Ray Manzarek – mais uma porta que se fecha

A primeira canção dos Doors de que me lembro: Hello, I Love You.

ray manzarekCurta e eficaz. Destaque para o vozeirão de Jim Morrison e para as teclas de Ray Manzarek, que morreu ontem, vítima de cancro biliar, aos 74 anos.

Morrison e Manzarek formaram os Doors, em Chicago, em 1965, juntamente com Jonh Densmore (bateria) e Robby Krieger (guitarra).

Nos anos 60, em Portugal, ouvia-se António Calvário, Artur Garcia, Simone de Oliveira, Gianni Morandi, Sylvie Vartan, Adamo.

Ouvir, na rádio, uma canção dos Beatles, era quase uma cena clandestina.

A pouco e pouco, a pop britânica foi ganhando espaço e, às tantas, já era banal ouvirem-se as coisas mais soft: Herman’s Hermits, Bee Gees, Hollies; ou os americanos mais inofensivos: Beach Boys, Turtles.

Mais raro era escutar os Rolling Stones (Let’s Spend the Night Together foi considerado obsceno!) e os Doors.

Destes, o Light My Fire era o tema mais conhecido, embora fosse mais fácil ouvi-la na versão do José Feliciano, do que na dos Doors – e nunca foi a minha preferida.

Sempre gostei mais do já citado Hello, I Love You, e de Strange Days, Riders of The Storm, Love Me Two Times, para não falar no fundamental The End, sobretudo acompanhado das imagens de Apocalipse Now!, de Coppola.

Nos anos 60, as bandas (dizia-se, os conjuntos…) raramente tinham teclas nas suas formações. Lembro-me dos Animals, Spencer Davis Group, Procol Harum, Moody Blues – mas as teclas de Manzarek eram diferentes e, na música dos Doors, tinham muito mais importância que as guitarras.

Com a morte de Jim Morrison, os Doors morreram também, embora Manzarek tenha continuado a sua vida como músico.

Mas, como se sabe, o que já foi, não volta a ser.

Tags: , ,

4 Responses to “Ray Manzarek – mais uma porta que se fecha”

  1. Pisca says:

    Caro Artur
    Gostei da referência ao facto dos então chamados Conjuntos raramente terem teclas

    Era um tempo em que eram raros os que sabiam tocar as ditas, era coisa de gente fina que não se metia em alhadas, por outro lado os chamados Orgãos eram de facto muito maus, citando de memória os Farfisa, dos primeiros a surgir tinham um som horrivel, que curiosamente o falecido sempre usou e conseguiu sacar belissimas notas

    Isto para não falar do preço dos mesmos

    Um Abraço

    • Artur says:

      Havia o melotron, que os Moody Blues muito usavam e que foi o percursor dos sintetizadores, mas, regra geral, o som das teclas era uma desgraceira!

  2. antonio dias says:

    Genesis, Supertramp,…

    • Artur says:

      Estamos a falar de 1965. Os Genesis e os Supertramp são mais anos 70, já fazem parte do chamado rock progressivo, que incluía sempre teclas (Yes, King Crimson, etc)

Leave a Reply for antonio dias