Da crise como oportunidade

As crises não são necessariamente coisas más. Podem ser elas as geradoras de oportunidades de negócio.

Que o diga o Tira Fumos (alcunha de Camilo Feliciano) que, em plena crise de 1979, com o FMI instalado em Portugal, lançou esta vigorosa Campanha de Férias.

O homem afinava o motor do nosso carro e garantia mais 30% de rendimento com menos consumo, “eliminando o poço do seu automóvel sem alterar nada de fábrica” (o poço do automóvel?!). E tudo isto por uns míseros 1,7 euros, se o carro fosse pequeno ou 2,49 euros, se o carro fosse grande, nada dizendo para os carros de tamanho médio.

Mas o Tira Fumos devia andar um pouco confuso, fruto, quiçá, da pressão do FMI. O resto do anúncio, publicado no Diário Popular, no dia 21 de Julho de 1979, é incompreensível:

“Apenas uma afinação especial/ é grátis/ 2 afinações por dia/ só paga depois de comprovada esta afinação”.

Afinal, era grátis ou só se pagava depois de verificar que o Tira Fumos tinha afinado a coisa como deve ser?…

Mas o Camilo tinha-os no sítio. Se não ficasses satisfeito com o trabalho e quisesses tirar satisfações, era só ires à Rua Elias Garcia, 157-3º Dto, na Amadora, que era onde o mecânico morava.

Ah grande Tira Fumos!

Tags: , ,

3 Responses to “Da crise como oportunidade”

  1. Elso Lago says:

    Tenho para mim que essa do poço possa ser uma transformação da palavra “pot” do francês “Pot d’échappement”.

  2. pitroile says:

    É destas noticias que precisamos para nos rirmos um bucado… :)

  3. jazoil says:

    O poço é na gíria de mecânico (vazio). Quando se carrega no acelerador e o motor não acelera de imediato havendo durante perto de 1 segundo uma espécie de vazio (poço).

Leave a Reply