Lobo Antunes e o Benfica

Lobo Antunes fala pouco. Quando fala, refere-se, quase exclusivamente, aos seus livros. É raro ouvir, da sua boca, uma opinião sobre o mundo que o rodeia. Aliás, ele próprio diz que está a ficar cada vez mais autista.

Neste contexto, a importância desta sua afirmação, na entrevista à Pública, é de salientar:

“(…) descobri – parece-me, é cada vez mais claro – que a escolha política é a mesma coisa que a escolha de um clube, é muito mais afectiva que racional. Se fosse racional, toda a gente pensava da mesma maneira politicamente. Da mesma maneira que se a escolha de um clube fosse racional, toda a gente era de um clube – na minha opinião, obviamente, toda a gente era do Benfica.”

Não posso estar mais de acordo!

Se a escolha de um clube fosse racional, toda a gente seria do Benfica!

Está dito!

9 thoughts on “Lobo Antunes e o Benfica

  1. “Se a escolha de um clube fosse racional, toda a gente seria do Benfica!”

    Ora aí está uma sfirmação que não é de modo algum do âmbito do racional mas sim do emocional e a sua concordância do autor do blog com ela revela também isso mesmo!…

    Para que conste: mude-se o nome do clube e a afirmação produzida continua a ser válida porque é do âmbito do universal. logo racional.

    Francisco Trindade

  2. Já há muito tempo que não ouvia uma frase tão estupida. É esta arrogancia por parte dos benfiquistas que faz com que os não benfiquistas detestem o clube do antigo regime. O benfica não tem nada que seja superior a todos os outros clubes. Para uma pessoa que mora no Porto a escolha racional do seu clube seria o FCP, o mesmo se passa em Braga, Guimarães, etc. Mas vinda de quem vem não surpreende, esse tipo que disse que durante a guerra colonial não havia problema em matar os adeptos de outros clubes mas que matar adeptos do benfica já era mau devia apanhar uma dose de realidade. O seu clube já não é o que era, já nem é o clube português com mais sucesso a nivel internacional

    1. Não sei se todas as pessoas se qualificam para ser do Benfica, para isso são condições necessárias o civismo e o civilidade, já que, muitos dos adeptos do fcp não se identificam com nenhuma das duas, visto que, civismo, enquanto o Benfica foi um marco e uma frente activa no combate ao Estado Novo, o Fcp alimentava-o e alimentava-se dele, ajudando à estagnação do país, assim como faz hoje e desde o 25 de Abril, como comprovam as escutas telefónicas, e pondo sempre os seus preversos interesses à frente dos do país. Quanto à civilidade, o Benfica é o clube mais eclético de Portugal, o clube do povo, da igualdade e espalha-se pelo mundo inteiro como forma unificadora, enquanto o fcp e os seus adeptos sectorizam a sociadade, agridem aqueles que lhes são de opinião contrária, havendo inúmeros casos de agressão aos próprios jogadores.

      Deixo perguntas de resposta tão obvia que só poderia ser, não pode!
      – Como pode o Benfica ter sido o clube do regime e no entanto ter tantos africanos adeptos do Benfica em África antes do 25 de Abril?
      -Desde a inauguração do Estádio Nacional (1946), a final da Taça de
      Portugal nunca se realizou na Luz, mas já teve um jogo em Alvalade e quatro
      nas Antas, três dos quais com a presença do FC Porto, que ganhou um e
      perdeu dois, com Leixões (1961) e Benfica (1983… em Agosto, no início da
      época seguinte!)?
      – Desde a criação, em 1938, da antiga Comissão Central de Árbitros,
      nunca o Benfica teve um seu associado como presidente da estrutura nacional da arbitragem?
      – O Benfica foi forçado a repetir o jogo Belenenses-Benfica docampeonato de 1958/59, da 19ª jornada (a sete do fim), na quinta-feira anterior
      ao jogo decisivo frente à Cuf (última jornada) e quatro dias depois de se ter
      deslocado a Alvalade (penúltima jornada), quando, a seguir ao campeonato, osclubes da I Divisão estiveram duas semanas sem jogar, à espera que
      terminasse a II Divisão, para disputarem a Taça de Portugal?
      – Inaugurado em 1954, só em 1971 o Estádio da Luz assistiu ao primeiro
      jogo da selecção nacional, numa época em que a maioria dos jogadores que a compunham eram do Benfica, enquanto, nesses 17 anos, o Estádio das Antas teve oito jogos da selecção, o de Alvalade quatro e o do Restelo um?
      – Em 1939/40, o Campeonato Nacional passou de oito para dez clubes, a
      título excepcional, pois o FC Porto fora apenas terceiro no Campeonato
      Regional e só os dois primeiros tinham acesso à competição, valendo então a votação das restantes associações regionais (nomeadamente a de Lisboa), que viabilizaram o alargamento, de forma a permitir a participação da equipa do FC Porto? Em 1941/42, o FC Porto voltou a ser terceiro e novamente foi alargada a competição. Até 1946/47, o acesso ao Campeonato da I Divisão dependia das classificações dos Campeonatos Regionais, só na época seguinte se tendo iniciado o modelo das subidas e descidas de divisão.
      – O Benfica teve que jogar (sendo naturalmente eliminado) um encontro
      da Taça de Portugal em Setúbal, frente ao Vitória, a 1 de Junho de 1962, no
      dia seguinte à primeira vitória na Taça dos Campeões Europeus (3-2 ao
      Barcelona), quando os 15 melhores jogadores (11 titulares e 4 suplentes)
      faziam a viagem de Berna para Lisboa?
      – Um dos primeiros grandes escândalos do futebol português deu-se na
      última jornada do campeonato de 1938/39, num célebre FC Porto-Benfica queestava empatado 3-3 quando, a um minuto do fim, na sequência de um canto, o Benfica marcou o quarto golo, que lhe daria o triunfo e o título nacional (oquarto consecutivo), mas o árbitro anulou, sem que se vislumbrasse qualquer falta, como aliás, uma célebre foto publicada na revista Stadium confirmaria?

      1. Sr. Joe-Fagundes, a agressão desprovida que qualquer suporte moral, cívico ou lógico como a sua não nos afecta, pelo menos aos esclarecidos, aliás, é mostra daquilo que os adeptos do fcp sempre foram, ignorantes inventores de realidades paralelas, que apenas serve para esconderem o anátema social que são.

        Caso ainda não tenha ouvido, ou lido, as escutas telefónicas acerca de como os tais triunfos do seu clube foram obtidos, faça-me o obséquio de o fazer. Ficará deveras elucidado quento à mais valia que seria o país sem a vergonhosa instituição que tanto defende.

        De resto, a clamorosa hipocrisia com que alguns bradam em relação a resultados obtidos nos últimos 30 anos, não passam de falaciosas pantomimas, orquestrações de uma máfia que envergonham e inojam qualquer cidadão português! Basta não se ser ignorante para saber!

  3. Os comentários dos senhores Trindade e Fagundes provam que a afirmação de Lobo Antunes está correcta: são comentários emocionais. Se Trindade e Fagundes fosse mais racionais, perceberiam o significado da afirmação de Lobo Antunes. Paciência.
    O Sr. Fagundes, na sua imensa emocionalidade, até se esquece do pobre Boavista, ao dizer que “para uma pessoa que mora no Porto, a escolha racional do seu clube seria o FCP”…
    Quanto ao Benfica ser o clube do antigo regime: meu caro amigo, estude um pouco mais a História recente. Claro que o Benfica foi aproveitado pelo antigo regime, tal como o Porto é aproveitado peo actual regime. Acontece, no entanto, que o Benfica é o verdadeiro clube popular, de bairro, que se tornou nacional. Não teve condes nem milionários na sua formação. Além disso, não se esqueça que, por alguma razão, os vermelhos da Luz passaram a encarnados…

  4. O Sr. Fagundes disse uma barbaridade. Eu sou de Braga, gosto do SC Braga por proximidade geografica, mas o meu clube é o Benfica. Claro que ha qualquer coisa que nos leva a ser adepto e socio de um clube. Temos que nos identificar com aquilo que ele representa. E o Benfica representa um povo inteiro, do rico ao pobre, do Comerciante ao Médico, do Comunista ao monarquico. Continua a ser um clube de paixão, simbolo de união e de vontade e não um clube do contra como o são outros clubes nacionais.

    De toda a maneira, muitas escolhas da nossa vida são muito emocionais, senão muito poucos casariam e teriam filhos e outras decisões do mesmo calibre.

  5. Acho que isto é uma questão de gerações. Para menores de 35 anos (eu tenho 33) ser do Benfica seria tudo menos racional. Só mesmo por uma questão afectiva ou talvez masoquismo :-) Para que conste eu sou lisboeta e do “pobre” Boavista.

  6. E esse Lobo Antunes é um gajo que escreveu um livro que se chamava “Memória de Elefante”?
    Então está perdoado!

    (Perdão pela irracionalidade)

  7. Nunca percebi essa do clube do antigo regime… Que argumento mais artrósico! Sou benfiquista desde a 1ª classe porque a minha melhor amiga de então me disse que era do Benfica. Então eu também sou! O meu irmão, que devia ter uns 3 anos na altura, disse que «se a mana é do Benfica então eu também quero ser». E passados mais de 20 anos continuamos a sê-lo. Porque de clube não se muda! E isto é emocional, apenas.
    Se fosse racional faria sentido querer ser de um clube que entrou para o Guiness ou faria sentido pensar que como são tantos sócios, se calhar são mais racionais que os outros. Mas não faz sentido. Sou do Benfica porque sim!

Leave a Reply to Rogério Silva Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.