos Fuentes perdeu um pouco a mão, digamos assim. A qualidade tornou-se algo desigual, um pouco até à semelhança dos outros dois citados. Penso que os seus melhores livros são anteriores à última década. Dos que conheço, há três muito bons: A morte de Artémio Cruz, Os anos com Laura Diaz e A fronteira de vidro. Há outros de que também se fala muito bem, como A região mais transparente e Terra Nostra, mas não os li.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.