Robertos e fantoches

Quando era miúdo, era frequente, nas praias da Costa da Caparica, assistir a espectáculos de fantoches, a que a malta chamava robertos, não faço ideia porquê (ver PS).

Vinham dois homens com uma espécie de biombo de pano branco; montavam aquilo no meio do areal e um dos homens ia lá para dentro, enquanto o outro ficava cá fora, a anunciar o espectáculo.

Primeiro, havia um diálogo entre o primeiro roberto e o homem cá de fora; depois esse roberto ia-se embora e vinha outro, que era o totó.

Depois, o primeiro roberto reaparecia e dava uma sova no outro, com um pau, que fazia um ruído característico de cada vez que batia na tola do roberto totó.

O Benfica tem, agora, na baliza, um Roberto totó…

PS – Depois de breve pesquisa no Google, descobri a origem do termo “roberto ( “A prevalência deste nome está, por ventura, ligado a uma comédia de cordel com grande repercussão, intitulada “Roberto do Diabo” ou a um conhecido empresário de teatro de fantoches, Roberto Xavier de Matos”)

7 thoughts on “Robertos e fantoches

  1. Eu que vinha lá do interior do país “a banhos” na Costa, achava OS ROBERTOS o melhor das férias tal como os “barquilhos” e o jogo do prego. Acho que estou a ficar velha… tanta nostalgia vai fazer-me mal?

  2. Tenho um plano infalivel…..
    Estou a fazer uma vaquinha, para reunir uns trocos….
    Enviamos para o SLB. Um dia a noite (sem o Jorge Jesus saber), o Rui Costa pega nesses trocos, no Roberto, nos frangos, e no Cesar Peixoto, e vai deixa-los a porta do Dragão…
    Alguem quer colaborar??

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.