Posts Tagged ‘mário soares’

Um Orçamento inovador

Saturday, October 19th, 2013

Inovador? Eu diria que este Orçamento é mesmo revolucionário!

Ora vejamos: os cortes na Função Pública começam logo nos salários acima dos 600 euros.

Acho bem.

Cortar a quem mais precisa.

É uma lição de vida.

Quem não tem dinheiro, não tem vícios.

Depois, os cortes vão subindo, nos salários dos funcionários públicos, até atingir os 12%.

Acho pouco.

Quem precisa de cantoneiros, professores, jardineiros, enfermeiros, médicos, arquitectos, contínuos, administrativos e toda a corja de funcionários públicos que passam os dias a coçar os testículos?

Mas enfim, os cortes poderão estimular alguns desses funcionários a desistirem de nos agravar o défice.

Outra medida justa: o corte nas pensões de sobrevivência.

Diz o Governo que só vão atingir 3% das pensionistas.

Acho pouco.

As viúvas passaram a vida a dizer mal dos maridos, que não as ajudam, que nunca estão em casa, que se embebedam, que as tratam mal, respiram fundo quando eles, finalmente, morrem e, depois, ficam a receber as pensões?

Quer dizer, em vida, os gajos não valem nada mas, depois de mortos, as pensões já lhes dão jeito.

A convergência das pensões também é boa ideia, mas não vai juntar-se à contribuição especial de solidariedade.

Também acho mal.

Quanto menos dinheiro os reformados tiverem, melhor.

O pior que pode haver é um bando do reformados ociosos, cheios de dinheiro!

O aumento do imposto de circulação para carros a gasóleo também merece aplausos, uma vez que estes veículos provocam mais poluição que os movidos a gasolina.

Mas também se devia aumentar os impostos sobre a gasolina.

Precisamos de menos carros nas estradas. Só assim poderemos diminuir a sinistralidade rodoviária.

Também vai aumentar o imposto sobre o tabaco e, mais uma vez, o meu aplauso.

O tabaco só faz é mal.

Simultaneamente, os medicamentos para deixar de fumar continuam sem comparticipação do Estado, o que é excelente.

Deste modo, os verdadeiramente viciados continuarão a fumar e há esperança que morram precocemente.

Menos umas pensões que o Estado terá que pagar.

Finalmente, o aumento da idade da reforma para os 66 anos é outra medida que merece apoio.

Mas também acho pouco.

Conheço tipos com 80 anos que continuam cheios de pica e basta olhar para o Mário Soares que, com 88 anos, continua a tentar lixar o Cavaco.

Portanto, 66 anos é escasso.

A reforma devia ser quando um gajo já não dissesse coisa com coisa.

Razão pela qual o Passos Coelho já devia estar reformado há dois anos!

 

Soares tem gripe?

Tuesday, January 22nd, 2013

DN informa:

«Mário Soares já regressou a casa»

E acrescenta: «Segundo a última edição do Expresso, Soares sofreu uma encefalite (infecção do cérebro), que resultou de uma gripe mal curada».

Uma gripe mal curada, carago?!

Que raio é uma gripe mal curada, porra?!

A gripe é uma virose e, por definição, NÃO TEM CURA!

A gripe é uma virose autolimitada, que desaparece, ao fim de alguns dias, quer se tome, ou não, medicamentos que, aliás, apenas servem para melhorar os sintomas – não a doença.

O que terá, talvez, acontecido foi que o vírus atravessou a chamada barreira hemato-encefálica e invadiu as meninges do velhote.

Aprendam: não há gripes mal curadas, caramba!

Os créditos de Relvas

Wednesday, July 4th, 2012

Pela boca morre o peixe.

Sócrates concluiu o curso a um domingo?

Pois Miguel Relvas fez um curso de três anos em 365 dias.

Como?

Dizem os dirigentes da Universidade Lusófona que Relvas beneficiou do seu currículo.

De facto, Relvas fez um cadeira do 1º ano do curso de Direito.

Toda!

E inscreveu-se em mais dois cursos diferentes, dos quais não concluiu nenhuma cadeira.

Tudo isto deu-lhe direito a só precisar de um ano para concluir um curso de três anos!

Por esta lógica, Mário Soares tem direito ao curso de Medicina e Cavaco já deve ser engenheiro aero-espacial!

A laranja já está podre

Sunday, September 4th, 2011

Não foi preciso muito tempo.

Em três míseros meses, a nova AD quebrou todas as promessas eleitorais que levaram o povinho a escolhê-los.

Passos dizia que cortar o 13º mês era um disparate?

Já está.

Que, se aumentasse os impostos, seria sempre do lado do consumo e nunca do lado dos rendimentos do trabalho?

Já está.

Que o TGV era um luxo e que ia ser suspenso imediatamente?

O tanas!

Dentro da coligação, começou a agitação.

Marques Mendes, Graça Moura, Pacheco Pereira, Manuela Ferreira Leite, Pires de Lima e Lobo Xavier, todos, de uma maneira ou de outra, vieram a público criticar a política fiscal do governo.

Comentadores chamam a atenção para o facto de Passos Coelho e Paulo Portas empurrarem Vitor Gaspar para a frente do touro, obrigando-o a anunciar, sozinho, sucessivos PEC´s, enquanto que, no passado, o arqui-inimigo Sócrates dava sempre a cara, ao lado de Teixeira dos Santos.

Miguel Sousa Tavares, na sua coluna semanal no Expresso, chama a atenção para o facto da despesa do Estado ter descido no primeiro semestre deste ano, quando Sócrates ainda estava no poder, e de ter aumentado desde Julho, já com a AD a mandar.

Fernando Madrinha, também no Expresso, diz que, dos últimos líderes do Continente, Sócrates foi o único que teve coragem para afrontar Alberto João Jardim.

Entretanto, na Universidade de Verão, organizada pelo PSD, Soares foi convidado a dar uma palestra e foi recebido pelos jovens da JSD com gritos de “Soares é fixe!”

Volta Sócrates, que estás perdoado!

4 presidentes e 1 funeral

Tuesday, April 26th, 2011



O franciú, o portuñol e o Anhuca

Saturday, May 22nd, 2010

Depois do 25 de Abril, Portugal sofreu duas grandes crises económicas e ambas estão ligadas a primeiros-ministros socialistas e a problemas de pronúncia.

Nos anos 80 do século passado, Mário Soares, que falava um francês tão típico, que se tornou anedótico, foi obrigado a retirar o 13º mês aos funcionários públicos, para diminuir a despesa pública.

Foram os tempos do franciú e do mon-ami-miterã.

Agora, é Sócrates que está aflito com o endividamento do país. O “rating” – ou seja-lá-o-que-for – está a lixar o orçamento, mas Sócrates também tem culpas no cartório: ninguém percebe o que ele diz, naquelas entrevistas que dá em Espanha.

São os tempos do portuñol e do mi-amiego-zapatero.

Entretanto, vocês já repararam que a comunicação social está a fazer ao Passos Coelho o mesmo que fez ao Sócrates há 6-7 anos: está a levá-lo ao colo até ao lugar de primeiro-ministro.

Passos Coelho é sempre mostrado com ar solene, a dizer coisas sérias e definitivas e sublinhando o seu cadastro (ainda) limpo.

Talvez tenha chegado a hora de começarem os boatos: que o Passos é disléxico, trissexual ou, até, que é mesmo o Anhuca, mas sem o nariz vermelho e com a gravata.

Sócrates, 30 anos depois

Saturday, February 21st, 2009

No passado dia 20 de Fevereiro, fez 30 anos que Sócrates é nosso primeiro-ministro.

A meio do seu sétimo mandato, Sócrates encontra-se numa encruzilhada. Depois de Manuela Ferreira Leite se ter retirado da política e de o PSD ter desaparecido por implosão interna, não resta a Sócrates outra oposição que a do segundo homem mais velho do planeta, Manuel Alegre, que continua a gritar que ninguém o cala, a dizer que, no PS, existe um clima de medo e que o partido se está a afastar das suas raízes de esquerda.

Entretanto, o homem mais velho do planeta, Mário Soares, já prometeu que se o próximo “check-up” médico lhe for favorável, não se importa de concorrer à presidência da República.

Como se sabe, o nosso presidente, o venezuelano naturalizado português, Hugo Chavez, já está tão velho que, na última cerimónia pública, urinou na tribuna presidencial.

O ministro da Economia do governo de Sócrates, Francisco Louçã, admitiu que partiria a cara ao líder da Oposição, Paulo Portas, se ele continuasse a exigir menos impostos para os agricultores, que não passam, hoje em dia, de cinco ou seis famílias que detêm umas hortas em Loures.

Na Assembleia da República, o PCP, hoje reduzido a Jerónimo de Sousa, dois habitantes do Seixal e um cão, nascido em Grândola, continuam a sua greve de fome, a favor da continuação do inquérito ao caso BPN, exigindo que Dias Loureiro seja presente à comissão de inquérito pela 57ª vez, porque ainda há umas verbas perdidas que não estão bem explicadas.

Na próxima semana, deve ser aprovado o casamento entre todos os homossexuais, seguido da dissolução da igreja católica que, aliás, se encontra na falência, desde que se descobriu que o Vaticano tinha a massa toda investida no esquema piramidal do Freeport.