Posts Tagged ‘eleições’

As eleições autárquicas explicadas pela onomástica

Monday, October 2nd, 2017

São os nomes que são importantes, não os Partidos.

Por razões óbvias, os Partidos são, por nomenclatura, partidos.

Os nomes, por outro lado, são inteiros. Completos. Totais.

O PCP perdeu Almada?

Claro! Como se chama o candidato comunista?

Chama-se Judas.

Não é a primeira vez que um Judas trai a sua religião…

Diz-se, também, que o grande derrotado é o Passos Coelho.

Mas nem todos os coelhos se lixaram com estas eleições.

Em Ourique, por exemplo, ganhou um Coelho do PS.

Qual o seu apelido completo?

Coelho Guerreiro!

Não Passos Coelho (ou coelho a passo), nem Leal Coelho (ou leal ao Coelho), mas um Coelho Guerreiro – um coelho como deve ser!

Mas há contradições, nestas eleições.

Que dizer quando verificamos que o presidente de Cuba se chama Casaca Português?

E que, em Mogadouro, ganhou um Guimarães, em Alcácer do Sal, um Proença, em Palmela, um Amora, em Melgaço, um Pombal, um Paredes, em Alijó, um Abrantes, em Carregal do Sal, um Moura, em Lamego, e em Condeixa-a-Nova, um Moita?

Que alguns políticos são lobos com vestes de cordeiro, todos sabemos.

Mesmo assim, em Proença-a-Nova, ganhou um Melo Lobo e, na Vidigueira, um Serrano Raposo.

Mas ninguém bate a onomástica alentejana. O Alandroal vai ser governado por um Aranha Grilo, Arraiolos, por um Tirapicos Pinto e Montemor-o-Novo por uma  Anjos Chegado Menino!

Os Grilos parecem ter invadido o Alentejo, nestas autárquicas.

Além do Aranha Grilo, do Alandroal, temos um Clemente Grilo, em Portel (como será um grilo clemente? perdoa mesmo quando é esmagado?).

No Redondo, ganhou um Recto. Um Recto no Redondo é sempre correcto. Sobretudo quando o apelido completo é Rega Matos Recto.

O PS conquistou muitas câmaras ao PCP no Alentejo. Mas, por vezes, precisou de ajuda. Por exemplo, em Viana do Alentejo, ganhou com a ajuda de um Bengalinha Pinto.

Em Vila Viçosa, pelo contrário, o PCP não cedeu e ganhou, com o seu candidato, de apelido Condenado…

Coitado!…

A importância da 3ª idade afirmou-se, nestas eleições.

Os velhotes gostam de votar.

Que o digam os eleitores de Aljezur, que elegeram o candidato do PS, Velhinho Amarelinho.

Já falei dos Coelhos.

Nem todos falharam, no entanto.

Em Faro, por exemplo, houve um Coelho que triunfou, embora tenha sido preciso uma coligação PPD/PSD-CDS/PP-PPM-MPT.

E, mesmo assim, o candidato vencedor não é carne nem peixe – chama-se Bacalhau Coelho!

De Aranhas, Grilos e Coelhos, estamos falados.

Mas temos outros animais nas autárquicas.

Tomem nota: um Robalo, do PSD, no Sabugal, uma Camelo, do PS, em Seia, um Chicharro, também do PS, na Nazaré, um Pombo, do PSD, em Arronches, um Leão, do PS, em Paços de Ferreira, um Cordeiro, do PNT, em S. João da Pesqueira.

No que respeita à vontade que cada autarca tem para decidir em prol da sua comunidade, as coisas variam entre um Rijo, em Arruda dos Vinhos, e um Folgado, em Alenquer, ambos do PS.

Por vezes, a ajuda divina é essencial. Talvez tenha assim que, em Cascais, ganhou o candidato do PSD/CDS, Lavrador de Jesus e em Sesimbra, o comunista Firmino de Jesus.

Jovens bem comportadas parecem ter conseguido convencer o eleitorado em Castelo de Vide, onde o PSD ganhou com um Nobre Pita, e em Elvas, onde o PS ganhou com um Mocinha.

Os candidatos gostam de beijar os eleitores durante as campanhas? Claro, que o diga Álvaro Beijinha, que ganhou em Santiago do Cacém.

A contradição é patente no presidente de Ourém, que se chama Grossinho Coutinho. Como é que um grosso pode ser grossinho?…

Claro que poucos presidentes poderão gabar-se de terem um nome tão pomposo como a nóvel presidente de Almada, Inês de Saint-Maurice Esteves de Medeiros Victorino de Almeida, mas também poucos se aproximam da simplicidade do novo presidente do Montijo, também do PS, e que se chama, simplesmente, Nuno Canta.

Ei Nuno! Canta, homem!

Coerência terá o presidente da Câmara do Barreiro, eleito pelo PS, e que se chama Costa Rosa (não Laranja, nem Vermelha – mas Rosa!)

Mas é difícil ser tão coerente como o vencedor da Chamusca, o socialista Cegonho Queimado.

Mais difícil ainda: ser mais cínico que o vencedor de Oeiras que é Isaltino e Morais!

Ou há moralidade ou comem todos!

(nenhum destes nomes é inventado – confirmar aqui…)

Bruno Trump Donald de Carvalho

Sunday, March 5th, 2017

Foi o jornal The Independent que postulou que Bruno de Carvalho é o Donald Trump do futebol português (confirmar aqui).

Não é exagero.

Bruno e Donald têm tudo em comum.

São ambos empresários da construção civil: Trump construiu hotéis e casinos, Carvalho foi sócio gerente da “Bruno de Carvalho, Revestimentos, Soluções de Interior e Representações Comerciais” (confirmar aqui).

Ambos ganharam prémios importantes: Trump recebeu o Jewish National Fund’s Tree of Life Award for outstanding contributions to Israel-United States relations, em 1983, e Carvalho foi agraciado com o Prémio Personalidade do Ano Desporto, na XII Gala dos Prémios Mais Alentejo (2013).

Ambos têm companheiras loiras.

Ambos são isolacionistas: Trump quer tornar America great again, fechando as fronteiras aos refugiados, Carvalho quer que o Sporting volte a ser grande, fechando Alvalade aos adversários.

América contra o mundo; Sporting contra todos.

Ambos ganharam eleições com poucos votos: Trump teve menos 2 milhões de votos que Clinton; Carvalho teve 96% dos 18 mil votantes, o que corresponde a menos de 1% dos portugueses.

Mas há uma coisa que separa Trump de Carvalho, uma coisa que distingue Bruno de Donald e que faz com que ele seja único.

É que, como diz a sua biografia na wikipedia, Bruno de Carvalho é neto materno do irmão do almirante Pinheiro de Azevedo, o almirante sem medo.

E assim como Pinheiro de Azevedo, então primeiro ministro provisório, sequestrado por operários que exigiam a demissão do governo, gritou “Bardamerda para a democracia”, também Bruno de Carvalho, rodeado por adeptos e simpatizantes, teve a coragem de afirmar “Bardamerda para quem não é do Sporting”.

Disto Donald Trump não se pode gabar!

Uma campanha alérgica

Sunday, January 10th, 2016

Começou a campanha eleitoral para a presidência da República e, pela primeira vez, não sei sinceramente em quem votar.

Não gosto do psicólogo que dá aulas de encorajamento ou lá o que é; tem uns óculos de massa muito feios e os incisivos muito afastados.

O senhor que abandonou os debates e se recusou a participar, merece a minha simpatia por isso; foi menos um chato que tivemos que aturar, mas acho que tem um abdómen demasiado proeminente para presidente. Ficava mal nas fotos oficiais.

Aquele rapazinho que trouxe as assinaturas num cabaz é apalhaçado e nunca gostei de palhaços.

O Neto tem idade para ser avô.

O Morais diz que é limpinho mas não gosto do penteado e algo me diz que ali há gato escondido.

O ex-padre é a contradição em pessoa: católico e comunista? Se a religião continua a ser o ópio do povo, o comunismo será a naloxona?

A Marisa tem boa voz para o fado, não para discursar no 10 de Junho.

A de Belém é muito pequena; mal chegaria ao microfone das Nações Unidas, quando o secretário-geral da ONU, António Guterres, a convidasse para discursar.

O Nóvoa tem um nome bom demais para trocadilhos e ninguém sabe onde estava no 25 de Abril, 28 de Setembro, 11 de Março e 25 de Novembro, da parte da tarde.

Finalmente, o candidato que é como a pescada, que antes de o ser já o era, é um fiasco. Afinal, depois de décadas de comentário político, não tem opinião sobre nada.

Pensando bem, deve ser por isso que vai ganhar as eleições.

Cavaco, qual eucalipto, que tudo seca à sua volta, até a Presidência da República secou!

Onomatopeias presidenciais

Sunday, November 1st, 2015

Tudo começou com o PAF – sigla de Portugal à Frente.

pafQuando os cérebros do PSD e do CDS se lembraram de cunhar a sua coligação com esta sigla, todos nos lembrámos do Astérix e do Obélix a dar estaladas nos romanos – e era impossível não pensar que Passos e Portas estavam, de certo modo, a dar-nos umas estaladinhas na cara, como quem dizia “ainda não estás farto de austeridade, meu tolo? Toma lá mais uma! PAF! PAF!”.

O PAF passou à história, já que vencendo, perdeu as eleições, mas chegou agora o SNAP.

snapSNAP é a sigla de Sampaio da Nóvoa à Presidência.

Assim, como um estalar dos dedos, entrámos na era das onomatopeias eleitorais.

O professor universitário e o seu director de campanha deviam estar os dois muito ralados, sem saberem como dar a volta às sondagens, cada vez mais desfavoráveis, até que tiveram esta ideia brilhante.

Ainda pensaram em CROINK ou ZUNK, mas acabaram por se decidir por SNAP!

Agora, são os outro candidatos que estão à nora.

Que onomatopeia escolher?

Maria de Belém à Presidência daria MBAP, que é difícil de pronunciar.

Também Marcelo Rebelo de Sousa a Belém, seria MRSB. Muito mau!

165932025Mas temos muitas à escolha.

Por exemplo, para a candidatura de Maria de Belém, poderíamos escolher BANG – Belém A Nossa Garina, e Marcelo poderia escolher BAM – Bora Anda Marcelo!

Aquele velhote simpático, que se chama Henrique Neto, podia escolher CRUNCH porque soa bem.

Assim, no boletim de voto, figurariam as candidaturas de BAM, BANG, SNAP e CRUNCH.

Seria bem divertido, sobretudo depois do triste Cavaco ter feito KABOOM!

Do padre para Presidente aos copos menstruais

Saturday, October 10th, 2015

Uma das grandes vantagens das eleições é a agitação que provocam.

E sempre que a coisa se agita, algo vem à superfície.

Com estas eleições ficámos a saber, por exemplo, que nem sempre quem tem mais votos é quem ganha e que o grande derrotado, o Costa, é afinal o responsável pela formação do próximo governo.

Tudo isto graças à coerência histórica de Jerónimo de Sousa.

Depois de ter, mais uma vez, ganho as eleições, perdendo votos, mas ficando com mais um deputado (obrigado sr. Hondt!), Jerónimo estudou a História do Partido e recordou o exemplo de Cunhal, que mandou os seus militantes engolirem um sapo e votarem em Soares, para derrotar Freitas (não era preciso o esforço… agora, Freitas vota no Soares…) – e Jerónimo anunciou que viabilizaria um governo do PS!

Que grande mudança!

Mas a mudança não se ficou por aqui: o candidato do PCP às presidenciais é Edgar Silva, que já foi padre!

Pecou mas foi perdoado!

Outra curiosidade das eleições legislativas foi, sem dúvida, a estrondosa vitória do Partido das Pessoas, Animais e Natureza, que conseguiu um deputado.

copos menstruaisLi hoje no Expresso que, entre as várias propostas do PAN, há duas que se destacam: a da construção de pombais contraceptivos e a de distribuir copos menstruais.

Não há dúvida que são dois assuntos cadentes na nossa sociedade e que é urgente legislar sobre eles.

Reconheço que tenho visto muitos pombos preocupados com a contracepção e falado com muitas mulheres que exprimem a necessidade de apoio do Estado para a despesa que têm com os copos menstruais.

Aguardo, com ansiedade, a criação do PFP, o Partido das Fraldas de Pano.

Batoteiros!

Wednesday, September 30th, 2015

E à falta de melhor, Passos Coelho decide fazer batota e chama para a campanha o Senhor!

Segundo o Expresso, o líder da Coligação PàF anda com um crucifixo no bolso, que lhe ofereceram em Leiria e, conforme confidenciou, andará com ele no bolso até sexta-feira.

Durante a visita a um Lar de idosos, um repórter perguntou a Passos se “tem fé nos resultados”. Diz o Expresso que “Passos agarra a chance e vai ao bolso. Exibe. A cruz. A direita gosta disto.”

A Comissão Nacional das Eleições deveria actuar! Não é justo que Passos tenha a ajuda de Nosso Senhor Jesus Cristo! É injusto!

Por que razão Cristo há-de ajudar Passos, que é divorciado, e Portas, que nem sequer é casado e não, por exemplo, António Costa, que até pertence a uma minoria étnica (e sabemos como Jesus gosta de minorias…!)

passos velhinha

Revisionistas!

Saturday, September 26th, 2015

Passei ontem pela rotunda do Centro Sul e vibrei com o cartaz do MRPP que exigia, finalmente, a morte aos traidores de Portugal!

Regozijei!

Até que enfim que aparecia um partido com a coragem de proclamar o que todos pensamos: os traidores merecem a morte!

O facto de a pena de morte para crimes políticos ter sido abolida, em Portugal, em 1852, é apenas um pormenor – altera-se a Constituição!

Restava saber o método da execução: enforcamento, fuzilamento?

Nada daqueles métodos mariquinhas que os americanos inventaram, como a cadeira eléctrica ou a injeção letal.

Fuzilamento, sem dúvida – e num local público, tipo Estádio Nacional.

2015-09-26 10.13.36Mas eis que hoje, no mesmo local, deparei com o mesmo cartaz, mas com uma pequena grande alteração…

Em vez da frase “Morte aos traidores!”, os militantes do MRPP, durante a noite, substituíram-na por “Fora o euro!”

Ó Garcia Pereira, francamente, ficaste de repente com cagufa?

Estavam os operários e camponeses, soldados e marinheiros, já a afiar a moca para limpar o sebo aos traidores, graças ao Movimento Reorganizativo do Partido do Proletariado, e tu, sem mais nem menos, recuaste?

Não passas de um revisionista, pá!

 

Um campanha alegre!

Saturday, September 19th, 2015

 

joana amaral dias

 

 

 

passos e portasjeronimocosta

 

catarina martins

Debatem leve, levemente…

Sunday, September 13th, 2015

Como quem chama por mim
Será Costa, será Passos?
Catarina não é certamente e Jerónimo não debate assim…

Têm sido assim os debates eleitorais… leves.

Leves e chatos!

A fórmula está esgotada. Temos que alterar o figurino dos debates entre candidatos.

Proponho que os debates ocorram em locais improváveis e que os candidatos se vistam a rigor.

Exemplos: António Costa, vestido de faquir e Passos Coelho de gato-pingado na arena do Circo Chen;

Marinho & Pinto de Comanche e Garcia Pereira de escafandro na piscina municipal de Odivelas;

Paulo Portas de Joana D’Arc e Joana Amaral Dias vestida, na praia da Cruz Quebrada;

Catarina Martins de Rainha Santa e Jerónimo Sousa de Super-Homem, a bordo de um Cacilheiro.

Seria, pelo menos, mais engraçado.

Palhaços ricos, palhaços pobres

Sunday, August 30th, 2015

Não há eleições sem palhaços.

Sem palhaços, não há circo.

Sem circo, as eleições não têm graça.

A campanha das legislativas ainda não começou e, por enquanto, só temos tido umas bocas do Portas, outras do Costa, outras do Passos.

Tudo dentro dos conformes.

Mas os verdadeiros palhaços ainda não tinham entrado em cena.

Até ontem.

Ontem, o Paulo Rangel meteu a cabeça de fora e abriu as hostilidades.

Disse que, se o PS estivesse no governo, o Sócrates e o Ricardo Salgado não estariam em investigação.

O que quer dizer, por outras palavras, que um dos Poderes, o judicial, está sob o comando do poder político.

Portanto, o facto do Sócrates estar em prisão preventiva e do Salgado estar confinado ao domicílio, é tudo obra e graça do governo do PSD, e não porque eles sejam culpados seja do que for.

É de supor que, por esta ordem de ideias, o Oliveira e Costa está detido porque o governo era do PS e, se o governo fosse do PCP, estariam todos presos, incluindo o palhaço do Paulo Rangel.

E, claro, se o governo fosse do Partido Nacional Renovador, o Jerónimo seria o primeiro a ir dentro, mas os do PSD também não se safariam… e daí?…

rangel