Posts Tagged ‘psd’

Mudança de sexo

Sunday, December 8th, 2013

A União Europeia obriga a que as listas dos partidos candidatos tenham paridade entre homens e mulheres.

O PSD já disse que o cabeça de lista será Paulo Rangel.

O CDS já disse que o seu primeiro candidato será Nuno Melo.

Qual deles vai mudar de sexo?

Passos trespassado

Monday, September 30th, 2013

Ao dizer “que se lixem as eleições”, Passos colocou-se à margem dos eventuais maus resultados. Parecia estar a tomar uma atitude inteligente.

A malta iria votar nos candidatos autárquicos, tendo em conta as pessoas em questão e não o governo da nação.

Mas Passos decidiu envolver-se na campanha. Foi mais forte que ele.

E ei-lo a discursar todos os dias, metendo os pés pelas mãos, falando em segundo resgate, depois dizendo que a economia está a melhorar.

Aí, as pessoas lembraram-se: espera aí, este gajo é primeiro-ministro e presidente do PSD, logo, estas eleições são uma boa oportunidade para a gente votar contra ele.

E o resultado está à vista.

Sintra, Gaia, Coimbra, Funchal, Porto, voaram das mãos do PSD.

Mas fiquei com pena do Menezes e do Seara.

O trabalho que eles deram ao Tribunal Constitucional! Obrigaram os juízes a fazer horas extras para chegar à conclusão que um tipo que é presidente da Câmara durante 12 anos seguidos, pode candidatar-se novamente, desde que vá chatear munícipes de outro concelho.

Foi assim que Menezes atravessou o Douro e queria ser presidente do Porto e Seara percorreu o IC19 para se candidatar a Lisboa.

E agora, que perderam?

Será que Menezes voltará à sua antiga profissão, embora eu duvide que o tipo ainda saiba manejar um estetoscópio?…

E Seara, tentará a reconciliação com Judite, ou vai alugar a careca como aeródromo?

Em resumo: podia ter sido pior?

Podia… imaginem que o Passos ganhava…

passos_eleições (2)

 

Prenda-se o polícia que não prendeu o ladrão!

Wednesday, August 7th, 2013

É tipicamente português: quando se é apanhado pela polícia em excesso de velocidade ou com álcool a mais ou com o seguro caducado, é azar.

Não é uma contravenção – é azar, pronto!

Temos a tendência de criticar a polícia quando não prende o ladrão, porque o ladrão, coitado, limita-se a cumprir a sua obrigação.

O vice-presidente do PSD, Marco António Costa, deu hoje mais um exemplo dessa característica tipicamente portuguesa, ao declarar que o seu partido exige uma investigação ao governo de Sócrates, porque este pode ter ocultado um “ilícito criminal”.

Diz M. C. Costa: «a ser verdade o que é relatado pela imprensa, que as instituições bancárias abordaram o anterior Governo para vender produtos financeiros que alegadamente permitiriam adulterar ou falsificar as contas públicas, questiona-se como é que o Governo de então não denunciou tais práticas ao Ministério Público e ao Banco de Portugal».

E acrescentou: «O PSD reclama a averiguação dos factos por parte das autoridades competentes para esclarecer a eventual ocultação de actos que poderão configurar ilícito criminal por elementos ligados ao anterior Governo».

Por outras palavras: o Governo de Sócrates ocultou ilícitos criminais e o Governo de Passos Coelho nomeou um dos tipos que propôs esses ilícitos criminais para secretário de Estado do Tesouro.

Em resumo: todos para a prisão.

Já!

Notícias do meu país

Saturday, April 27th, 2013

Parece que os ministros não se entendem quanto aos cortes.

O Gaspar quer cortar nos salários e nas reformas, o Portas está contra.

Nunca pensei dizer isto: o Portas faz oposição de esquerda ao governo!

E provoca-o!

O Expresso diz hoje que Portas não faltou à tomada de posse dos novos secretários de Estado por estar fora do país, ou por estar doente, ou por estar indisposto: à hora em que os secretários de Estado tomavam posse, Portas estava na pedicura!

Deu com os pés no Governo…

Entretanto, ficámos a saber que há por aí mais buracos de vários mil milhões, por causa de mais uma coisa com nome estrangeiro: os swaps.

Sempre é mais fino dizer swap do que desfalque.

O que vai acontecer aos responsáveis dos swaps?

Será que vão fazer companhia ao Isaltino?

Tal como ele faz com a Câmara de Oeiras, poderão continuar a gerir empresas, a partir da cadeia.

Tal como ele, estão inocentes, claro…

Tudo normal.

Ficámos também a saber que, nas próximas autárquicas, teremos excelentes presidentes de Juntas para as bandas do Porto.

O PSD escolheu para candidatos o ex-futebolista João Pinto, o ex-médico do FCP Domingos Gomes, o apresentador televisivo Jorge Gabriel e o médico das dietas Fernando Póvoas.

Com tais presidentes de Junta, até eu era capaz de me mudar para o Porto!

Estamos tramados!

Francamente, Franquelim!…

Sunday, February 3rd, 2013

Título do DN:

«CDS indignado com secretário de Estado ligado ao BPN»

De facto!

O senhor Franquelim Alves foi administrador do BPN, no tempo do Oliveira e Costa, caramba!

Devia, no mínimo, ter sido nomeado ministro!

Borges sofre de sindroma de Tourette?

Sunday, September 30th, 2012

O ministro-que-faz-de-conta-que-não-é-ministro, António Borges, não é capaz de ficar calado.

Ainda bem.

É da maneira que vamos conhecendo o pensamento político de Passos Coelho e percebendo como o “social” está a desaparecer do nome oficial do Partido “Social” Democrata.

Em junho, Borges disse que baixar os salários dos portugueses “era uma urgência“. Todos lhe caíram em cima e até Passos Coelho veio a correr dizer que não era essa a intenção do governo e tal.

Viu-se…

Nem três meses depois, aí estava o mesmo Coelho a propor a baixa dos salários em 7%, com a subida da TSU para os trabalhadores.

Foi graças a Borges que ficámos a saber, em agosto, que Relvas queria acabar com a RTP-2 e dar a concessão da RTP-1 aos privados. Claro que o governo veio dizer que era só uma opinião, mas… vamos ver o que vai acontecer à RTP e veremos, mais tarde, que papel Relvas desempenhará nessa nova televisão semi-pública e mais ou menos privada…

Já há 5 anos Borges defendeu a privatização da CGD. Nessa altura, ouviu-se um coro de críticas. Mas não é que, agora, não se fala noutra coisa?…

Para terminar, ontem, num Fórum económico, Borges disse que “os empresários que se apresentaram contra a medida (TSU) são completamente ignorantes”.

É incompreensível como uma pessoa tão inteligente como António Borges cai na armadilha de falar em público como se estivesse a falar em privado, com um grupo de amigos.

A menos que…

A menos que António Borges sofra de Sindroma de Tourette  e não consiga manter a boca fechada.

Ou então, é mesmo ele quem governa Portugal e Passos Coelho não passa de um Ánhuca – aliás, como eu sempre disse…

Santinhos!…

Sunday, July 15th, 2012

Reparem bem neste grupo de católicos fervorosos…

Da esquerda para a direita: o Sr. Lopes, primeiro-ministro de Portugal durante o período áureo em que não havia crise e podíamos gastar dinheiro à fartazana, Mota Amaral, talvez o menos pecador deles todos, Dias Loureiro, que nada teve a ver com o BPN, o Miguel Ervas, o doutor da mula russa, e outro doutor, o Arnaut, nóvel administrador da REN, depois de muitos fretes feitos ao Poder.

Reparem bem no ar contrito, de profundo catolicismo, do Sr. Lopes, do Sr. Amaral e até do Sr. Arnaut e o ar blazé do Sr. Loureiro – todos contrastando com o ar sacaninha do Dr. Ervas.

A foto é de 2004 e saiu hoje no Público, mas podia ter sido tirada ontem…

Ditosa religião que tão elevados filhos tem!…

Convite ao Prof. Abreu Amorim

Sunday, May 13th, 2012

Pior que líderes medíocres só os seus seguidores fervorosos.

Passos Coelho é um líder medíocre.

A sua última mediocridade foi dizer «estar desempregado pode não ser um sinal negativo. Despedir-se ou ser despedido não tem de ser um estigma, tem de representar também uma oportunidade para mudar de vida».

Pausa para absorver esta enormidade.

Já estou a ver o funcionário a correr atrás o patrão, choramingando: “patrãozinho! ajude-me a mudar de vida! despeça-me por favor!”

Claro que Coelho já veio dizer que as suas palavras foram mal interpretadas. Como sempre.

As suas palavras foram mal interpretadas quando disse que tirar os subsídios de natal e de férias eram um disparate, bem como quando sugeriu que os nossos jovens qualificados deviam emigrar.

O homem nunca diz o que quer dizer – ou então, nós nunca entendemos o que ele, verdadeiramente, quer dizer.

Quem o entende na perfeição é Carlos Abreu Amorim, aquele professor da Universidade do Minho com excesso de peso, que já foi um liberal com muita dificuldade e que agora é deputado do PSD.

Ouvi-o dizer que o que Passos Coelho pretendia era dar ânimo aos desempregados. Quando Coelho falava em mudar de vida quando se é despedido, estava a pensar, por exemplo, no caso do João Ricardo Pedro, aquele engenheiro electrotécnico que aproveitou o facto de estar desempregado para escrever um livro, “O Teu Rosto Será o Último”, que acabou por vencer o Prémio Leya deste ano.

Isto foi o que disse o Sr. Professor.

Pois eu trabalho no Centro de Saúde do Monte de Caparica há quase 30 anos. Nas traseiras do Centro fica o famoso Bairro do Picapau Amarelo.

Tenho, assim, o maior prazer em convidar o Sr. Professor a vir visitar o Bairro e sugerir às centenas de desempregados que ali vivem que aproveitem esse facto para mudarem de vida e escreverem um livro.

De certeza que o Sr. Professor Amorim perdia peso.

No mínimo.

E o que é que eu tenho a ver com isso?

Sunday, April 29th, 2012

O Diário de Notícias começou hoje a publicar uma série de artigos sobre o grande abcesso nacional que é o BPN.

Na edição de hoje, são 18 páginas onde se concentram muitas coisas que nós já sabíamos mas, assim, colocadas ao pé umas das outras, tornam a coisa ainda mais incompreensível.

Como foi possível isto atingir esta dimensão?

Sob o título “Um banco que dava milhões a quem pedia”, o DN lista uma série de indivíduos e empresas a quem o BPN emprestou dinheiro, sem pedir quase nada em troca.

Por exemplo: Dias Loureiro (10 a 30 milhões), Duarte Lima (6 milhões), Pousa Flores, empresa de Arlindo Carvalho (75 milhões), Arlindo Carvalho (4,8 milhões), José Neto, sócio de Arlindo Carvalho (4,8 milhões), Emídio Catum e Fernando Fantasia, este vendeu o terreno onde Cavaco tem a sua casa de verão (53 milhões).

Mais à frente, sob o título “Caras do BPN deram 130 mil euros para campanha do Presidente”, o DN faz uma infografia em que relaciona personagens que doaram dinheiro para a campanha de Cavaco, em 2006, com o próprio Cavaco e com o PSD: José Oliveira de Costa, presidente do BPN (15 mil euros), Alberto de Figueiredo, accionista do BPN (20 mil), Joaquim Coimbra, accionista do BPN (22 mil euros), Emídio Catum, sócio da SLN (22 mil), Abdool Vakil, presidente do Banco Efisa, do grupo BPN (5 mil), Fernando Fantasia (6 mil). E ainda: Jorge Neto, secretário de Estado de Santana Lopes, Rui Machete, vice-primeiro ministro de um governo PSD, Amilcar Theias, ministro do Ambiente de Durão Barroso, Daniel Sanches, ministro da Administração Interna de Santa Lopes, Miguel Cadilhe, ministro das Finanças de Cavaco, Arlindo de Carvalho, ministro da Saúde de Cavaco e, claro, Dias Loureiro e Duarte Lima.

O DN recorda, também , o negócio legal, que Cavaco e a filha Patrícia fizeram com o banco que nos está a lixar os subsídios de férias e natal (segundo o jornal, a fraude do BPN daria para pagar três anos de subsídios aos funcionários do Estado!).

Aníbal e Patrícia compraram, em 2001, acções do BPN, ao preço de um euro cada uma. Esse preço era especial. Segundo a Assembleia Geral da SLN, só o presidente, Oliveira e Costa, poderia comprar acções a esse preço.

Aníbal, na altura um simples e proletário professor universitário, cuja reforma, segundo diz o próprio, mal chega para as despesas, comprou 105 378 acções, enquanto a filha, que deve ter uma profissão mais lucrativa, comprou 149 640.

Dois anos depois, quer o Aníbal, quer a filha, decidiram vender essas mesmas acções e Oliveira e Costa, que devia nadar em dinheiro, aceitou comprá-las a 2,40 euros cada uma! Quer dizer que, em dois anitos, sem mexerem uma palha, pai e filha ganharam 147,5 mil e 209,4 mil euros, respectivamente.

O jornal fala com economistas que criticam o facto de Teixeira dos Santos e Sócrates terem decidido nacionalizar o banco. O efeito sistémico que eles temiam, provavelmente, não teria acontecido se, pura e simplesmente, tivessem deixado cair o banco.

É curioso como, a propósito do BPN, ouvimos críticas ferozes a Teixeira dos Santos, Sócrates e Vitor Constância, enquanto que quase se esquecem os nomes dos prevaricadores.

A Senhora Dona Filomena Mónica, que está na moda, diz numa entrevista ao I, que Sócrates é um delinquente político e que está, agora, descansadinho, em Paris, a viver à grande e à francesa. Senti alguma inveja nestas declarações da companheira do Ántónio Barreto, o qual arranjou um grande tacho, à conta da Fundação do dono Pingo Doce que, ironicamente, também é um dos donos do BIC, que acabou de comprar o BPN em saldo.

Pronto: o Sócrates foi delinquente porque nacionalizou o BPN. Mas perdeu as eleições e emigrou para França, enquanto Cavaco Silva foi reeleito presidente e continua em Belém.

Mas, como diria o nosso Presidente: ainda há-de nascer alguém mais honesto do que eu!

E, quanto ao BPN, o que é que eu tenho a ver com isso?

O PEC,o DEO e a PORRA

Saturday, April 28th, 2012

Foi por causa de um PEC, o Quarto, que Sócrates foi à vida.

Toda a Oposição, da esquerda à direita, achou que bastava de Peques e que era preferível levar com a troika.

Imagino que alguns já devem estar arrependidos…

Mas, enfim… os mercados é quem mais ordena e os liberais do PSD ganharam as eleições.

Foi o que se tem visto.

E agora, afinal, parece que o governo do Passos vai levar um novo PEC a Bruxelas, já na próxima segunda-feira.

O cinzentão do Seguro indignou-se, embora morigeradamente e, no debate quinzenal do Parlamento, disse «O senhor escolheu o caminho, desejo-lhe boa viagem, mas vai sozinho, porque o PS não assina de cruz nenhum documento para ser entregue em Bruxelas sem ser discutido com o PS».

Seguro até parecia um líder da Oposição a sério!…

Mas Passos trocou as voltas a Seguro e argumentou: «o governo, estando o país sob assistência financeira, está dispensado de apresentar o Programa de Estabilidade e Crescimento».

O que o governo vai apresentar a Bruxelas é o Documento de Estratégia Orçamental (DEO), com o cenário macroeconómico e o programa plurianual das despesas do Estado até 2016.

Esclarecidos?

Talvez.

Mas então, por que raio o Vitor Gaspar disse, na véspera, que o PEC e o DEO iriam ser enviados ao Parlamento, para actualização, acrescentando que «os documentos serão submetidos à Assembleia da República na próxima segunda-feira, e esses documentos serão enviados imediatamente a seguir, como documentos de trabalho, para a Comissão Europeia e restantes instituições integrantes da troika”.

Afinal, em que ficamos?

Há ou não há PEC – ou estaremos perante mais um lapso do Gaspar, como aquele em que disse que não haveria subsídios de natal e de férias durante dois anos quando, afinal, é para sempre?

Perante isto, o que apetece?

O barrigudo do Proença da UGT diz hoje, no Expresso, que, afinal, nós, portugueses, não somos assim tão mansos – até já matámos um rei!

Não sei do que estamos à espera, porra!