Albânia – o farol fundido

George Bush visitou a Albânia e foi recebido por multidões delirantes. Tenho provas. Vi fotografias de Bush a ser abraçado por albaneses sorridentes e exultantes. Vi reportagens em que jovens albanesas, com ar perfeitamente normal, diziam “Bush is the best president of the world”. A sério!

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades, como dizia o Luiz Vaz.

Lembram-se quando a Albânia era apelidada de “o farol do comunismo na Europa?”

Foi no tempo de um senhor chamado Enver Hodja.

Eu lembro-me.

Maria José Morgado, Pacheco Pereira, Durão Barroso e Garcia Pereira, por exemplo, também se devem lembrar.

Mas os albaneses de hoje já se esqueceram de Hodja e da treta do farol. O que eles querem é que a América de Bush continue a investir no país e que patrocine a independência do Kosovo.

No entanto, no melhor pano cai a nódoa. Então não é que, no meio dos abraços e das saudações, algum albanês anti-Bush fanou o relógio ao George!

As imagens estão no YouTube (procurem em “Pres Bush stollen watch in Albania”).

Segundo os jornais, o relógio era um simples Timex, de 50 dólares.

Os albaneses são uns totós!

4 thoughts on “Albânia – o farol fundido

  1. “Não lhe podiam ter dado um tiro ou cinco…”

    Não porque quem iria ser presidente era o Cheney, o qual é bem pior que o Bush

Leave a Reply to Elso Lago Cancel reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.