Posts Tagged ‘crise’

O Syriza, o Observador, o José Manuel Fernandes e a luta de classes

Sunday, June 21st, 2015

O ex-director do Público, José Manuel Fernandes (quem?…) continua a escrever… e a publicar em órgãos de comunicação.

Podia – como eu – limitar-se à sua total insignificância – e arranjar um blog, uma página na internet, um perfil de facebook.

Mas não – continua a cagar opiniões e continua a haver quem as publique.

Agora publica um artigo no Observador intitulado “O equívoco grego: o Syriza não recusa um acordo, recusa o nosso modo de vida na União Europeia”.

O “nosso modo de vida”, Fernandes?

Qual é o nosso modo de vida?

É que, para aceder ao teu artigo, tenho que passar por cima de um anúncio a um carro, Jaguar, Volkswagen ou Clio, depende da altura do dia – deve ser conforme são horas da classe A ou da classe B…

É esse o “nosso modo de vida”? Vendidos a marcas que nos patrocinam?

Quem te disse a ti que era esse o nosso modo de vida?

Quem te encomendou o sermão?

Quem te transformou no porta-voz da malta que vive na União Europeia?

Fernandes fica muito escandalizado pelo Syriza ter passado de 3% para 38% dos votos e, portanto, os gregos são todos tolos, ao contrário dos portugas que, após 4 anos de austeridade, dão exactamente 38% dos votos aos partidos que estão no Poder.

Portanto, por razões que se desconhecem, os gregos estão errados e nós estamos certos…

A menos que o Jaguar, o VW ou o Clio tenham a resposta…

Não, Fernandes, não é esse o nosso modo de vida… não sei se o protagonizado pelo Syriza poderá ser o nosso modo de vida – mas o teu não é certamente!

Tu e o outro palerma da RTP, um tal Paulo Ferreira, com problemas dentários graves, bem podiam ir procurar emprego noutro lado.

Aqui não há lugar para vocês.

Mesmo que, por agora, pareça que vocês é que têm razão…

No lixo, mas a crescer!

Saturday, March 28th, 2015

A ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque anuncia que temos os cofres cheios.

O primeiro-ministro, Passos Coelho, em visita ao Japão, garante que Portugal poderá vir a ser “uma das nações mais competitivas do mundo”.

O presidente Cavaco não se cansa de “difundir a evolução positiva da economia portuguesa”, que, segundo ele, poderá crescer 2%.

E, no entanto, a agência Fitch continua a classificar a nossa dívida como lixo.

Ora, não é possível que uma ministra. um primeiro-ministro e um presidente estejam – todos! -enganados.

Conclui-se, portanto, que é a Fitch que não percebe nada de economia.

Sugiro que a Maria Luís pegue na massa que acumulou nos cofres e compre a agência Ficth.

Depois, pode deitá-la no lixo…

As 10 medidas de Varoufakis

Tuesday, February 10th, 2015

Segundo o DN, “Varoufakis leva amanhã dez medidas surpresa ao Eurogrupo”.

Eis as 10 medidas de Varoufakis:

1ª – Calço 43

2ª – Meço 1, 81

3ª – Bebo 7 decilitros

4ª – Como 250 gramas

5ª – Urino 2,1 litros

6ª – Peso 80 kg

7ª – Respiro meio litro

8ª – Visto 44

9ª – Bato 60 por minuto

10ª – Durmo 6 horas

E não pago!

Saudades da troika

Saturday, May 17th, 2014

A troika foi-se embora hoje.

Oficialmente.

Tenho pena.

Graças à troika, conseguimos coisas que nunca sonháramos conseguir!

Foi graças à troika que batemos o recorde do desemprego e é sempre bonito bater recordes.

Foi graças à troika que muitos dos nosso jovens foram conhecer cidades com Glasgow, Montpelier ou Birmingham, e locais maravilhosos como os Alpes suíços. E por lá ficaram… Nunca o Manuel, o Joaquim ou a Tânia pensariam em viajar para tais sítios se não fossem estimulados pela troika.

Foi também graças à troika que os nossos velhotes tiveram que se mexer, em vez de ficarem amarrados aos bancos de jardim a jogar sueca. É vê-los agora a fazer ganchinhos, fretes e partaimes, para compor a reforma.

É por isso que vamos sentir saudades da troika, do primeiro egípcio com ausência de cabelos no couro cabeludo até ao último troikano, o indiano Subir Lall (não será antes Descer Lol?).

Saída limpa ou saída merdósica?

Sunday, March 2nd, 2014

É a grande questão do momento: como vai Portugal sair do programa imposto pela troika?

Vamos optar por uma saída à irlandesa, que é a chamada saída limpa, ou vamos escolher uma saída suja, que é como quem diz, vamos cagar na troika?

A opção pela segunda hipótese é a mais apetecível.

Depois de três anos em que nos cortaram os ordenados, aumentaram os impostos, mandaram milhares para o desemprego e outros milhares para a emigração, diminuíram as reformas e nos fizeram recuar ao nível de vida de há dez anos, que tipo de saída nos apetece, se não a saída suja?

Aliás, merda é connosco.

No tempo da Outra Senhora, contava-se a história de um português mauzinho que, depois de morrer, foi para o Inferno e descobriu que aquilo não era a fogueira que ele estava à espera, mas sim um enorme tanque cheio de merda. Foi lá que encontrou Salazar, com merda até ao pescoço.

Ainda tens a cabeça de fora, espantou-se o português mauzinho. Tu foste um grande sacana lá na Terra e, mesmo assim, ainda tens a cabeça de fora?

Salazar explicou-lhe: pois é, filho, mas estou em cima do Hitler, que está em cima do Estaline…

Isto para já não falar na história do emigrante português que estava a emagrecer e que foi a um médico que lhe receitou um banho de merda porque lhe diagnosticou saudades da Pátria.

Já Eça de Queirós dizia que isto era uma choldra, que é o mesmo que dizer que o país é uma merda.

Não é verdade que todos dizemos que o Governo só faz merda?

Não é verdade que os deputados são uma merda, que a Educação é uma merda, a Saúde é uma grande merda, os impostos são uma merda e até o tempo está uma merda?

Perante tanta merda, quem quer uma saída limpa?

Só a merda do primeiro-ministro que, até de merda percebe pouco!…

Não admira: um Coelho nem merda como deve ser sabe fazer!

Só caganitas!

portas moedas e albuquerque

 

Recalibrados e mal pagos

Saturday, January 4th, 2014

O Plano B, afinal, existia.

Aquele ministro todo pinoca, Marques Guedes, anunciou-o tranquilamente: os reformados e pensionistas vão ser recalibrados.

O Passos Coelho vai colocar os velhotes numa máquina inventada pelo Paulo Portas, que é assim uma espécie de balança, e que tem uns botões que, depois de devidamente regulados, exibem, num mostrador, que parte da reforma é que a Maria Luís Albuquerque vai sacar aos velhinhos.

Claro que há uma linha vermelha, absolutamente irrevogável, que Portas não admite que seja ultrapassada e, quando isso acontece, a máquina faz soar um alarme e Portas vem salvar o velhinho e devolve-lhe a reforma toda, com um abraço e tudo!

Agora, sempre vamos ver se os juízes do Tribunal Constitucional têm a lata de dizer que isto também é inconstitucional!

reformados

Guião da Reforma do Estado

Saturday, October 26th, 2013

O Coiso teve acesso ao Guião da Reforma do Estado.

É assim:

Cena única:

Dia cinzento. Subúrbios de uma cidade. Prédios degradados. Ruas desertas.

A câmara aproxima-se do Estado, que caminha encurvado.

Grande plano do Estado. Ar triste e cansado. Olheiras.

Entra em casa.

Plano da sala, quase sem móveis. Alcatifa degradada. Ao fundo, uma televisão antiga passa imagens dos debates sobre o Orçamento. Sem som.

O Estado senta-se num sofá que precisa de ser renovado.

Afunda a cabeça nas mão.

Chora.

Grande plano do Estado. Lavado em lágrimas.

Grita: “Estou reformado! Estou reformado e estou fodido!”

Fade out.

O programa cautelar ou acautelar o programa?

Saturday, October 26th, 2013

Segundo o ministro da Economia, Pires de Lima, «o nosso objectivo é começar a negociar um programa cautelar nos primeiros meses de 2o14».

No entanto, segundo o primeiro-ministro, Passos Coelho, chefe do Lima, «só no dia em que fecharmos o actual programa saberemos se é preciso um programa cautelar ou se é outra coisa».

Partindo do princípio de que não vai ser “outra coisa”, o que será um programa cautelar?

Pelo nome, poderá ser assim: a Maria Luís pega na dívida, divide-a em cautelas e vende-as. Como ninguém quererá comprar cautelas de dívida portuguesa, seremos nós, os contribuintes portugueses, obrigados a comprá-las.

Depois, haverá um sorteio, na Santa Casa da Misericórdia, e a dívida sairá a um de nós.

Se não for isto, o programa cautelar, será “outra coisa”, como tão bem explicou Passos Coelho.

E é por isso que a diferença entre um programa cautelar e acautelar um programa é a mesma que existe entre corpo consular e consolar o corpo…

…ou entre a olho nu e no olho!

Por que razão Pais Jorge se deve manter no Governo

Monday, August 5th, 2013

Toda a gente pede a demissão do secretário de Estado do Tesouro, Pais Jorge porque ele, quando era director do Citi Bank, tentou vender swaps ao governo Sócrates.

Não estou de acordo.

Pais Jorge deve manter-se no governo porque lá é que ele está bem!

Desde que não sejemos toscos, a gente podemos mudar o país

Sunday, July 28th, 2013

Finalmente a gente temos um primeiro-ministro como deve ser, que auguenta as broncas e que se mantém firme.

Inda agora, a porpósito desta coisa da salvassão naçional, Paços Coelho diçe:

«Desde que tenhamos os pés assentes na terra e sejemos realistas – quer dizer, não comecemos a estabelecer objectivos que estão manifestamente para além daquilo que as condições nos permitem -, então é possível vencer e ultrapassar obstáculos e conseguir um clima de união nacional, não é de unidade nacional, é de união nacional, que permita essa convergência».

É isto mesmo que a gente precisamos: que sejemos realistas e façemos uma união naçional.

A última vez que a gente fizemos uma união naçional, durou 40 anos.

Digam lá se não era bonito que os deputados todos foçem amigos uns dos outros e  andaçem sempre abrassados?

Imajinem a Açunssão Esteves abrassada ao Jerónimo e a Catarina do Bloco ao colo daquele tipo do CDS que tem o cabelo oleozo, e o Zorrinho a fazer festinhas na barba do líder do PSD – digam lá se não era uma coisa bem bonita?

Sejemos realistas: demos a mãos uns aos outros, facemos um esforço para estarmos todos de acordo e de certeza que a troika nos empresta mais maça a um juro para amigos.