Não há lenha que detenha esta campanha

Passos Coelho, de capa e batina, cantando com a sua voz de tenor, acompanhando uma tuna ou, no Fundão, a apanhar cerejas.

Sócrates, em Vila Real, arrastado por uma velhinha, que o enche de beijinhos repletos de saliva.

Jerónimo de Sousa, acoitado sob um toldo de um café, em Viseu, com as bandeiras ensopadas de granizo.

Louçã, de barrete branco, bata de plástico e galochas, no meio de chicharros e cachuchos, na lota de Sesimbra.

Portas, de camisa aberta, mostrando os pelos suados do peito, provando vinho verde ou dando apertos de mão, capazes de arrancar o braço do cumprimentado.

Cada vez faz menos sentido.

As campanhas eleitorais são uma fantochada, os políticos põem-se a jeito e as televisões aproveitam-se.

Que bocejo!…

5 thoughts on “Não há lenha que detenha esta campanha

  1. A Bárbara Guimarães candidata-se, cada vez mais, a esse título. Nas promoções dos Globos de Ouro, mal cabe dentro dos vestidos e dos soutiens! Como é casada (?) com o Carrilho, que ainda é do PS, penso que tens a tua resposta…

Leave a Reply to Pedro Couto e Santos Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.