Leite e derivados

Na concertação social (“concertação” com “cê”, porque vem de “concerto”; com “esse”, não, porque já não há “conserto”…), patrões, trabalhadores e governo chegaram a acordo: em 2011, o salário mínimo será de 500 euros.

Até lá, vai subindo devagarinho. Para o ano, será de 450 euros.

Manuela Ferreira Leite, distraída ou desconhecendo a decisão da concertação social, disse que Sócrates, ao fazer este aumento, “roça a irresponsabilidade”.

Ó Dra. Leite: é um aumentozinho de 24 euros mensais!

No que respeita ao leite, propriamente dito, e escolhendo o magro, tendo em atenção a doutora, 24 euros dá para comprar mais 27 litros de leite Matinal ultrapasteurizado por mês, partindo do princípio que cada litro custa 88 cêntimos. Quer dizer que o trabalhador, com o novo salário mínimo nacional, nem sequer vai poder comprar mais um litro de leite por dia, todos os dias do mês!

Quanto aos derivados: 24 euros dão para mais 40 iogurtes Longa Vida, a 2.19 cada pack de 4; ou mais 14 pacotes de 250 gramas de manteiga UCAL, a 1.69 cada um; ou 3 queijos e meio, tipo flamengo, da Agros, a 6.49 cada um.

A senhora acha que isto roça a irresponsabilidade?

Tags: , , ,

One Response to “Leite e derivados”

  1. Observação bastante pertinente. Mas essa senhora, que por acaso se chama “leite”, não deve ter esses problemas. Ela já mamou à conta do Estado apenas para o delapidar. E quer continuar a mamar.
    Roça a irresponsabilidade? Irresponsável foi ela quando desbaratou empresas nacionais, e adoptou o discurso da tanga que parecia o Salazar revisitado. Esta senhora é sinistra. Não sabe falar, e, ao que parece, nem pensar. Que tristeza o país em que vivemos em termos partidários, e quando olhamos para o PSD então é que vemos o pior…

Leave a Reply