Posts Tagged ‘grécia’

Lambe-botas

Monday, July 13th, 2015

merkel passos (2)

Tsipras à moda do Porto

Tuesday, July 7th, 2015

Máxi Pereira contratado pelo FCP por 4 milhões de euros/ano.

Iker Casillas contratado pelo FCP com um salário de 230 mil euros/mês.

Ó Tsipras, pede mas é dinheiro emprestado ao Pinto da Costa, pá!

Um alemão a ver-se grego

Sunday, July 5th, 2015

schauble fodido

Uma desgrécia nunca vem só…

Sunday, July 5th, 2015

merkel bebe cerveja

Cavaco fora do euro!

Monday, June 29th, 2015

O futuro ex-presidente Cavaco diz que, se a Grécia sair do euro, não faz mal porque ainda ficam 18.

Cavaco sabe a tabuada!

Mas se a Grécia sair, todos nós vamos sentir a sua falta.

Quanto ao Cavaco, estamos todos desertos que ele saia.

E ninguém sentirá a sua falta!

cavaco economia

Com as Tsipras de fora

Saturday, June 27th, 2015

tsipras2

O Syriza, o Observador, o José Manuel Fernandes e a luta de classes

Sunday, June 21st, 2015

O ex-director do Público, José Manuel Fernandes (quem?…) continua a escrever… e a publicar em órgãos de comunicação.

Podia – como eu – limitar-se à sua total insignificância – e arranjar um blog, uma página na internet, um perfil de facebook.

Mas não – continua a cagar opiniões e continua a haver quem as publique.

Agora publica um artigo no Observador intitulado “O equívoco grego: o Syriza não recusa um acordo, recusa o nosso modo de vida na União Europeia”.

O “nosso modo de vida”, Fernandes?

Qual é o nosso modo de vida?

É que, para aceder ao teu artigo, tenho que passar por cima de um anúncio a um carro, Jaguar, Volkswagen ou Clio, depende da altura do dia – deve ser conforme são horas da classe A ou da classe B…

É esse o “nosso modo de vida”? Vendidos a marcas que nos patrocinam?

Quem te disse a ti que era esse o nosso modo de vida?

Quem te encomendou o sermão?

Quem te transformou no porta-voz da malta que vive na União Europeia?

Fernandes fica muito escandalizado pelo Syriza ter passado de 3% para 38% dos votos e, portanto, os gregos são todos tolos, ao contrário dos portugas que, após 4 anos de austeridade, dão exactamente 38% dos votos aos partidos que estão no Poder.

Portanto, por razões que se desconhecem, os gregos estão errados e nós estamos certos…

A menos que o Jaguar, o VW ou o Clio tenham a resposta…

Não, Fernandes, não é esse o nosso modo de vida… não sei se o protagonizado pelo Syriza poderá ser o nosso modo de vida – mas o teu não é certamente!

Tu e o outro palerma da RTP, um tal Paulo Ferreira, com problemas dentários graves, bem podiam ir procurar emprego noutro lado.

Aqui não há lugar para vocês.

Mesmo que, por agora, pareça que vocês é que têm razão…

Aforismos gregos

Saturday, February 21st, 2015

* É impossível agradar a gregos e a troikanos

* Dos varoufrakos não reza a História

* Perante a crise, há que fazer do Tsipras coração

* Grego que se preze não se limpa a toalha turca

* Na mesa de negociações, vale mais a bravata que a gravata

As 10 medidas de Varoufakis

Tuesday, February 10th, 2015

Segundo o DN, “Varoufakis leva amanhã dez medidas surpresa ao Eurogrupo”.

Eis as 10 medidas de Varoufakis:

1ª – Calço 43

2ª – Meço 1, 81

3ª – Bebo 7 decilitros

4ª – Como 250 gramas

5ª – Urino 2,1 litros

6ª – Peso 80 kg

7ª – Respiro meio litro

8ª – Visto 44

9ª – Bato 60 por minuto

10ª – Durmo 6 horas

E não pago!

Por que é bom que Portugal não seja a Grécia

Sunday, February 1st, 2015

A vitória do Syriza nas eleições gregas levantou alguns problemas geográficos.

Dizem que a Grécia virou à esquerda.

Ora, se virou à esquerda, a Grécia foi para cima da Albânia que, entalada entre a nova República da Macedónia e o Adriático, nada poderá fazer senão atirar-se ao mar.

Ora, se a Albânia cair no mar e a Grécia ocupar o seu lugar, vai haver guerra com a auto-denominada República da Macedónia porque, como se sabe, os gregos não autorizam que os macedónios utilizem esse nome, já que Macedónia é o nome de uma província grega, para além de um sabor de gelado e de um agrupamento de legumes.

Os balcãs sempre foram complicados.

Temendo que Portugal caísse na tentação de também virar à esquerda, afundando-se no Atlântico, os nosso políticos de direita têm declarado a pés juntos, e com eles afastados, que Portugal não é a Grécia.

Ainda bem.

Se Portugal fosse a Grécia, a Espanha seria a Turquia e teríamos a Síria, o Iraque e o Irão a dois passos.

O Califado seria muito mais exequível.

Livra!