A caminho da Amazónia Matogrossense

Avião da TAM, de Brasília a Cuiabá, capital de Mato Grosso. São 1200 km. Hora e meia de voo.

Depois, 300 km de estrada, atéà Pousada Jardim da Amazónia.

São de 4h30 de estrada muito esburacada e com um trânsito louco de camiões e bimeões (camiões com atrelado), carregados com soja, milho, algodão ou cana do açúcar. De um lado e do outro da estrada, a perder de vista, campos imensos, com essas culturas, que substituíram a vegetação do cerrado.

Apesar de longa, a viagem não é monótona, porque os motivos de interesse vão-se sucedendo: uma família de emas, comendo insectos, no meio de um campo de soja, dois urubus a debicar um tatu, morto na estrada, uma fila interminável de camiões, mais uma família de emas, um campo de girassóis…

Finalmente, a vegetação do cerrado começa a dar lugar a uma vegetação mais luxuriante, deixamos o asfalto e percorremos um pouco de estrada de chão, até à Pousada Jardim da Amazónia, que é uma delícia – pequenos chalés, espalhados por uma clareira, uma nascente água mineral e a densa vegetação amazónica a toda a volta.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.