Posts Tagged ‘bush’

A libertação de al-Zaidi

Wednesday, September 16th, 2009

O único homem no mundo que teve a coragem de atacar George Bush, atirando-lhe com um par de sapatos à cara, foi libertado.

Condenado a 9 meses de prisão, o jornalista al-Zaidi revelou que foi torturado na prisão: simulação de afogamento, choques eléctricos e chicotadas foram alguns dos mimos com que foi presenteado.

Foi para aprender a ter mais pontaria!

Agora, já prometeu que vai treinar intensamente e, da próxima vez que atirar com sapatos à cara de um chefe de Estado, não falhará!

Que desperdício, al-Zaidi

Thursday, December 18th, 2008

Ouve o que eu te digo, Muntadar al-Zaidi: aceito que te tenhas tornado uma estrela mundial graças ao teu gesto, que pode ser visto e revisto aqui.

Mas sinceramente: George Bush não vale um par de sapatos!

Vê bem que, agora, até há um professor saudita, Mohamed Makhafa, que quer comprar os sapatos que atiraste ao cão infiel por quase 7 milhões de euros.

Se o governo iraquiano lhe vender os sapatos, o professor vai colocá-los numa vitrina, com a seguinte inscrição em baixo: “estes foram os sapatos que al-Zaidi atirou ao Presidente dos Estados Unidos, o cão George Bush”

E, assim, Bush ficará para a História.

Ainda por cima, al-Zaidi, meu zarolho, não lhe acertaste, pá!

A crise financeira explicada às crianças

Sunday, October 12th, 2008

Era uma vez um país muito grande e muito rico, chamado Estados Unidos da América, governado por um senhor chamado Bush, que, em português, quer dizer arbusto, embora também possa designar o conjunto de pêlos que as pessoas mais crescidas têm, à volta da pilinha ou do pipi.

Esse país, porque era muito grande, tinha muito espaço para construir casas, que também eram muito grandes. Então, os americanos (assim se chamavam os habitantes desse país, embora também houvesse alguns chamados John, Michael, Betty, Sarah, Barak, Bill, Monica, etc) desataram a construir casas. Mas, para o poderem fazer, tiveram que pedir dinheiro emprestado aos Bancos.

Eu escrevo Bancos com letra grande, para vocês não confundirem com os bancos onde a gente se senta, claro.

Ora, os banqueiros – que são os donos dos Bancos – emprestam dinheiro a juros. E o que é que isto quer dizer? Quer dizer que tu pedes, por exemplo, 1 euro emprestado a um amigo, para comprares pastilhas elásticas e, depois, tens que lhe pagar 1 euro e meio.

E perguntas tu: mas por que raio é que eu tenho que dar um euro e meio ao gajo, se ele apenas me emprestou um euro?

E eu respondo-te: é o capitalismo, ó ranhoso!

Se não estás bem, muda-te! Quando tiveres direito ao voto, vota no PCP que, lá para 2040 ainda há-de continuar a lutar pelo pleno emprego, pelo aumento salarial das classes trabalhadoras e pela nacionalização dos meios de produção.

Bom, mas voltemos ao tal país muito grande…

Portanto, os banqueiros emprestavam dinheiro com juros ao americanos e estes construiam casas, que depois vendiam a outros americanos que, por sua vez, para as poderem comprar, pediam dinheiro emprestado aos Bancos.

Às tantas, alguns Bancos já não tinham mais dinheiro para emprestar mas, como não queriam perder os clientes, pediram dinheiro emprestado a Bancos mais ricos, – e assim sucessivamente, até ao Infinito.

Estava tudo a correr muito bem: os americanos compravam e vendiam casas uns aos outros, que é uma coisa que os americanos gostam muito de fazer, e os banqueiros estavam cada vez mais ricos, tinham grandes ordenados e passavam férias em sítios formidáveis.

Só que, certo dia, alguns americanos deixaram de pagar o que deviam aos Bancos. E, depois, mais americanos fizeram o mesmo. E mais, e mais. Até que os Bancos mais pequenos começaram a ficar sem dinheiro e deixaram, também eles, de pagar aos Bancos mais ricos – e assim sucessivamente, até ao Infinito.

Moral da história: se quiseres uma pastilha elástica e não tiveres dinheiro para a comprar, não peças dinheiro emprestado – rouba-a!

Marxismo, tendência Bush

Wednesday, October 1st, 2008

Admiro o homem!

Enganou-me bem enganado!

Quem diria que um republicano que acredita no Criacionismo é, afinal, um marxista convicto?!

Bom, claro que George Bush não é um marxista ortodoxo. Não acredito que tenha sequer lido um resumo de “O Capital”. Mas alguém lhe deve ter dado umas luzes sobre a teoria marxista e Bush ficou fã.

Depois, é claro, teve que pensar sobre o assunto – e todos sabemos como é difícil um Bush pensar, e este George ainda é pior que o pai.

Bush ruminou sobre as ideias de Karl Marx durante anos mas, na primeira oportunidade – pimba! – atacou os capitalistas!

E aí está ele a propor que o povo norte-americano tome de assalto os Bancos e as Seguradoras. Os capitalistas não souberam gerir os grupos financeiros, foram gananciosos e garganeiros? O povo, liderado por George Bush, toma conta dos meios de produção de notas e moedas.

Capitalista, escuta – George Bush está em luta!

E por essa Europa fora, outros marxistas perdem a vergonha e saem do armário. Os governos inglês e belga até já nacionalizam bancos!

Pobre Vasco Gonçalves, pobre companheiro Vasco, que já não está entre nós para assistir a esta verdadeira revolução!

Espero que George Bush não fique por aqui. Depois de retirar os bancos e as Seguradoras das garras dos capitalistas e de as devolver ao povo, é imperioso que avance logo para a Reforma Agrária e comece a distribuir as grandes herdades pelos camponeses, seguindo-se a urgente nacionalização da McDonald’s, da Coca-Cola e da Starbucks.

LONGA VIDA AO CAMARADA GEORGE BUSH!

OS ESTADOS UNIDOS JAMAIS SERÃO VENCIDOS!