Discussão aberta à porta fechada

Passos & Moedas decidiram organizar uma conferência aberta à sociedade civil, destinada a discutir a reforma do Estado.

A senhora que organizou a conferência, a mando de Passos & Moedas, disse, na sessão de abertura (a única que podia ser filmada/gravada), que é preciso “criar condições para um debate aberto, livre, profundo, participado e construtivo”.

Por isso mesmo, a organização impôs, como regra, que os jornalistas, embora possam assistir às sessões da conferência, não podem gravar sons nem imagens, nem usar citações sem autorização dos oradores.

A maioria dos jornalistas presentes, abandonou a sala.

Não percebo porquê.

Haverá lá debate mais aberto, livre, profundo, participado e construtivo do que ficarmos a falar sozinhos?

Não é verdade que, quanto mais aberto se é, mais fechado se fica?

E quanto mais livre nos julgamos, mais presos estamos?

E quanto mais profundo se afirma, mais superficial se parece?

E quanto mais participado se pretende, mais isolado se acaba?

E quanto mais construtivo se quer, mais destrutivo se é?

Passos aprendeu isso na Interforma.

Moedas descobriu isso ao ler o relatório do FMI, o tal que ele acha “muito bem feito”.

E quanto a nós, que elegemos estas criaturas, queixamo-nos de quê?

 

Tags: , ,

One Response to “Discussão aberta à porta fechada”

  1. R.Calado says:

    E que quanto mais reformado o estado ficar,mais subsídios lhe serão cortados?

Leave a Reply