O miserável Professor Cavaco

Cavaco Silva, desculpando-se pelo facto de ter comprado as acções do BPN:

«Eu era um mísero professor. Acha que eu, como professor, e com a minha mulher, que andámos a acumular as poupanças para a velhice e para deixar aos nossos filhos, não podemos recorrer a qualquer banco quando não temos qualquer responsabilidade política?»

Eras um mísero professor, Aníbal?!

Os professores são miseráveis?!

Se eras um mísero professor, como raio conseguiste poupar mais de 100 mil euros, para comprar acções, pá?!

Dia 23 de Janeiro vai ser um dia trágico para Portugal!

Tags: , ,

17 Responses to “O miserável Professor Cavaco”

  1. Papoila says:

    SMILE :)O Cavaco vai ganhar à primeira volta com cerca de 60% :)Por mais admiração que se tenha pelo Manuel Alegre só por ter o tal “apoio” do PS (diga-se Sócrates), acabam por ir votar no Cavaco… :)O Cavaco como economista e profº na altura podia muito bem investir em acções ou índices que quisesse… São os bancos que “gerem” através dos gestores de conta os valores que particulares ou empresas “colocam a render”…. a ignorância de todos nós até se revela em pormenores tão óbvios…. Analisar econometricamente o movimentos de títulos ou outros derivados requer muito tempo… é por isso que se confia nos gestores de contas para que as aplicações das poupanças de quem lutou uma vida inteira dê algum lucro… cidadãos com o 10º ano já sabem estas matérias e tipos licenciados, mestrados e tais não sabem como funciona?!Quem comprou a dívida pública?!e quando forem tentar vendê-la?! o que vai ser?! Quem vai querer comprar?

    • Artur says:

      Que chorrilho de asneiras que para aí vai! O que indigna é o adjectivo, minha senhora, o que indigna é Cavo menorizar a profissão de professor e chamar-se “mísero professor”. Quanto aos 100 mil euros em acções: sabe, porventura, quanto ganha um professor? E quanto a essa treta dos gestores de conta, Cavaco não precisou – o Oliveira e Costa tratou disso.

  2. pitroile says:

    Vai ser um dia miseravel.

  3. Ele disse isso?! O gajo gastou 100 mil euros em acções e diz-se “mísero professor”?

    Eu sou um mísero designer, onde é que posso ir buscar os meus 100 mil para investir?

  4. Carlos Moreira says:

    Ainda bem que será trágico !
    ASSIM NÃO SERÃO ELEITOS OS QUE NOS TORNARIAM AINDA MAIS DESESPERADOS !

    • Artur says:

      Claro, ainda bem que vai ser eleito um gajo novo, que não foi 1º ministro 10 anos nem Presidente 5 e que não tem nada a ver com nada do que se passa nesta choldra…

  5. ze says:

    essa é boa.. um prof. catedratico e que foi 1º ministro e agora é presidente da republica não pode poupar 100 mil euros numa vida de trabalho?
    e o charmain da edp.. esse poupa por mes 300 mil euros.
    enfim.. e o da TAP quanto poupa por mes
    haja vergonha

    • Artur says:

      Estás a comparar coisas que não se podem comparar. Fazes ideia quanto ganha um 1º ministro? Pouco mais de 5 mil euros. No tempo em que o Cavaco foi 1º, nem isso. Mas não é aí que está o problema – o problema está em achar que ser professor é ser “mísero”. isto na boca de um tipo que ser Presidente de todos os portugueses mais 5 anos, é que é uma vergonha (e eu não sou professor…)

  6. Teresa Sardinha says:

    mísero

  7. Bintxa says:

    Bem… ele miserável é… e atrasado mental também!

  8. António Pires says:

    Não percebo esta polémica toda. Se o nosso presidente (quer gostem ou não ele ainda o é!) acha que quando era professor era mísero, quem somos nós para o contrariar? Isto não significa que todos os professores também o são!

    Eu desconfio que ele empregou o termo mísero com o significado de avaro… esperto, o homem!

  9. Elso Lago says:

    O voto em branco tem que ganhar estas eleições.
    Mostrar a estes pelintras que a malta tem vontade de votar, mas que as alternativas são péssimas…

  10. a ponta do véu says:

    E digo mais: eu acho que ele disse mísero como sinónimo de reles!

  11. antonio dias says:

    Li há pouco no “Sol” que Cavaco renunciou ao salário de presidente, face à medida do governo de impedir a acumulação de reforma com salários do funcionalismo público. Pudera, o salaário de presidente são 7400 euros enquanto que a reforma são mais de 10000 euros!!!!!
    Percebe-se agora a frase do mísero professor, comparado com o regabofe das reformas do Banco de Portugal, é de facto miserável.

Leave a Reply